Notícias

Navios da Sea Shepherd interceptam o Nisshin Maru – caçadores de baleia começam a correr

O capitão Peter Hammarstedt no Bob Barker. Foto: Glenn Lockitch

Ontem à noite, às 23:30 horas, liderado pela Sea Shepherd Austrália, o navio da Sea Shepherd, o SSS Bob Barker encontrou o Nisshin Maru e começou a perseguir o navio-fábrica japonês. O navio de proteção japonês Shonan Maru 2 acudiu o Nisshin Maru e se aproximou do Bob Barker, seguindo a uma distância de 2 quilômetros.

Um dia antes, o navio da Sea Shepherd Austrália, o SSS Brigitte Bardot havia encontrado o navio arpoador Yushin Maru 3. O Yushin Maru 3 foi em direção oeste, e então se dirigiu para o sul, até deixar o Brigitte Bardot fora da pista do Nisshin Maru. No entanto, o Brigitte Bardot decidiu seguir o Yushin Maru 3 para forçá-lo a deixar o máximo de distância possível entre ele e o Nisshin Maru. O Yushin Maru 3 está agora a 400 milhas do Nisshin Maru.

A frota baleeira ainda não matou uma única baleia. Todos os quatro navios da Sea Shepherd estavam guardando o confronto para o Santuário de Baleias do Oceano Antártico, e a interceptação foi feita antes da frota poder entrar na área de matança.

O co-líder da campanha e Diretor da Sea Shepherd Austrália, Jeff Hansen, declarou: “Temos a confirmação visual da tripulação do Brigitte Bardot de que o arpão no Yushin Maru 3 está sob uma lona e não foi carregado, o que significa que a frota ainda não começou a disparar seus arpões”.

A frota baleeira japonesa está agora dispersa e sendo perseguida pela frota da Sea Shepherd.

O co-líder da campanha, Bob Brown, declarou: “As primeiras 24 horas de contato com os caçadores de baleias tem sido uma vitória para a Sea Shepherd e uma perda total para a frota baleeira japonesa. Tenho o prazer de informar que nem uma única baleia foi prejudicada até agora. Vamos, Sea Shepherd!”

Mais um dia e o mês de janeiro será um mês livre de baleias mortas, marcando a primeira vez que nenhuma baleia foi morta neste mês de pico da caça à baleia.

Com a sua frota ainda mais forte com quatro navios, a Sea Shepherd Austrália este ano tem o poder de parar a caça de baleias pela frota japonesa completamente, que continuam as operações ilegais desafiando uma decisão do Tribunal Federal da Austrália de 2008, que proibiu suas atividades de caça no Oceano Antártico. Os navios da Sea Shepherd pretendem manter os caçadores de baleias correndo e divididos. Todos os navios da Sea Shepherd têm combustível para permanecer no Santuário de Baleias da Antártica até o final da temporada de caça às baleias e o Operação Tolerância Zero continua no alvo.

O Yushin Maru 3, visto do SSS Brigitte Bardot. Foto: Agar Simon

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list

Related Posts