ANIMAL PLANET TRAZ PARA O BRASIL ‘WATSON’ O DOCUMENTÁRIO PREMIADO SOBRE FUNDADOR DA SEA SHEPHERD

O documentário ‘Watson’, desenvolvido pela mesma criadora de ‘Uma Verdade Inconveniente’, conta sobre as cinco décadas da bravura e dedicação aos oceanos de Paul Watson, ativista ambientalista e fundador da Sea Shepherd.

PORTO ALEGRE – RS – No dia 19 de abril, o filme “Watson”, que conta a história do fundador da organização de conservação da vida marinha Sea Shepherd, o canadense Paul Watson, chega ao Brasil por meio da programação do canal Animal Planet.

Dirigido por Lesley Chilcott, de documentários como “Uma Verdade Inconveniente”, o filme “Watson” é qualificado pelo próprio homenageado como um bom trabalho. “Realmente cobre a minha vida – é mais do que ‘Whale Wars’. São 42 anos de campanha em prol da vida selvagem no oceano”, diz.

O documentário conta em detalhes a história do Capitão Paul Watson, que dedicou sua vida a navegar o mundo para proteger o oceano e seus habitantes.

Ele apresenta Paul Watson como ele realmente é, um tipo diferente de ambientalista que que é tipicamente visto em documentários. Em “Watson,” a diretora Lesley Chilcott – também criadora  de documentários aclamados como o ‘Uma Verdade Inconveniente’ co-criada com Al Gore – apresenta Paul Watson como um ativista marinho que justifica confronto direto em alto mar.

Watson iniciou a organização de conservação marinha Sea Shepherd em 1977. Ele cruzou os sete mares na frota marinha da Sea Shepherd, conhecida como Neptune’s Navy – ou Marinha de Netuno, a reconhecida como a maior frota marinha privada do mundo.  Ele dedicou sua vida inteira a impedir navios baleeiros, de caça ilegal e de pesca ilegal, não reportada e documentada de cometer seus atos criminais, às vezes até colocando seu próprio corpo entre os animais e os arpões. E conforme pode ser visto neste documentário urgente e cativante, este corajoso ‘eco-guerreiro’ ainda continua sendo uma das mais vitais forças no movimento de conservação ambiental. Por mais que ele tenha sido condenado, preso e colocado na lista da Interpol por seu estilo intervencionista, considerando a atual situação, seus métodos parecem ser apropriados para o nível de emergência a qual nos encontramos.

O filme biográfico de Chilcott une uma fotografia de tirar o fôlego, com as lembranças de Watson sobre sua vida e sua missão pessoal de proteger os mares. Famoso pela série “Whale Wars – Defensores das Baleias” Watson iniciou sua vida em uma vila de pescadores no Canadá, e começou sua atividade ambiental soltando castores de emboscadas, e de lá ele nunca parou; se prendendo em navios de caça de focas, se colocando na frente de arpões e jogando seus navio em navios de caça ilegal. Por mais que as imagens abaixo do mar do filme são encantadoras, elas possuem a mesma intensidade que as filmagens arrepiantes das missões de Watson e as cruéis práticas de caça e pesca perpetuada sistematicamente contra os animais marinhos até os dias de hoje.

O documentário, lançado no ano passado, já recebeu reconhecimento internacional e prêmios de respeito como a premiação da ONU ‘Issues and Solutions Award – Biodiversity’ (Prêmio para Problemas e Soluções – Biodiversidade) e o prêmio Zelda Penzel ‘Giving Voice to the Voiceless’ (Dar Voz aos Sem Voz) do Festival de Filme Internacional Hamptons.

