Voluntariado

Saiba mais sobre como ser um voluntário da Sea Shepherd Brasil

Torne-se um voluntário da
Sea Shepherd Brasil!

Os voluntários não são pagos, não porque não valem nada, mas porque não têm preço.

Sherry Anderson

Agradecemos por seu interesse em ser voluntário(a) na Sea Shepherd Brasil!

Nossas campanhas não seriam possíveis sem os esforços vitais de nossos muitos voluntários. Sempre precisamos de voluntários para participar de atividades de divulgação e captação de recursos, obter suprimentos doados, distribuir informações, organizar limpezas de praia, realizar pesquisas e muito mais!

Dê uma olhada no mapa de núcleos da Sea Shepherd Brasil para ver se já existe um núcleo de voluntariado na sua área. Mas não se preocupe se não houver:  ainda existem maneiras de você se envolver!

Se você não estiver em uma área com um núcleo oficial e você acreditar que pode liderar um núcleo ou organizar eventos de arrecadação de fundos ou limpezas de praia, entre em contato pelo email voluntarios@seashepherd.org.br para discutir as possibilidades.

Conheça ainda nossas vagas de voluntariado para expedições, projetos e também vagas para cargos fixos: muitas delas são para trabalho remoto.

Mapa do Brasil indicando estados com núcleos presentes

Como se tornar um(a) voluntário(a):

1) Preencha a inscrição on-line de Voluntário da Sea Shepherd Brasil:

2) Faça a doação de R$50,00 (valor mínimo) ou compre uma camiseta na loja da Sea Shepherd Brasil.

Quando você enviar o formulário de inscrição, você receberá um e-mail de confirmação – envie o seu comprovante de pagamento na resposta a esse e-mail.

LEMBRE-SE: ESTA INSCRIÇÃO É PARA A SEA SHEPHERD BRASIL.

A SSB AINDA NÃO POSSUI NAVIOS.

Para se inscrever no voluntariado da Sea Shepherd Global, visite seashepherdglobal.org

O programa de voluntariado da Sea Shepherd é um trabalho árduo e não é para todos os nossos apoiadores. Exige compromisso, iniciativa, sacrifício e vontade de ir além. Cumprir o papel de um voluntário da Sea Shepherd é uma grande responsabilidade. Requer interação extensiva com o público em geral, configuração e detalhamento de eventos e, muitas vezes, longas horas. Ajudar a conservar, proteger e defender a vida marinha requer tempo, dedicação e paixão e, o mais importante, a prontidão para aparecer e promover nossa missão através da sensibilização pública.

Os voluntários são uma parte essencial para garantir o financiamento das campanhas da Sea Shepherd e levar a missão da Sea Shepherd ao público em geral. Nossos líderes de campanha, nossos coordenadores e outras equipes não podem estar em todos os lugares ao mesmo tempo, então nossos voluntários ajudam a levar a importante mensagem da Sea Shepherd para o maior número possível de lugares no Brasil.

A seguir, são apenas algumas das ações que você pode fazer como voluntário para apoiar a missão da Sea Shepherd:

  • Mesa em um evento local, exposição, festival ou crie seu próprio evento de apresentação;
  • Promover um evento beneficente para arrecadar fundos para a Sea Shepherd em um restaurante ou local de encontro comunitário;
  • Organizar limpezas de praias e de outros ambientes marinhos;
  • Organizar um show beneficente para a Sea Shepherd;
  • Cultivar a sensibilização do público através da distribuição de materiais da Sea Shepherd e fazer apresentações em escolas, fóruns da comunidade, entre outros;
  • Organizar um pedido de doação à Sea Shepherd como presente de seu aniversário para amigos e familiares;
  • Fornecer habilidades valiosas, como em trabalhos de design gráfico, fotografia, redação ou doar sua arte para leilões;
  • Se você tiver alguma dúvida sobre o nosso programa de voluntariado, entre em contato conosco pelo e-mail voluntarios@seashepherd.org.br.

