Marcha Pelos Oceanos – Um Movimento Mundial

A Marcha pelos Oceanos, que aconteceu no Rio de Janeiro um dia depois do Dia Mundial
dos Oceanos, agregou a Sea Shepherd Brasil e muitos outros participantes que
marcharam neste movimento global na conservação do ambiente marinho. A marcha já
ocorre em diversas cidades do mundo e no dia 9 de junho no Brasil foi a sua primeira
edição.

Praia do Leme

Participantes e cartazes da Marcha Pelos Oceanos

 

Várias atividades ocorreram durante o dia. A ação tornou-se um dia divertido, com
confecção de cartazes, bloco de música na marcha e muita consciência coletiva para a
conservação dos oceanos. Foi o momento de gritar, cantar, pintar, marchar para expor
artisticamente a opinião de muitos contra o lixo marinho.

 

Todos preparados para a fazer os cartazes.

Para o bloco da marchinha Marcha Pelos Oceanos.

Teatro infantil na Marcha Pelos Oceanos

 

A marcha no calçadão do Leme a Copacabana.

 

 

Voluntários Sea Shepherd Brasil no Rio de Janeiro na Marcha Pelos Oceanos.

 

A Marcha Pelos Oceanos – Um movimento global

Esta ação contou com a participação de várias entidades, parceiros, amigos, família e
foi especialmente organizado pelo WWF Brasil, o qual agradecemos o convite e
participação.

Por WWF Brasil
A Marcha pelos Oceanos é um projeto da sociedade civil para chamar a atenção da
saúde do planeta. Mais de 70% da superfície da Terra são oceanos e neles são
produzidos mais de 60% do oxigênio que respiramos. Desta maneira, lutar por oceanos
saudáveis é lutar pela nossa sobrevivência.
Apesar dessa importância, pouco tem sido feito pelos nossos oceanos, por
desconhecimento ou negligência. O que se sabe é que está na hora de mudar essa maré!

 

Cartaz Marcha Pelos Oceanos por um mar livre de plástico

Dizendo não
– aos sistemas de tratamento ineficientes de resíduos
– à poluição dos rios e mares
– ao uso indevido e supérfluo de plástico

Dizendo sim
– à responsabilidade corporativa pela poluição plástica
– à proteção das comunidades costeiras
– a um oceano saudável e água limpa para todos

 

PELOS OCEANOS !!

Cleanup de Praia e Cachoeira em Ilhabela teve Participação de Voluntários no Litoral Norte de São Paulo

No último domingo os voluntários do Instituto Sea Shepherd Brasil reuniram-se para mais um dia de limpeza de praia, cachoeira e conscientização ambiental da Campanha Marine Debris Sea Shepherd. A ação teve participação dos parceiros Mar e Vida Ecotrip, Colonial Diver e simpatizantes em nossa missão em conservar a vida marinha. Estas ações diretas de limpeza de praia acontecem diariamente ao redor do mundo com grupos de voluntários comprometidos e apaixonados pelo mar.

Grupo final na Praia do Curral em Ilhabela. Sea Shepherd Brasil, Mar e Vida Ecotrip e Colonial Diver

 

Lixo coletado em exposição

Foram mais de 1.200 metros de cachoeiras do Curral percorridos, 400 metros de faixa larga de areia de praia além do costão rochoso.

1.200 metros de Córregos de Cachoeira foram percorridos

 

Do rio da cachoeira ao mar na coleta de lixo na Praia do Curral, Ilhabela/SP

Ilhabela sofre com o lixo plástico em suas belezas naturais. Suas praias e cachoeiras sofrem com o lixo deixado pelas pessoas que ali vivem e visitam. Muito dos detritos de praia encontrado foi descartado de forma irresponsável. O plástico está em todo o lugar! Recolhemos sacolas plásticas de supermercado da região, embalagens de alimentos, canudos, 36 garrafas grandes plásticas de refrigerante, 339 pontas de cigarro, 27 latinhas, vidros, tecidos, pedaços de plásticos em várias formas, 2 pipetas de droga e mais de 150 metros de canos de captação de água abandonados na cachoeira. Além dos canos soltos, foram mais de 10 sacos de 30 kg cheios de pequenos e médios detritos recolhidos por um pequeno grupo de voluntários.