Mais Informações

Estréia de Watson no Brasil: dia 19 de Abril na Animal Planet

Watson na mídia internacional

‘Até para os mais céticos sobre as táticas do Watson, ele é bem engajante quando descreve sua preocupação com o meio ambiente, por exemplo quando explica que vendas a curto prazo criam um incentivo para vendedores de peixe a pressionar certas espécies à extinção. O filme pode ser frustrantemente parcial ao Watson, mas não deixa de ser menos urgente’ – New York Times

‘A mensagem em Watson é amedrontadora: Humanos não podem sobreviver na Terra sem o oceano e seu sistema de suporte à vida que torna esta nave espacial habitável (seu monólogo sobre a importância do fitoplâncton é poética e sombria). “Watson” mistura sua mensagem aterrorizante com toques de esperança e triunfo; este fascinante documentário deveria ser conteúdo obrigatório para todos’. – LA Times

Sobre o documentário Watson

Watson é produzido pela Animal Planet, Participant, Terra Mater Factual Studios e Invented by Girls. O filme é dirigido pela Lesley Chilcott, produzido por Louise Runge, Lesley Chilcott, Wolfgang Knöpfler, com Jeff Skoll, Diane Weyermann, Elise Pearlstein, Walter Köhler e Dinah Czezik-Müller como produtores executivos. Conta com Logan Schneider como cinematógrafo e Christophe Beck como compositor. Pela Animal Planet, a produção foi liderada por Erin Wanner, vice presidente sênior de produção.

Sobre a Sea Shepherd

A Sea Shepherd é reconhecida globalmente como a organização mais poderosa e passional da proteção da vida marinha e dos oceanos. Estabelecida em 1977 pelo capitão Paul Watson, a organização sem fins lucrativos está na missão de defender, proteger e conservar os oceanos e a vida marinha. Ela conta com a maior marinha privada do mundo, e lidera campanhas colaborativas de ação direta ‘Pelos Oceanos’. No Brasil ela está presente desde 1998, e conta hoje com ações de ação direta de limpeza de praias, monitoramento do impacto do óleo nos oceanos e de educação ambiental para comunidades menos privilegiadas. Para mais informações sobre a Sea Shepherd Brasil e suas campanhas por aqui, por favor visite o site seashepherd.org.br. 

Sobre a Animal Planet

A Animal Planet é uma das maiores marcas da empresa de mídia Discovery. Com acesso a 360 milhões de casas em mais de 205 países e territórios, é dedicada a criar conteúdo de alta qualidade com apelo global que reflete sua missão de preservar a curiosidade e encantamento com os animais que temos desde crianças. A Animal Planet também é o canal que transmitiu a popular série premiada do Emmy® Whale Wars – Defensores das Baleias, que seguiu o capitão Watson e membros da Sea Shepherd em diversas ações de conservação a bordo de seus navios. Para mais informações, visite www.discoverybrasil.com/animal-planet.

contato: nathalie@seashepherd.org.br

BR (tel): +55 11 98242 4738 /    (WhatsApp) +1 619 518 17 18

Neste verão as BOAS PRÁTICAS são bem-vindas!

Ao desfrutar do verão em praias brasileiras nos orgulhamos das belezas naturais e da biodiversidade do nosso vasto país. Desejamos que sempre mantenham-se conservadas para voltarmos outras vezes! Algumas práticas do dia a dia podem ajudar na manutenção do lugar que estivemos e que queremos voltar, e ainda, a longo prazo, deixar o legado para as seguintes gerações – Vamos conservar o meio que vivemos com mudança de atitude!

Que tal começar o ano mudando alguns hábitos?

Já começando a mudar neste minuto?

Diga NÃO ao plástico de uso único! Outras 5 dicas para você…

DICA 1

Ao se refrescar nos dias quentes tomando aquele delicioso sorvete ESCOLHA a casquinha comestível como recipiente do seu gelato. RECUSE as tigelas plásticas e utilize pazinhas de madeira como colher.

DICA 2

Diga NÃO às sacolas plásticas! Mais de 150 bilhões são usadas pelos brasileiros a cada ano.   Nada mal utilizar caixas de papelão ou sua sacola retornável, mochila ou engradado para carregar suas compras. RECUSE alimentos já embalados em filme plástico. O mesmo para as frutas, verduras e legumes em sacos plásticos.