Perguntas Frequentes

Quem somos?

A Sea Shepherd é um movimento global feito por voluntários em defesa dos oceanos, sendo a organização mais ativa do planeta na conservação da vida marinha. Foi estabelecida em 1977 no Canadá pelo Capitão Paul Watson.

Nossa missão é proteger a vida marinha e acabar com a destruição de habitats no oceano ao redor do mundo. No Brasil, a Sea Shepherd visa defender, conservar e proteger a biodiversidade marinha através de pesquisa científica, planos de mitigação e recuperação de ecossistemas marinhos, educação ambiental e treinamento de práticas sustentáveis para multiplicadores.

“Se o oceano morrer, nós morremos” – Capitão Paul Watson

I – VOLUNTARIADO

1 - Por que ser um voluntário Sea Shepherd?

A Sea Shepherd é feita por voluntários de todo o mundo, todos apaixonados pelo oceano e pelos animais aquáticos e marinhos. Diferente de grande parte das instituições de proteção ambiental, a nossa operação depende muito da dedicação e esforço direto de nossos voluntários. Suas habilidades e atitudes em defesa da vida ajudam a Sea Shepherd a tornar-se ainda maior e mais efetiva.

2 - Como posso atuar?

Os termos da  ficha de inscrição que você assinou ao concordar com o cadastro devem ser as diretrizes das práticas da organização e do trabalho voluntário.

Você participará do nosso Canal de Apoiadores, onde terá contato com  voluntários de todo o Brasil e também terá acesso ao canal do Núcleo do  seu estado,somente após a organização prévia dos dados, a comunicação e autorização de seu facilitador(a) local. Isto poderá demorar algumas semanas. Caso você se encontre em um estado que não possua um  facilitador local, entraremos em contato mesmo assim para discutir como você poderá contribuir com a causa.

Temos também grupos de trabalho específicos de mídia, de educação,  dentre outros grupos focados nos projetos ativos da organização. Dependendo de sua especialização, podemos contatá-lo(a) para integrar um destes grupos.

Você também pode participar como voluntário nas campanhas ativas da Sea Shepherd  Brasil. Ondas Limpas é a campanha de limpeza de praia e fundo marinho, organizando mutirões de praia ou demais ambientes aquáticos como rios, manguezais e estuários. A Campanha Borrifos monitora e estuda a migração de baleias e trabalha com a sensibilização das pessoas no encontro com baleias em nossa costa. Nosso grupo da Sea Shepherd Educação desenvolve um programa de educação ambiental para escolas públicas e privadas, universidades, setores especializados e empresas por todo o Brasil.

3 - Como posso me comunicar com os coordenadores estaduais?

Quando recrutado, o facilitador(a) do seu estado entrará em contato com você para o primeiro contato pessoal em uma reunião ou participação em alguma atividade. A comunicação é importante para o alinhamento, a divulgação das nossas campanhas, e a explicação de atividades dos voluntários do grupo.

Seja um voluntário proativo. Converse com a facilitação local  e revele seu interesse em ajudar em algo específico.

4 - Gostaria de voluntariar nos navios. Como faço?

Os 12 navios ativos da Sea Shepherd são coordenados pela Sea Shepherd Global e Sea Shepherd Conservation Society, que alocam seus esforços e tripulações de acordo com as necessidades das operações espalhadas pelo mundo todo.

Tanto a Sea Shepherd lá de fora como a Sea Shepherd Brasil operam da mesma maneira, com doações e voluntários.

Caso você queira tentar fazer parte da tripulação dos navios da Sea Shepherd, você precisa se inscrever como voluntário em mar (‘Crewing at Sea’) nos sites da Sea Shepherd internacional (link acima). Importante saber que há uma exigência de ter inglês fluente (essencial para as operações dos navios) e que ao se inscrever você não terá a garantia de participação: muitos nunca são contatados devido ao alto volume de interessados. Caso você seja escolhido, é importante saber que terá que arcar com os custos de viagem até o local do navio; e também de retorno.

