Destaque, Notícias

Carta do Capitão para o Primeiro Ministro Japonês

Tradução: Igor Ramos, voluntário ISSB

O fundador da Sea Shepherd, Capitão Paul Watson, escreveu uma carta pessoal para o primeiro ministro Japonês, Shinzo Abe durante a sua visita à Australia.

 Na copia abaixo, o Capitão questiona, em nome dos voluntários, a respeito da decisão da Corte Internacional de Justiça, das duas moratórias e da pesca comercial no Santuário Antártico.

Paul também afirma que a Sea Shepherd não encerrará suas campanhas no Oceano Antártico e que a campanha “relentless” nunca terminou. “Se a frota baleeira Japonesa retornar ao Santuário Antártico em 2015, os navios e todos seus tripulantes (voluntários) estarão esperando para impedir a Pesca ilegal – assim regulamentada pela CIJ (Corte Internacional de Justiça).”

Capitão Paul Watson agindo como observador durante a campanha Tolerância Zero. Foto: Sea Shepherd

 Essa carta foi entregue diretamente para o primeiro ministro Abe pelo Senador Peter Whish-Wilson durante o jantar para Senadores e membros do Congresso na Austrália. A Sea Shepherd continua aguardando uma resposta.

Leia a carta abaixo:

 8 de Julho de 2014

 Caro primeiro ministro Shinzo Abe

 Desde 2002, a Sea Shepherd tem batalhado contra caçadores japoneses ilegais no Santuário Antártico das Baleias.

 Nós temos um total de 10 campanhas realizadas com auxilio dos nossos navios e de nossas tripulações voluntárias internacionais.

 Durante esse tempo, fiquei imensamente orgulhoso de ter conseguido impedir a morte de milhares de baleias e ainda mais orgulhoso por ter conseguido isso sem machucar nenhum tripulante japonês. Nós acreditamos no “santuário da vida” e devo ressaltar que nunca machucamos nenhum ser humano em todas as nossas campanhas.

 Os voluntários da Sea Shepherd vão para o Oceano Antártico para defender a integridade do Santuário Antártico das Baleias. Nós contamos agora com o veredito da Corte Internacional de Justiça afirmando que os baleeiros japoneses sempre foram ilegais, desde a primeira caça em 1987. Nós acreditamos que esse veredito reforça a posição da Sea Shepherd por mais de uma década.

 Seu governo, inicialmente, afirmou que respeitaria a decisão da Corte, contudo, esse período mal começou e já é a intenção do Japão desobedecer as leis e retornar a caçar ilegalmente no Oceano Antártico em 2015.

Em nome dos voluntários da Sea Shepherd ao redor do mundo, eu gostaria de respeitosamente solicitar que o Japão obedeça a decisão da CIJ e ambas as moratórias em vigor e não retome sua caça ilegal e comercial no Santuário Antártico das Baleias.

Caso a frota baleeira retorne ao Santuário em 2015, os navios e seus tripulantes voluntários retornarão para garantir que nenhuma lei seja quebrada e nenhuma decisão desobedecida.

 O Japão não tem qualquer justificativa tradicional ou direito de caçar no Oceano Antártico. O Japão não tem direito de caçar baleias ameaçadas de extinção – Fin e Cachalote – e nem o direito de caçar em águas territoriais Australianas.

 A Sea Shepherd não é contra o Japão. Na verdade, temos muito respeito pela cultura Japonesa e suas tradições. Temos muito japoneses trabalhando como voluntários em nossas campanhas.

 A Sea Shepherd se baseia no fato de que é ilegal a pesca baleeira comercial e de que é ilegal matar baleias no Santuário reconhecido Internacionalmente.

 Não há necessidade desse conflito continuar. O Japão não necessita matar baleias. O fato é de que a pesca continua apenas por causa dos subsídios do governo

 Em troca do fim da pesca de baleias, o Japão ganhará o respeito dos ativistas e protecionistas ao redor do mundo.

 As baleias já sofreram por muitos séculos. Está na hora da humanidade encerrar toda e qualquer brutalidade contra estes animais. Está na hora da humanidade protegem a vida e a diversidade das espécies no planeta Terra.

 Eu gostaria de ver o Japão se tornam um grande incentivador da proteção maritima e perder a fama de que é um país que apenas retira dos oceanos nem nada lhe devolver.

 Nossos oceanos estão morrendo sr. primeiro ministro, e se nossos oceanos morrerem, nosso destino não será diferente. Nós não podemos viver nesse planeta com um oceano morto.

 Eu gostaria de ver um mundo onde o Japão é uma parte da solução para salvarmos os oceanos e não uma ameaça a ser detida.

 E uma boa coisa a se fazer é aceitar a decisão da CIJ e cancelar toda e qualquer operação pesqueira ilegal em águas internacionais.

Pelos nossos oceanos e pelas baleias,

 

Capitão Paul Watson

Fundador (1977) da Sea Shepherd Conservation Society

 A carta original se encontra no endereço: http://www.seashepherd.org.au/images/stories/news/2014/news-140709-1-open-letter-to-Japanese-PM.pdf

Back to list

Related Posts