DICA 3

Pediu comida por telefone? Certifique-se de que o seu fast food não venha embalado em plástico e isopor. Além de prejudicar a saúde com gases tóxicos revelados pelo calor da comida, o isopor e o plástico se decompõem em 200 longos anos. Ao se decompor na natureza, as bolinhas de isopor são confundidas com alimento, assim como o micro plástico, e são ingeridos por baleias, golfinhos, peixes, afetando o sistema digestório. Prefira as embalagens de papel ou papelão para o seu delivery.

DICA 4

NÃO CONSUMA ANIMAIS AMEAÇADOS DE EXTINÇÃO

Gosta de camarão ou cação (tubarão) como petiscos de praia? Você sabia que para cada 1 quilo de camarão 23 quilos de outros animais morrem na pesca de arrasto? Que mais de 100 milhões de tubarões são mortos a cada ano por redes de espinhel? Estas mortes (direta ou indireta) tem efeito devastador causados pela pesca incidental, o bycatch. Somos diretamente responsáveis por consumir animais marinhos desta pesca predatória. As REDES DE PESCA MATAM muito mais do que o oceano produz e o que a sociedade consome, dizimando cardumes inteiros e ecossistemas frágeis.

DICA 5

A BITUCA de cigarro é o item mais encontrado em nossas limpezas de praia. As pontas ou filtros do cigarro são deixados na areia da praia aos milhares como se fossem sementes. Um grande engano para quem acredita que se degradam como sementes… Altamente tóxicos, os filtros de cigarro são feitos de acetato, um tipo de plástico que concentra os mais de 9 mil componentes tóxicos do tabaco.

CUIDE de descartar a bituca em locais adequados pois pode ser reciclada em papel. UTILIZE os cinzeiros de praia espalhados pelas iniciativas de reciclagem do seu município, se não tiver, EXIJA na sua cidade.

2 filtros de cigarro contaminam mais que 1 litro de esgoto

Mude seus hábitos! Recuse, Reduze, Repare, Recicle, Reuse.

Xavier Rudd no Brasil

O cantor australiano Xavier Rudd é um dos maiores apoiadores da Sea Shepherd no mundo. Além de ser um ativista pelos direitos dos aborígenes australianos e a proteção do meio ambiente, ele é um músico multi-instrumentista muito talentoso.

Várias de suas canções falam sobre temas como a espiritualidade, o ambientalismo e causas indígenas.

Ele já esteve a bordo de diversos navios da Sea Shepherd e é um grande amigo do Capitão Paul Watson.

A Sea Shepherd Brasil teve o privilégio de poder participar de dois shows da turnê da América do sul do Xavier.

No dia 25 de novembro de 2019, o cantor e sua banda se apresentaram no Opera de Arame em Curitiba e dia 27 no Áudio Club em São Paulo.

Xavier Rudd no navio da Sea Shepherd, Steve Irwin, durante a campanha para defender a Grande Barreira de Corais da Austrália.

Musica do Xavier "Spirit Bird" sobre a luta dos povos indigenas da Australia, assista o video e reflita!