5- Porque o Brasil não tem um navio?

A Sea Shepherd Brasil é um braço independente da Sea Shepherd. Todas as doações feitas em nosso nome contribuem para atividades e campanhas que têm relevância para a proteção do oceano em nosso país.

Atualmente nenhuma das atividades no Brasil necessitam de suporte dos navios da Sea Shepherd, mas isso poderá mudar no futuro, se nosso engajamento e doações permitirem o desenvolvimento de mais projetos de ação direta no país.

6 - Agora sou voluntário! Posso falar em nome da Sea Shepherd?

Compartilhe nossas publicações e mídias distribuídas em nossos canais. A responsabilidade da comunicação está a cargo de membros Sea Shepherd definidos para a comunicação. Os voluntários não têm permissão para falar em nome da organização ou de emitir opiniões institucionais, o que não o impede de falar em sua própria causa, desde que deixe claro que não representa a opinião da Sea Shepherd. Caso tenha alguma imprensa interessada em falar diretamente com a sea Shepherd, favor direcionar a pessoa ao email comunicacao@seashepherd.org.br .

Caso você deseje falar sobre, ou divulgar denúncias em nome da Sea Shepherd, encaminhe sua solicitação  ao facilitador(a)do seu grupo.

II – VEGANISMO

1– Porque o veganismo é importante em nossa missão?

Para a Sea Shepherd, todos os animais têm o direito à vida. A Sea Shepherd é uma organização de conservação do oceano e sistemas hídricos, e de todos os animais que os habitam, e tem como um dos valores centrais o biocentrismo, no qual todas as formas de vida são igualmente importantes, não vendo a humanidade como o centro da existência. Acreditamos que não condiz com nossos valores executarmos operações que protegem os animais, mas que ao mesmo tempo os consomem. Portanto, em nossas operações não usamos nada de origem animal, desde peixes, claro – mas também todos tipos de carne, leites, ovos, queijo, mel, couro, seda, penas, etc.

2 – Como o veganismo pode ajudar na proteção dos oceanos?

A produção animal em larga escala é um dos maiores destruidores do meio ambiente em geral, e em particular do oceano. Cerca de 40% do peixe retirado do mar é convertido em farinha de peixe para a indústria de ração para animais criados para consumo, ou pets. Além disso, esta prática contribui diretamente de maneira significativa com o aquecimento global, o que está gerando um rápido aquecimento da temperatura do oceano (isso porque o oceano é o maior sequestrador de calor da atmosfera, e de dióxido de carbono ou equivalente do mundo), assim afetando ecossistemas essenciais para o balanço e vida marinha, criando zonas mortas no oceano.

3 – Mas a Sea Shepherd é uma organização de direitos de TODOS os animais?

Não. Somos uma organização que foca na proteção do oceano e dos animais marinhos. A organização é contra o consumo de alimentos e produtos de origem animal pelo impacto ambiental que isso causa ao oceano e às espécies marinhas e aquáticas. TODOS(AS) somos responsáveis pelo estado atual que se encontra o oceano e precisamos trabalhar juntos para protegê-lo, confrontando a responsabilidade individual das pessoas no consumo e uso de produtos com origem animal.

4 – Para ser um voluntário Sea Shepherd preciso me tornar vegano?

Não. Nenhum voluntário é obrigado a eliminar produtos com composição de origem animal em sua vida privada, porém quando representando a ONG, não se deve consumir produtos de origem animal, portanto todos os voluntários uniformizados que estão atuando pela organização devem consumir apenas produtos sem nada de origem animal.

III – PESCA

1 – Por que a Sea Shepherd é contra a prática da pesca?

