Salve o Boto da Amazônia

Campanha para estudo e conservação dos botos e tucuxis na Amazônia

Sea Shepherd - Expedição Boto da Amazônia

Assista ao mini documentário
sobre esta campanha

No dia 20 de Maio lançamos nosso documentário curta-metragem "Rota Vermelha: Crimes na Amazônia Rio Adentro", que acompanhou a segunda Expedição Boto da Amazônia. Não perca!

Participe da petição
pelos botos da Amazônia

A moratória que proíbe a pesca da piracatinga no Brasil acaba em junho de 2022. Participe de nossa petição e junte-se à luta para solicitar uma lei permanente de proibição desta prática.

Os botos da Amazônia estão em grande risco de extinção. A partir de estudos, estima-se que a população destes botos cai pela metade a cada 9 a 10 anos. Dentre outros fatores, a pesca acessória destes animais, e intencional para uso de suas carnes como isca da pesca da piracatinga, ilegal no Brasil, contribuem com este resultado.

Com apenas R$1 por dia você ajuda a Sea Shepherd e o INPA a seguirem com estudos para a proteção destas espécies na Amazônia.

Seja um patrono com doações mensais à Sea Shepherd.

A Sea Shepherd está na Amazônia desde 2021 para a implementação de um estudo de longo prazo da população dos botos e tucuxis em parceria com o INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia), referência no estudo destes cetáceos. Esta campanha tem como objetivos aprofundar o conhecimento da saúde das espécies para promover a sua conservação, disseminar conhecimento a partir de engajamento educacional com comunidades locais, e expandir a conscientização sobre a preservação destas espécies para o Brasil e o mundo.

A pesquisa da Sea Shepherd é inovadora porque é o primeiro estudo de longo prazo ao longo de vários pontos do rio, e não apenas em uma pequena área, tornando possível uma melhor avaliação do verdadeiro estado de conservação dessas espécies. Este é um estudo populacional de no mínimo três anos abrangendo duas expedições por ano cobrindo quatro pontos estratégicos no entorno do rio Solimões, resultando em um total de seis expedições, 6.600 km mapeados pelos pesquisadores em 110 dias de observação.

O rio Amazonas é a principal artéria para o oceano do mundo. Precisamos com urgência obter dados mais aprofundados e recentes sobre o declínio populacional desses cetáceos para garantir que leis como a moratória da pesca da piracatinga, que está prevista para terminar em julho de 2022, continuem a proteger essas espécies. Devemos agir agora para a proteção dessas espécies ameaçadas.

Fotos: Sea Shepherd / Simon Ager, Cristian Dimitrius, Gleeson Paulino

Junte-se a nós

Ajude-nos a proteger o oceano e a vida marinha!