Final da tarde ainda separava-se o lixo.

 

Um grupo pequeno uniu-se num domingo de sol para tirar lixo de praia e cachoeira

Neste dia foi importante refletir ainda mais sobre os maus hábitos da sociedade e tivemos a sensação de que cumprimos nosso dever, em compartilhar com as pessoas que nos abordavam, o quanto é importante #Reduzir as embalagens plásticas. #Recusar o uso de utensílios plásticos de uso único. #Reutilizar o que não conseguiu reduzir ou recusar para só depois #Reciclar, pois esta é a última alternativa, já que também consome recursos naturais como água e energia para a sua produção.

 

Costão rochoso ao final da limpeza da cachoeira.

A Campanha Marine Debris da Sea Shepherd busca mudar esta situação, que é algo que está cristalizado em nossa cultura e devemos mudar. Combata o lixo plástico em nossos oceanos! Isso depende de mudança de atitude individual e ação contínua. Hábitos saudáveis traz saúde para todo o ecossistema marinho e vivemos melhor neste planeta azul que chamamos de lar.

Sea Shepherd Brasil – Núcleo São Paulo.
Maio de 2018

Em comemoração ao Dia da Terra, voluntários do Instituto Sea Shepherd Brasil fazem limpeza de praia no litoral Paranaense

No dia 22 de abril de 1970, por meio de um movimento que surgiu nos EUA de pessoas preocupadas com as questões ambientais, foi institucionalizado o Dia da Terra. Todos os anos são realizadas ações ao redor do mundo nessa data para comemorar esse dia tão importante.

Com o intuito de também fazer parte desse movimento global, no último domingo, Dia da Terra, o Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo Paraná realizou uma ação na praia de Brejatuba, em Guaratuba, cidade litorânea que fica à cerca de 130 Km de Curitiba.

A ação contou com a presença de 14 voluntários do Núcleo PR e teve duração de quase duas horas. Nesse curto período de tempo foi possível recolher lixo suficiente para encher 15 sacos de feira, reaproveitados do descarte de verduras, com o intuito de não gerar mais lixo.

Dentre o lixo que foi tirado da praia, tanto na areia quanto na área de restinga, a maior parte era plástico de todos os tipos e tamanhos. Copinhos, sacolas, garrafas PET, canudos, tampinhas e até parte de uma fuselagem de carro. Também tinha muito microplástico, pequenos pedaços plásticos resultantes da degradação que ocorre quando pedaços maiores são expostos à radiação solar, chuva, vento e outros fatores.

Além do plástico, também foram encontradas latinhas de cerveja e refrigerante, artigos de higiene pessoal, roupas, uma vassoura, chinelos, partes de brinquedos, embalagens de comida, pedaços de isopor, guarda-chuva, uma cadeira de praia, isqueiro e muitas bitucas de cigarro. Ou seja, uma variedade muito grande de materiais, o que demonstra a falta de respeito das pessoas para com a natureza, descartando o lixo sem a menor preocupação com os efeitos que o mesmo causa ao ambiente, animais marinhos, aves e aos próprios seres humanos.

É preciso que as pessoas tenham mais consciência de seus atos e se preocupem mais com o meio ambiente, porque se as coisas continuarem como estão, as consequências podem ser devastadoras e se tornarem irreversíveis. Devemos manter as praias e o ambiente marinho limpo. Atitudes como descartar seu lixo corretamente e reciclar seus resíduos podem ter grandes resultados para o equilíbrio da vida marinha.

O núcleo Paraná conta com diversos voluntários que se encontram mensalmente para discutir as próximas ações (palestras, eventos, mutirões de limpezas de praias). Se você quer conhecer um pouco do que fazemos, entre em contato através do e-mail nucleopr@seashepherd.org.br.

Sea Shepherd Brasil apresenta-se em escola do ensino fundamental em Mauá/SP

No último dia 13 de março na Escola Estadual Ariovaldo Pupo Amorim em Mauá/SP a Sea Shepherd Brasil participou da Semana dos Animais promovida pela Proteção Animal de Mauá-SP com uma apresentação para a turma do 9º.ano.

Voluntária Dayuri Priolean apresentou a história e as ações da Sea Shepherd no Brasil e no mundo.

 

Os alunos da faixa etária entre 13 e 14 anos puderam conhecer o trabalho da Sea Shepherd através da apresentação voluntária ao grupo de alunos e professores.

