Editorial

Operação Tolerância Zero será lançada em 05 de novembro

Pela primeira vez, nossa equipe planeja encontrar a frota baleeira no Pacífico Norte

Comentário pelo Capitão Paul Watson

Capitão Paul Watson. Foto: Björn Lexius Photography

A Campanha da Sea Shepherd Conservation Society para defender as baleias vai começar mais cedo este ano do que em anos anteriores, com o principal navio da Sea Shepherd, o Steve Irwin, programado para partir de Melbourne em 05 de novembro, quando a Operação Tolerância Zero vai começar oficialmente.

A Operação Tolerância Zero será a nona campanha anual no Oceano Austral lançada pela Sea Shepherd Conservation Society. Ao longo destes nove anos, os baleeiros japoneses perderam dezenas de milhões de dólares tentando ilegalmente matar baleias nas águas da Antártida.

Desta vez, ao invés de encontrar a frota baleeira japonesa no Santuário Antártico das Baleias, a Sea Shepherd vai encontrar os baleeiros no Pacífico Norte, fora do Japão.

Este ano, a Sea Shepherd Conservation Society terá quatro navios, um helicóptero, oito pequenos botes infláveis, três drones e mais de cem voluntários internacionais.

Além dos navios Steve Irwin, Bob Barker e Brigitte Bardot, a Sea Shepherd vai apresentar um quarto navio, uma vez que a campanha estiver em andamento. O quarto navio é Sam Simon, nomeado para o produtor de televisão famoso e defensor da vida selvagem. O Sam Simon será implantado no Oceano Antártico para esperar a frota baleeira caso os baleeiros fujam dos outros navios da Sea Shepherd.

O Bob Barker partirá no final de novembro para encontrar os baleeiros e o Steve Irwin no mar, junto com o Brigitte Bardot.

“É hora de trazer esta intervenção Norte, para mostrar aos baleeiros japoneses que pretendemos assegurar que não haverá baleias mortas nesta temporada”, disse o Capitão Paul Watson. “Nós nunca estivemos tão fortes, e os baleeiros japoneses nunca estiveram tão fracos. Precisamos aproveitar os nossos pontos fortes e suas fraquezas e precisamos mandar esta campanha para casa – para o Japão!”

“A frota japonesa está sobrevivendo às custas do povo japonês por causa de verbas maciças de fundos de ajuda doados de todo o mundo para ajudar as vítimas do terremoto e do tsunami de 2011. Precisamos acabar com esse projeto de bem-estar glorificado, e para isso precisamos mais uma vez impedir os baleeiros de quaisquer ganhos ilícitos de suas operações ilegais no Santuário de Baleias do Oceano Austral”, disse o capitão do Bob Barker, Peter Hammarstedt, da Suécia.

“A chave para o sucesso em deter essas atividades baleeiras ilegais no Santuário Antártico das Baleias é basicamente econômica. Nós vamos impedir os seus lucros. Nosso objetivo é afundar a frota baleeira japonesa economicamente – para arruiná-los”, disse o Capitão Paul Watson. “E nós estamos a caminho para fazer isso”.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list

Related Posts