Editorial

Declaração do Capitão Paul Watson

Capitão Paul Watson na ponte do Steve Irwin. Foto: Tim Watters / Sea Shepherd

Durante os 35 anos desde que fundei a Sea Shepherd Conservation Society, tenho me esforçado para agir sem violência e dentro dos limites da lei.

A Sea Shepherd nunca foi uma organização de protesto, nem estamos envolvidos em desobediência civil. Somos uma organização anti-caça furtiva, criada para manter a lei internacional de conservação. Operamos dentro das orientações da Carta Mundial das Nações Unidas para a Natureza, que permite a intervenção de organizações sem fins lucrativos, organizações não-governamentais e indivíduos para defender o direito internacional de conservação.

Durante a longa história da Sea Shepherd, nunca causamos uma única lesão a qualquer pessoa. Apesar de ter quebrado algumas regras burocráticas, como a Lei do Canadá chamada Ato de Proteção das Focas, fizemos isso para contestar a validade destas normas, que estavam em contradição com a Carta Canadense de Direitos e Liberdades. Em todos os outros aspectos, sempre operamos dentro dos limites da lei, tanto internacional quanto nacional.

Em 1998, a Sea Shepherd EUA cumpriu com a ordem pela Guarda Costeira dos EUA para não se aproximar a menos de mil metros da operação baleeira Makah no Estado de Washington.

Eu mesmo nunca fui condenado por um crime hediondo.

E por esta razão, a Sea Shepherd Conservation Society nos Estados Unidos, e eu como um cidadão dos Estados Unidos, devemos cumprir a ordem 9º Tribunal dos Estados Unidos.

Porque eu fui pessoalmente nomeado na liminar, já renunciei ao cargo de Presidente da Sea Shepherd Conservation Society, nos Estados Unidos, e como Presidente da Sea Shepherd Conservation Society Austrália. Eu também renunciei a minha posição de Diretor Executivo da Sea Shepherd Conservation Society EUA, e eu vou continuar em qualquer posição voluntária na Sea Shepherd, em qualquer lugar que a Sea Shepherd esteja registrada e opere como uma organização sem fins lucrativos, em qualquer nação.

Eu também deixei o cargo de líder da campanha Operação Tolerância Zero. O ex-líder do Partido Verde e ex-senador australiano, Bob Brown, da Tasmânia, vai agora assumir esta posição.

Eu também deixei o cargo de capitão do Steve Irwin. O Capitão Siddharth Chakravarty, da Índia, agora está no comando do Steve Irwin. Os outros três capitães são cidadãos da Suécia, França e Austrália.

Como um cidadão dos Estados Unidos, eu vou respeitar e cumprir a decisão do 9º Tribunal dos Estados Unidos e não violarei a liminar concedida ao Instituto de Pesquisa de Cetáceos. Vou participar como observador, dentro dos limites estabelecidos pelo 9º Tribunal dos Estados Unidos.

Leia mais no nosso artigo “Sea Shepherd Austrália lidera Campanha em Defesa das Baleias na Antártida“.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list

Related Posts