Na oportunidade puderam saber mais sobre o movimento global em defesa, conservação e proteção dos oceanos, bem como as atividades de limpeza de praia e práticas mais sustentáveis contra o lixo plástico nos oceanos. Souberam também que a Sea Shepherd além de retirar detritos marinhos das praias e petrechos de pesca dos oceanos, também promove alternativas para sanar essa problemática. São através das apresentações, ações e atividades educativas que a Organização leva a informação a todos os meios de comunicação agregando simpatizantes e voluntários à causa.

Os alunos do 9º. Ano souberam mais sobre a importância de cuidar dos oceanos.

Os vídeos apresentados destacaram a importância da preservação dos oceanos o que motivou os alunos, que se mostraram muito interessados sobre os problemas e soluções abordados. Na apresentação, muitas das questões abordadas foram para suprir a carência de informações sobre os problemas relacionados ao mar. Os participantes entenderam os danos causados pela quantidade de lixo depositados no mar e as consequências dessa poluição na vida dos animais marinhos e seres humanos.

Com isso, os alunos saíram mais conscientes do dever de cuidarmos do nosso meio ambiente, em especial a vida saudável nos oceanos.

Limpeza de Praia e Práticas Sustentáveis são Realizadas em Santos SP Contra os Utensílios de Plástico de Uso Único

Em tempos de consumo plástico e bem-estar humano a vida marinha tem pago um preço altíssimo: a degradação do seu ecossistema com lixo.

A Sea Shepherd na campanha Marine Debris Campaign enfrenta o problema em suas limpezas de praia e mar ao redor do mundo. E em Santos, no litoral paulista, não foi diferente! Voluntários da Sea Shepherd Brasil e  simpatizantes encontraram-se na Praia Aparecida – canal 5 para mais um dia de educação ambiental.

A ação na praia visou alertar as pessoas da importância de jogar lixo no lixo e ainda conversar com os banhistas sobre alternativas e práticas mais sustentáveis ao reduzir, recusar, repensar e reusar embalagens e utensílios de uso único do dia a dia.

Na Praia Aparecida a voluntária Mara Lott de SP, inicia os trabalhos estendendo a bandeira Sea Shepherd.

 

Preleção da atividade do dia com os voluntários na areia da praia de Santos, litoral de São Paulo

 

Na preleção, as informações passadas foram sobre os materiais que os voluntários iriam encontrar na coleta. Muitos desses materiais são compostos de plástico, principalmente os utensílios de uso único, bem comum nas praias, como as sacolas plásticas, canudos, embalagens de alimentos, tampinhas de garrafas, bitucas de cigarro, latas de bebida.

A coleta ocorreu na beira d`água da orla da praia, local onde o lixo foi devolvido pelo mar na maré alta.

Durante a manhã, os voluntários se organizaram para ajudar na limpeza e iniciar dos trabalhos.

 

Voluntários em dupla coletando o micro lixo na beira d´água.

 

A variedade de material à beira mar impressiona

 

7 quilos de micro lixo (pedaços de material com menos de 2,5 cm. )

 

Abaixo listamos os resíduos coletados em 1 km. de extensão em apenas 1 hora de trabalho com 14 voluntários.
261 tampinhas de garrafa
164 bitucas de cigarro
188 canudos 
126 pedaços de isopor 
59 pinos de droga 
35 garrafas plásticas
29 pedaços de madeira
27 tampas de alimento
24 embalagens de alimento 
20 chinelos 
09 isqueiros
05 camisinhas
04 bexigas
04 brinquedos de praia
03 pentes de cabelo

Ao final da coleta, o material misturado foi separado e catalogado para as informações do banco de dados mundial

Mas o dia não foi só de coletar lixo! Na tenda armada na areia, as boas práticas sustentáveis foram o foco da conversa com quem visitava o stand. Na oportunidade foi possível alertar sobre não usar embalagens plásticas e os utensílios de uso único, como também materiais nocivos ao meio ambiente que devem ser recusados e substituídos por alternativas igualmente eficazes. Na mesa de boas práticas que é instalada nas limpezas de praia, os materiais foram expostos na intenção de ilustrar as más práticas como também mostrar as opções mais sustentáveis, como as sacolas retornáveis de papel e tecido, talheres de metal ou bambu, esponja natural, canudos de papel, sabão em barra e em pó, recipientes para líquido de metal e muito mais.

