Notícias

Operação da Sea Shepherd termina em Tribunal

news_110523_1_1_sting_campaign_ends_in_courtUma operação policial realizada pela Sea Shepherd Conservation Society resultou no processo judicial de um comerciante californiano de frutos do mar, que importava carne de baleia de Tóquio e vendia a restaurantes no interior do Estado americano.

Espera-se que Ginichi Y. Ohira seja declarado culpado. Ele está sendo acusado pelo Tribunal Federal de Los Angeles pela venda de um produto de mamíferos marinhos para fins não autorizados, considerada uma contravenção, em violação à Lei de Proteção dos Mamíferos Marinhos.

Ohira vendeu carne de baleia-sei para o restaurante The Hump do aeroporto de Santa Monica, que fechou suas portas no ano passado, depois que promotores federais acusaram o proprietário e o chef por venderem o mamífero protegido federalmente, de acordo com documentos judiciais obtidos pelo City News Service.

Agentes disfarçados da Sea Shepherd, liderados pelo ativista Zoli Teglas, descobriram a carne de baleia através de várias visitas ao restaurante. Teglas, juntamente com o tripulante da Sea Shepherd, Crystal Galbraith, e o produtor do documentário The Cove, Charles Hambleton, conseguiram realizar a vigilância e documentar a atividade ilegal.

Galbraith carregou pedaços da carne servida no The Hump, que posteriormente foram testados e confirmados serem carne de baleia-sei. As baleias-sei são encontradas em todo o mundo, e apesar de serem uma espécie em extinção, às vezes são caçadas no Pacífico Norte devido a um programa de pesquisa científica japonesa controverso.

Esta evidência levou os investigadores federais dos EUA a entrarem no jogo e o The Hump foi finalmente obrigado a permanecer fechado definitivamente. As acusações contra o restaurante e o chef foram retiradas depois que eles admitiram servir baleia-sei, e prometeram dar uma contribuição substancial para a preservação de baleias e grupos de espécies ameaçadas de extinção.

Em contrapartida, a barganha incluiu identificar Ohira como seu fornecedor, que começou a importar carne de baleia do Japão há 10 anos. Segundo a imprensa, a contravenção acarreta uma pena máxima de um ano na prisão federal, um ano sob liberdade vigiada, e uma multa de 100 mil dólares.

Tradução feita por Raquel Soldera, voluntária do ISSB.

Back to list