Spirit Bird

Give it time and we wonder why

Do what we can, laugh and we cry

And we sleep in your dust

Because we’ve seen this all before

Culture fades with tears and grace

Leaving us stunned, hollow with shame

We have seen this all, seen this all before

Many tribes of a modern kind

Doing brand new work, same spirit by side

Joining hearts and hand

And ancestral twine, ancestral twine

Many tribes of a modern kind

Doing brand new work, same spirit by side

Joining hearts and hand

And ancestral twine, ancestral twine

Slowly it fades

Slowly we fade

Slowly you fade

Slowly we fade

Spirit bird, she creaks and groans

She knows, she has seen this all before, she has

Seen this all before, she has…

Spirit bird, she creaks and groans

She knows, she has seen this all before, she has

Seen this all before, she has…

Slowly you fade

Slowly it fades

Slowly you fade

Slowly you fade

Soldier on, soldier on my good country, man

Keep fighting for your culture, now

Keep fighting for your land

I know it’s been thousands of years

And I feel your hurt

And I know it’s wrong

And you feel you’ve been chained

And broken and burned

And those beautiful old people

Those wise old souls have been ground down

For far too long

By that spineless man, that greedy man,

That heartless man

Deceiving man, by government hand

Taking blood and land, taking blood and land

And still they can

But your dreaming and your warrior spirit lives on

And it is so, so, so strong

In the earth, in the trees, in the rocks

In the water, in your blood and in the air we breath

Soldier on, soldier on my good country, man

Keep fighting for your children, now

Keep fighting for your land

Slowly it fades

Slowly we fade

Slowly you fade

Slowly it fades

Give it time and we wonder why

Do what we can, laugh and we cry

And we sleep in your dust

Because we’ve seen this all before

Pássaro Espírito

Dê um tempo, nós queremos saber porque

o que podemos fazer, rir ou chorar

E nós dormirmos em sua poeira

Porque nós vimos tudo isso antes

desaparece a cultura com lágrimas e graça

Deixando-nos atordoados, ocos e com vergonha

Já vimos isso tudo, visto tudo isso antes

Muitas tribos de um tipo moderno

Fazendo um novo trabalho

mesmo espírito a lado e unindo corações e mãos

em fio ancestral, fio ancestral

Muitas tribos de um tipo moderno

Fazendo um novo trabalho

mesmo espírito a lado e unindo corações e mãos

em fio ancestral, fio ancestral

Lentamente ele desaparecerá

Lentamente desaparecerá

Lentamente você desaparece

Lentamente desaparecerá

um Espírito pássaro, ele range e geme

Ele sabe, ele já viu tudo isso antes, ele já

passou por tudo isso antes, ele tem

um Espírito pássaro, ele range e geme

Ele sabe, ele já viu tudo isso antes, ele já

passou por tudo isso antes, ele tem

Lentamente você desaparece

Lentamente ele desaparecerá

Lentamente você desaparece

Lentamente você desaparece

Soldado, soldado do seu bom país, cara

continue lutando por sua cultura, agora

Continue lutando por sua terra

Eu sei que tem passado milhares de anos

E eu sinto sua dor

E eu sei que é errado

E você sente que você foi acorrentado

Quebrado e queimado

E essas pessoas velhas bonitas

As sábias velhas almas foram castigadas

Por muito tempo

Por que o homem é covarde, o homem é ganancioso

o homem é sem coração

o homem é enganado, pela mão do governo

Tomando o seu sangue e a sua terra

E ainda podem

Mas seu sonho e as suas vidas de um espírito guerreiro

E é tão, tão, tão forte

Na terra, nas árvores, nas rochas

na água, no sangue e no ar que respiramos

Soldado, soldado do seu bom país, cara

continuar a lutar por seus filhos, agora

Continue lutando por sua terra

Lentamente ele desaparecerá

Lentamente desaparecerá

Lentamente você desaparece

Lentamente ele desaparecerá

Dê um tempo, nós queremos saber porque

o que podemos fazer, rir ou chorar

E nós dormirmos em sua poeira

Porque nós vimos tudo isso antes

Peixe morto em petróleo

Atuação da Sea Shepherd no Derramamento de Petróleo no Nordeste

A costa nordeste do Brasil está sendo atingida por um desastre ambiental sem precedentes. Como a fonte do derramamento não foi definitivamente identificada, não se sabe quanto mais petróleo ainda alcançará a costa. Até agora, mais de 2000 toneladas de petróleo foram coletadas das praias por voluntários e autoridades. E o petróleo cru continua chegando, tanto em áreas previamente afetadas, quanto em novas áreas.

Até agora, existem 268 praias afetadas pela contaminação por petróleo em nove estados diferentes; e além disso, recentemente também o Arquipélago de Abrolhos, a área com maior biodiversidade marinha de todo o Oceano Atlântico Sul, foi atingido pelos resíduos de petróleo cru, altamente tóxicos.

Mais de 2.355 quilômetros de costa se encontram afetados, 1.200 dos quais são manguezais ou recifes de coral, que são santuários de fauna marinha extremamente vulneráveis.

Há dois meses, os voluntários estão limpando o petróleo cru das praias afetadas e resgatando animais que estão sendo engolidos pelo petróleo.  Essa atividade incorre riscos à saúde das pessoas comprometidas em proteger nossos oceanos.

