Notícias

Ibama fecha fábrica de processamento de barbatanas de tubarão

Agentes do Escritório Regional do Ibama, com sede em Rio Grande, em operação conjunta com policiais do Batalhão de Polícia Ambiental da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, embargaram, no início da noite de quinta-feira, 19, uma fábrica de processamento de barbatanas de tubarão e raia. No local, havia 3.300 quilos de barbatanas, algumas in natura, outras secas e outras congeladas, entre as quais parte é pertencente a espécies ameaçadas de extinção, como cação-anjo (Squatina guggenheim), cação-cola-fina (Mustelus schimitti) e raia-viola (Rhinobatos horkelii). A unidade industrial, localizada na rua Conselheiro Teixeira Júnior, no bairro Cidade Nova, foi embargada e lacrada. Só de cação-anjo foram encontradas barbatanas de 12.065 exemplares.

O proprietário do local foi autuado e multado em R$ 100 mil por não ter licença ambiental para funcionamento da fábrica (a licença do ano passado já está vencida) e ainda por crime ambiental, devido às espécies ameaçadas de extinção, cuja multa atingiu o valor de R$ 6.037.500 (a multa é de R$ 5 mil, mais R$ 500 por exemplar apreendido). Ele também recebeu multa no valor de R$ 43,7 mil por comercializar espécies provenientes de pesca proibida. Na quinta-feira, o proprietário foi detido pelos policiais militares que participavam da inspeção e encaminhado à delegacia da Polícia Federal, onde ele foi ouvido e após liberado.

Das barbatanas apreendidas, 3.000 quilos ficaram na câmara fria da empresa e o restante (as secas) foram armazenadas na sede do Escritório Regional do Ibama. O destino dos produtos apreendidos ainda não foi definido. O dono da fábrica responderá três processos administrativos junto ao Ibama, além do criminal. O crime ambiental foi constatado durante inspeção realizada pelo Ibama com os policiais que participaram do 1º Curso de Identificação das Espécies de Tubarões e Raias (elasmobrânquios), promovido nos últimos três dias pelo Escritório Regional do Ibama, com apoio do Laboratório de Elasmobrânquios do Departamento de Oceanografia da Universidade Federal do Rio Grande (Furg).

O curso objetivou capacitar os agentes de fiscalização para a identificação das diferentes espécies de tubarões e raias que ocorrem na costa do Rio Grande do Sul, ameaçados de extinção ou não, e também para coletar fotografias e amostras para análises periciais que subsidiarão os processos penais. Participaram 15 policiais que atuam na região metropolitana de Porto Alegre, litoral norte e litoral sul. As aulas foram ministradas pelo chefe do Escritório Regional do Ibama, Sandro Klippel, pelo professor Carolus Maria Vooren, da Furg, e Mônica Brick Peres, da Fepam.

Fonte: Jornal Agora, Carmem Ziebell

Back to list

Related Posts