A prática de pesca comercial marinha é a maior destruidora dos oceanos, pois praticamente todas as indústrias pesqueiras já estão gerando um colapso nas populações de animais marinhos no mundo todo, seja via pesca intencional (como a do atum, bacalhau, salmão, crustáceos, etc que estão à beira de uma diminuição irrecuperável de sua população), como a prática de pesca ilegal (de tubarão para uso de sua barbatana, ou golfinhos para serem usados de isca de outros peixes, de peixes em áreas de preservação, etc,), além de afetar muitas outras espécies mortas incidentalmente em redes de pesca. 

Por mais que entendamos que uma pesca tradicional de subsistência sempre existirá, hoje no mundo não há pesca sustentável para atender a demanda existente no planeta. E devemos SEMPRE nos lembrar que a pesca de animais marinhos significa SEMPRE a retirada de animais selvagens, e a sua consequente devastação de ecossistemas antes equilibrados. Não fazemos isto com os animais selvagens terrestres, mas seguimos com esta prática no mar.

Além disso, já é de conhecimento geral que os apetrechos de pesca são responsáveis pela a maior concentração de macro plásticos no oceano, colocando a vida de muitas espécies de animais – como baleias, tartarugas, golfinhos, tubarões e outros peixes – em risco constante, podendo se emaranhar nestas redes feitas para matar a vida marinha.

A Sea Shepherd NUNCA se manifesta a favor de pesca ou práticas pesqueiras, pois o oceano é um só, e não há nenhuma pesca dita sustentável, ou certificação vigente, que não afete o equilíbrio do oceano como um todo. 

É estimado que em 2048 não haverá pesca, porque não haverá mais peixe para capturar. Para a Sea Shepherd, a melhor maneira de proteger o oceano é deixar o oceano em paz.

2 – A aquicultura não resolve o problema da pesca predatória?

Quanto à práticas de aquicultura, sabemos que há uma consequência direta aos peixes que são cultivados; normalmente eles vivem vidas curtas e miseráveis em tanques pequenos e populosos, que geram uma proliferação de pragas e doenças cada vez mais resistentes ao uso de antibióticos, e que são comumente derramados no oceano, assim afetando as espécies selvagens que não possuem imunidade suficiente para se proteger deste tipo de contaminação. Algumas vezes espécies nativas são colapsadas por causa desses contaminantes despejados na água ou dos próprios peixes de cativeiro que grande parte das vezes são exóticos naquele ambiente, como a tilápia no Brasil ou China, ou o salmão no Chile, os peixes de cativeiro mais consumidos pelo brasileiro. Um exemplo é o declínio do salmão selvagem da costa oeste do Canadá, onde a Sea Shepherd tem a campanha Vírus Hunter, contra a prática de aquicultura de salmão que está afetando também as populações de nativos indígenas, assim como outras espécies como o urso marrom do Alaska.

3 – Existe práticas de pesca sustentável?

Não. Na visão da Sea Shepherd, não existe pesca sustentável no mundo nos dias de hoje.

 

Práticas ditas como sustentáveis são definidas a partir de uma estimativa do limite da exploração de uma determinada espécie de animal marinho que poderá seguir sem afetar a extinção desta espécie.

 

O problema quanto a estas práticas é que neste cálculo não estão inclusas todo o ecossistema em que o animal vive, ou todas as espécies que são afetadas como consequência desta pesca, como outros peixes e animais marinhos seriamente machucados ou mortos nos métodos de pesca deste animal – além disso a pesca dita sustentável ainda deixar de lado o sofrimento que é infligido no animal morto, e nos sobreviventes, como mamíferos marinhos que são conhecidos por ter um elevado nível de senciência, e são conhecidos por experienciar o luto de perder seus familiares mortos emaranhados nas redes de pesca, por exemplo.

 

Saiba mais sobre a opinião da Sea Shepherd sobre a pesca nestes links abaixo: https://seashepherd.org.br/pesca-sustentavel-uma-contradicao/

https://seashepherd.org.br/assisti-ao-seaspiracy-mas-o-que-o-brasil-tem-a-ver-com-isso/

Junte-se a nós

Ajude-nos a proteger o oceano e a vida marinha!