 

Em nossas limpezas de praia a mesa de boas práticas é sempre presente para a conscientização dos banhistas

 

Esta é uma atividade que toda família pode participar.  É uma ótima oportunidade de trazer seus amigos e familiares para juntar-se a nós na luta contra um dos maiores problemas enfrentados pelos nossos oceanos – a poluição plástica. Hoje são cerca de 5 trilhões de material plástico no oceano! Somos responsáveis por isso e devemos fazer a nossa parte em reduzir drasticamente o uso do plástico e dos utensílios de uso único.

Os oceanos estão surfando com o plástico, matando animais selvagens marinhos sem distinção. Estima-se que mais de 1 milhão de aves e 100 mil animais marinhos morrem todos os anos por ingerir resíduos plásticos pois os confundem com alimentos. Ao se alimentar plástico, estes não o conseguem digerir ou eliminá-lo e o plástico se acumula no estômago, o que em breve, os levam para uma morte lenta e dolorosa por fome.

Aos seres humanos, os danos não são menores. Grandes quantidades de peixe e frutos do mar contêm restos de plástico ou material fibroso em suas estruturas, que absorvem toxinas que fazem mal à saúde. Cada pedaço de lixo que você não descartou ou removeu da praia pode ter salvado uma vida.

Não basta reciclar. A reciclagem é a última opção. Recusar, reduzir, reusar, restaurar e  refazer para só depois reciclar! No Brasil, somente 3% do lixo é reciclado pois muito ainda é preciso transformar. Os plásticos mais utilizados no dia a dia não reciclam, como é o caso das sacolas plásticas e filme plástico que protege os alimentos.

Neste caso, enterrado na areia, o saco plástico é o maior vilão para as tartarugas e baleias

Pelo menos 8 milhões de toneladas de plástico são lançados no oceano todos os anos poluindo também os lugares mais remotos. O plástico é um material artificial que não é biodegradável. Ao longo do tempo, o plástico é transformado em micro plástico e vai ficando cada vez menor que se mistura na cadeia alimentar que é consumido pelos animais marinhos e também pelos os seres humanos.  Os pequenos animais e micro-organismos não são capazes de digerir plástico e transformá-lo em outro material. Assim, o plástico permanece no ecossistema para sempre como uma substância não natural por mais de 500 anos. Os micro plásticos já são encontrados na água potável, peixes e mexilhões.

O micro lixo se espalham por toda a orla da praia

 

Repensar nossos padrões de consumo de plástico e na forma de como o descartamos é uma grande responsabilidade e dever de todo cidadão.  O lixo nos oceanos é um problema muito sério que ainda não conseguimos mensurar.

Aqui listamos 5 motivos para você recusar e diminuir o plástico, em especial as sacolas plásticas do seu dia a dia:

1 – Nos oceanos, as sacolas plásticas se transformam em pequenos pedaços e se tornam parte da cadeia alimentar de animais marinhos. Ao nos alimentar de frutos do mar e peixes, nos alimentamos de resíduos de plásticos que fazem mal à nossa saúde.

  1. A ingestão de sacolas plásticas já é uma das principais causas das mortes de tartarugas e baleias, que confundem o plástico com comida causando morte. Estima-se ainda, que em torno de 100 mil mamíferos e pássaros morram sufocados por ano por ingerirem sacos plásticos.

  2. O plástico é um dos materiais mais comuns nos aterros municipais, impermeabilizando as camadas do solo. Quando os aterros chegam à sua capacidade máxima, é preciso abrir novas áreas que ficam degradadas.

  3. Com a quebra das estruturas do polímero das sacolas plásticas os resíduos orgânicos aprisionados produzem mais metano e CO2, que são liberados na atmosfera quando a sacola é decomposta em farelo e contribuem para a aceleração do aquecimento global.

  4. Estima-se que em 2050 teremos mais plástico que peixes em nosso oceano se não diminuirmos o seu uso.

 

Junte-se a nós em defesa da vida marinha e da humanidade. Seja um Guardião do Mar!

A vida marinha agradece.

 

Sea Shepherd Brasil

Sea Shepherd Marine Debris Campaign