Notícias

Sea Shepherd Brasil perde a sede

CECON fecha e Instituto Sea Shepherd perde sua sede.

CECON fecha e Instituto Sea Shepherd perde sua sede.

A ONG está sem sede e precisa aumentar a arrecadação urgentemente para manter suas ações de proteção à vida marinha.

UM NOVO LOCAL PRECISA SER ALUGADO E O CUSTO OPERACIONAL A PARTIR DE AGORA DISPARA PARA R$1 MIL MENSAL.

Desde o dia 31 de agosto de 2009, a ONG está sem a sede em Porto Alegre que vem sendo utilizada para organizar as ações no país. O espaço era cedido em regime de comodato pela Fundação Conesul de Desenvolvimento, além do fornecimento de energia elétrica e acesso à Internet gratuitamente. Devido à crise econômica mundial, o local esta sendo desativado.

No último semestre, a ULBRA (Universidade Luterana do Brasil) decidiu não investir mais em cursos de extensão por meio da Fundação Conesul. Isto criou um efeito em cadeia, causando o fechamento do centro de ensino da Fundação onde ficava o espaço operacional do Instituto Sea Shepherd.

“É realmente uma tragédia ver um espaço onde voluntários de todas as idades e diferentes profissões uniam seus esforços para um objetivo comum ser completamente desmantelado,” comenta Daniel Vairo, diretor geral voluntário do Instituto Sea Shepherd Brasil.

SEM NADA – Os móveis, propriedade da Conesul, serão vendidos, como as mesas e cadeiras, a fim de arrecadar recursos para cobrir despesas da Fundação.

“Quem puder ajudar com a compra destes moveis será de grande ajuda para a montagem do novo escritório. Há falta até mesmo de blocos de papéis e caneta, além de computadores,” diz Roberta Policarpo, estagiária e coordenadora da lojinha virtual da Sea Shepherd. “Estamos fazendo uma “vaquinha” e aceitando doações pelos nossos sites.

UMA DÉCADA DE LUTA – O trabalho de “formiguinha” vem gerando resultados duradouros e durante este tempo, uma rede nacional de voluntários capacitados para agirem em caso de derrames de petróleo se formou. Através do curso denominado Ações para salvar animais marinhos em derrames de petróleo, mais de 3.000 de pessoas de 10 estados brasileiros e diversas entidades privadas, governamentais e do publico em geral receberam o treinamento para servirem como agentes multiplicadores deste conhecimento.

“Em 1999, quando o Brasil resolveu abrir áreas de exploração de petróleo para o setor privado mundial, o conhecimento de como agir em casos de emergência com o derramamento de petróleo era praticamente inexistente. Hoje graças ao trabalho desenvolvido pelo Instituto Sea Shepherd, o Brasil possui um pequeno exército de cidadãos prontos para agirem nestes casos,” lembra o biólogo e diretor técnico voluntário Wendell Estol.

Foi em 2001 quando a Sea Shepherd Brasil moveu a primeira ação civil pública no Brasil contra uma empresa que praticava a pesca ilegal de arrasto. A batalha judicial que hoje é referencia em toda a America latina e tombado como patrimônio histórico pela Justiça Federal durou mais de oito anos e chegou até o Supremo Tribunal Judicial, abrindo precedente histórico na luta contra a pesca predatória.

A militância de seus voluntários e o ativismo da organização no Brasil inspirou a formação de duas outras organizações ambientais – o Instituto Justiça Ambiental e o Instituto Ilhas do Brasil – instauradas por voluntários do Instituto Sea Shepherd Brasil.

“Mesmo sabendo que talvez não seja possível continuar a fazer tudo o que queremos através do Instituto Sea Shepherd, tenho grande orgulho de saber que nosso trabalho de base já rendeu frutos e a bandeira da organização já esta sendo levada adiante por outros nobres Guerreiros da Terra,” comenta Daniel Vairo cofundador da Sea Shepherd no Brasil.

CONTAS A PAGAR: Aluguel da nova sede pleiteada R$620 mensais; internet e telefone R$150; energia elétrica R$80.

Back to list

Related Posts