As autoridades brasileiras têm sido extremamente lentas para responder à tragédia. Se não fosse por voluntários dedicados, muitas vidas marinhas seriam comprometidas.

Apoio ao Desastre de Derramamento de Petróleo no Nordeste.

 

A Sea Shepherd Brasil está engajada no apoio aos voluntários que estão limpando as praias do nordeste brasileiro.

A Sea Shepherd já enviou doações em dinheiro para compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para algumas organizações e civis que trabalham para a retirada das manchas de óleo no Nordeste.

A Sea Shepherd continua recebendo doações para assistir os voluntários das limpezas do petróleo no Nordeste.

Doe para ajudar nas limpezas, resgate de fauna e comunidades que necessitam de assistência.

Por que a Sea Shepherd não está presente no desastre?

A Sea Shepherd Brasil, apesar de fundada em 1999, esteve sem atividades e diretoria constituída no Brasil nos últimos anos. A organização estava inativa no Brasil desde 2017.  A Sea Shepherd Brasil retomou atividades recentemente e ainda não possui núcleos em nenhum estado do nordeste.  Estamos aceitando voluntários! Se você gostaria de se voluntariar, preencha a inscrição aqui

A Sea Shepherd não é uma organização governamental: a Sea Shepherd funciona estritamente com doações de pessoas, seja de tempo (voluntariado) ou de dinheiro para poder realizar ações.

Sem nenhum voluntário presente no Nordeste, a Sea Shepherd Brasil optou pela estratégia de arrecadar fundos para poder auxiliar os voluntários que já estão presentes nos locais atuando diretamente no desastre.

O que a Sea Shepherd está fazendo para ajudar no desastre de derrame de petróleo no Nordeste?

A Sea Shepherd Brasil fez parceria com algumas organizações e civis residentes no Nordeste para poder auxiliar no desastre.

A Sea Shepherd arrecadou e continua arrecado fundos para apoiar os líderes que organizam limpezas de praias afetadas pelo derramamento.

A Sea Shepherd já apoiou com fundos para as descritas atividades:

Recife sem Lixo – projeto de voluntários que está atuando diariamente para coordenar voluntários e limpar a praias afetadas no estado de Pernambuco e distribuir EPIs para os voluntários.

Salve Maracaípe – Projeto que distribui EPIs e alimentos para voluntários e presta treinamento para os voluntários trabalhando nas praias afetadas em Pernambuco e futuramente na Bahia.

Indra Soares – Civil de Salvador, Bahia, que organiza mutirões de limpeza com a prefeitura de Salvador e distribui EPIs em seus mutirões.

Por que vocês não foram lá ao invés de mandar fundos?

A Sea Shepherd Brasil tomou a decisão de não gastar fundos com voos, hotéis, etc, porque estamos em contato com as pessoas descritas acima e algumas outras que estão no local.  A necessidade, especialmente no princípio da tragédia e da mobilização, tem sido de equipamentos e não de pessoas.  A Sea Shepherd é uma organização comprometida com a aplicação de seus fundos para ação direta.  A organização funciona com intuito de aplicar recursos em ações diretas com resultados desde sua fundação.

Como a organização dispõe de poucos fundos, pois retomamos atividades há apenas poucos meses, a Diretoria decidiu ser mais valioso ajudar os voluntários já presentes no local ao invés de gastar fundos com hotéis e passagens.  Se uma pessoa da Sea Shepherd Brasil voasse para o local e consumisse recursos com hotel e alimentação por alguns dias, esse fundo poderia comprar diversos EPIs e alimento para os voluntários que já estão no local e que permanecerão lá, pois são residentes das localidades.  Esses voluntários estão recebendo treinamento e os devidos equipamentos de proteção.

Essa foi a estratégia tomada, em respeito as doações que estão sendo feitas e em respeito a missão da Sea Shepherd de usar nossos recursos para ação direta.

Agora, além de ajudar na despoluição das praias, a Sea Shepherd tem planos de começar a auxiliar algumas instituições e projetos comprometidos em salvamento de fauna.

