Destaque

Santa Catarina recebe o I Festival Sea Shepherd de Rock do Brasil

Por: Rafael Alves (Rassa), voluntário Núcleo SC

Florianópolis foi o palco do I Festival Sea Shepherd de Rock do Brasil, no dia 2 de novembro, e contou com a participação de dez bandas, de Florianópolis/SC, Rio do Sul/SC, Porto Alegre/RS e Hamburgo/Alemanha. Este evento teve como objetivo arrecadar fundos para a compra de uma viatura de resgate de animais marinhos e divulgar os trabalhos da ONG, além de promover uma integração com as bandas de rock locais e proporcionar um espaço para que elas possam se apresentar.

Núcleo SC. Foto: Gabi Stoffel

O local escolhido foi um sítio na Costa de Dentro, a 30km ao sul do centro de Florianópolis. Os shows começaram pontualmente às 15h e se sucederam nas horas cheias até a 1h da manhã, cada banda dispondo de uma média de 45 minutos de show. A banda que inaugurou o festival foi a gurizada do Del Gados, trio de punk rock autoral de Floripa, seguida pela Lixo Orgânico, banda também de punk rock com músicas próprias, mas com um som um pouco mais pesado, com a maioria das músicas instrumentais, com guitarra, baixo, bateria e trompete. Às 17h foi a vez da Esquadra Cósmica, banda local de rock progressivo nacional, também de composições próprias.

Foto: Gabi Stoffel

A partir das 18h, três bandas de covers variados agitaram o público. Primeiro, a Sylvester Stallone, que tocou clássicos do Black Sabbath, Deep Purple e Pink Floyd. Às 19h, a The Monhos, banda dos organizadores da festa Hugo e Rafael Alves (Rassa), trouxe um rock “sessentista”, tocando The Animals, The Doors, Deep Purple (fase Rod Evans), Cream e outros clássicos, embora a escolha do repertório tenha privilegiado menos os hits do que as músicas “lado B”.

The Monhos. Foto: Núcleo SC

 

Na sequência, a banda TONE veio de Porto Alegre e fez uma apresentação em dois atos: no primeiro, o vocalista da Stallone (Dedé Santana) cantou clássicos da banda Captain Beyond; no segundo, foi a vez do front man da The Monhos assumir os vocais num tributo ao álbum Tommy, do The Who. A partir das 21h, mais três bandas autorais entraram no palco: primeiro a Homem-Lixo, conhecida banda de punk rock de Rio do Sul/SC, empolgou os presentes, que pulavam e fizeram uma grande roda punk na frente do palco; depois, às 22h, a banda mais aguardada da noite, Frank e os Caralhos, apresentou as excelentes composições do alemão Frank Horst em estilo hard rock e country punk (existe outra banda de country punk??). Às 23h, foi a vez de Domingos e os Feriados agitarem e muito o público presente.

Foto: Gabi Stoffel

Para fechar a noite, a banda Ozintrusos apresentou principalmente clássicos do Creedence Clearwater Revival. Paralelamente aos shows, voluntários da ONG cuidavam da limpeza, segurança e organização do evento, além de expor produtos da Sea Shepherd. No Bar foi vendido além de bebidas diversas, alimentos veganos, que fez um grande sucesso entre os presentes. Também foi montado um mini-estúdio de tatuagem, onde o tatuador-voluntário Arnon Côrte Real, ofereceu seus serviços em prol da causa. Com o sucesso da primeira edição, a segunda edição já está , na mesma época do ano, mas não definiram ainda nada sobre datas ou bandas. Melhor é aguardar por novidades na página da Sea Shepherd Brasil e no seu perfil do Facebook.

Foto: Núcleo SC - Hugo Malagoli e Renata Fortes.

Agradecimento especial aos voluntários que trabalharam no festival, Jaqueline Ferreira, Jackson Olivo, Marina Soares, Arnon Côrte Real, Flavia Rodriguez, Nayara Franz, Gabriela Decker Sardinha, Renan Ozekoski, Camila Argenta, Dimitri Viana, Rodrigo Marques (Nucleo RS), Renata Fortes, Jackson Santos, Cláudia Carvalho Hermes Hagedorn Jr.  e Gabi Stoffel.  Muito obrigado a todos que apoiaram esta atividade.

Back to list

Related Posts