Editorial

A Sea Shepherd navega pela controvérsia das estrelas de Cannes

Comentário do Capitão Paul Watson

editorial_110524_1_1_Sea_Shepherd_sails_into_Cannes-largeA Sea Shepherd Conservation Society voltou ao Festival Internacional de Cinema de Cannes, pelo segundo ano consecutivo, com o Steve Irwin.

Agora, por que o nosso navio de luta por conservação iria ancorar ao lado de caros super mega iates na praia onde o festival de cinema acontece? Por que os homens e mulheres que são donos desses iates podem nos ajudar a defender nossos oceanos. Alguns deles o fizeram no ano passado e ainda outros se filiaram a nós este ano. De fato, a Sea Shepherd tornou-se muito bem conhecida no Sul da França e, particularmente, em Cannes.

Também estávamos lá para apoiar a exibição do filme de Peter Brown, o excepcionalmente bom e, o que é irônico, engraçado, Confissões de um Ecoterrorista. Ficou evidente que o título chamou a atenção da crítica, pois os comentários foram extraordinários. Foi uma projeção não oficial e pirata, no Hotel Grey d’Albion, é claro, mas teve melhor crítica do que alguns dos filmes oficiais de grande exibição.

A sessão de exibição do filme estava lotada, com distribuidores demonstrando interesse para os mercados estrangeiros, tudo coisa muito boa, devo dizer. Peter Brown está associado à Sea Shepherd desde 1982 e este filme atesta o tempo, amor e esforço que ele colocou no projeto. O filme foi feito de maneira que somente Peter poderia fazer – com humor e um toque de sarcasmo.

Foto: Deborah Bassett

Foto: Deborah Bassett

Também estávamos lá para promover exposição de fotografias da tripulante brasileira da Sea Shepherd, Bárbara Veiga, que aconteceu em duas galerias diferentes em Cannes. Bárbara foi nossa fotógrafa oficial nas duas últimas campanhas em defesa das baleias da Antártida, bem como da campanha Fúria Azul do ano passado, ao largo da costa da Líbia. Ela é uma fotógrafa excepcional, verdadeira artista, estávamos todos muito orgulhosos de poder estar em sua exposição e promovê-la o melhor que pudemos.

Fiquei impressionado com o número de pessoas que conhecem a Sea Shepherd e o Whale Wars. Fui parado, todo o tempo, nas ruas, para dar autógrafos e tirar fotos. Até o Julian Lennon se aproximou e disse ser fã.

Michelle Rodriguez organizou um almoço beneficente para nós com o entusiasmo que só ela consegue trazer para um evento. Ela também estava girando os discos na festa para o corajoso filme, The Big Fix. Esse filme tomou para si a tarefa intimidante de expor os crimes da British Petroleum no Golfo do México.

Além da festa The Big Fix, também fomos convidados para a festa oferecida pela República Popular da China que, é claro, apresentou os fogos de artifício mais fantásticos que eu já vi, e olha que já vi muitos.

O ponto alto, para mim, foi o convite para ver o filme de Takashi Miike, Ichimei Hara-Kiri: A Morte de um Samurai. O filme, que é baseado no livro de Takiguchi Yasuhiko Ibun Ronin-ki, é um remake do filme de 1962, Seppuku, de Masaki Kobayashi. Este foi um caso de tapete vermelho e me senti muito honrado em poder acompanhar Charli Morgan da The Cult PR de Londres pelo tapete vermelho. Os fotógrafos japoneses, evidentemente, me notaram, mas todos os outros fotógrafos estavam de olho em Charli.

Fomos entrevistados pela Rádio Monaco e a Sea Shepherd apareceu no jornal Nice Matin, além de numerosas outras entrevistas na mídia de todo o mundo.

editorial_110524_1_3_Sea_Shepherd_sails_into_CannesEstávamos com o nosso barco realmente posicionado de maneira excelente para aparecer nas câmeras, quando a imprensa entrevistava as estrelas do Palais du Film, mas fomos forçados a mudar quando o grande iate de Paul Allen, o Octopus, chegou. Ah, bem, de todo modo, ganhamos as câmeras por dois dias.

Em geral, foi um ótimo evento e uma boa oportunidade de promover a Sea Shepherd, mas a melhor parte de tudo foi que não nos tirou de nossa rota, já que estávamos no sul da França nos preparando para a campanha de interceptação de pesca ilegal de atum-azul em águas Líbias.

Depois de Cannes, o Steve Irwin rumou para o oeste, ao largo da costa, até La Ciotat, para ver o Gojira devolvido às águas depois de passar pela doca seca para uma completa revisão, tornando o Godzilla uma entidade muito mais bonita. De monstro a bela… a mudança de nome será oficializada amanhã.

Aguarde o anúncio oficial, amanhã, quando o nome Gojira será aposentado e a nossa nau de escolta interceptadora rápida ganhará um novo nome, bem como um novo visual.

Traduzido por Carlinhos Puig, voluntário do ISSB.

Back to list

Related Posts