A Sea Shepherd Brasil ainda tem planos de ajudar algumas comunidades pesqueiras afetadas pelo desastre, que não têm fundos para manterem suas famílias devido a essa tragédia.

Sua doação contribui para todos esses projetos.

Eu quero ajudar, mas não sou do Nordeste. O que faço?

Você pode juntar-se a nós. Mesmo que você não faça parte da Sea Shepherd você também pode doar ou organizar arrecadações na sua cidade.

Você pode organizar eventos de arrecadações:  Jantares (se for no nome da Sea Shepherd, os jantares têm que ser veganos), festas, shows de bandas, ou até uma caixinha na sua escola ou trabalho.  Os fundos direcionados à Sea Shepherd serão repassados integralmente para a causa.

ATENÇÃO: Se você for recolher materiais (ex: EPIs), tenha a certeza que você tem condições de organizar a logística para mandá-los — tanto dinheiro para o frete, como a pessoa para ir ao correio fazer o trâmite.  A Sea Shepherd não se responsabiliza por enviar matérias arrecadadas e é por isso que pedimos doações em dinheiro, pois a logística é mais viável. Alguns materiais podem custar mais caro mandar pelo correio do que comprar no local.

Se você trabalha ou conhece uma empresa que está disposta a fazer uma doação grande de materiais, por cujo frete eles se responsabilizarão, poderemos coordenar isso facilmente. Escreva para seashepherd@seashepherd.org.br

Eu fiz o curso de derramamento de petróleo, como posso ajudar?

Você pode se deslocar até as praias e oferecer seu voluntariado em qualquer das localidades afetadas. Existem limpezas diárias em diversas localidades do Nordeste.

Porque a Sea Shepherd Internacional não manda um navio para o Brasil?

Tanto as Sea Shepherds Internacionais, como a Sea Shepherd Brasil operam da mesma maneira, com doações e voluntários.  Como você, que provavelmente está doando para que a Sea Shepherd Brasil aplique seus fundos para ajudar o desastre do nordeste, outros doadores doam para determinada causa ou campanha. A Sea Shepherd como uma organização sem fins lucrativos tem que aplicar as doações para os fins pelos quais seus doadores querem que sejam aplicados.

Os navios têm programações definidas, com doações estipuladas para tais programações. Adoraríamos poder resolver todos problemas dos oceanos, mas para tal, precisamos de doações e voluntários.

Mandar um navio para o Brasil custaria muito dinheiro, e não seria efetivo para esse desastre. A marinha do Brasil deve atuar nessa frente, e está atuando no momento.

As Sea Shepherds internacionais estão ajudando a Sea Shepherd Brasil a arrecadar doações e a maior parte dos fundos arrecadados e já distribuídos vierem de fora do Brasil.

Doe para ajudar nas limpezas, resgate de fauna e comunidades que necessitam de assistência.

Eu não quero doar para a Sea Shepherd, mas quero ajudar, como faço?

Sea Shepherd Brasil no show do Red Hot Chili Peppers no Rock in Rio 2019

Na noite dessa quinta feira, 3 de outubro de 2019, A banda Red Hot Chili Peppers se apresentou no palco mundo do Rock in Rio.

A banda é apoiadora da Sea Shepherd há muitos anos, porém essa foi a primeira ação da Sea Shepherd Brasil com os Red Hot Chili Peppers. Os músicos apresentaram um vídeo da Sea Shepherd Brasil, introduzindo o trabalho da ONG para um público de 100 mil pessoas que estavam assistindo ao Rock in Rio.

Áudio não sincronizado com o vídeo

A Sea Shepherd Brasil tem um enorme respeito pelos integrantes da banda Anthony Kiedis, Flea e Chad Smith que apoiam nossas ações e são dedicados protetores dos oceanos, além de amigos do Capitão Paul Watson. Ontem, também foi aniversário do guitarrista da banda, Josh Klinghoffer. Parabéns Josh.

Assista na integra ao vídeo da Sea Shepherd Brasil que foi apresentado no Rock in Rio!