Editorial

A vida no deserto da Namíbia

Comentário por Rosie Kunneke e Dinielle Stockigt, membros da equipe Operação Focas do Deserto

Equipe Operação Focas do Deserto no deserto da Namíbia. Foto: Sea Shepherd

Ao crescer na África, acampar faz parte da sua infância. Dormir em barracas, em parques de campismo designados, é emocionante e tão próximo à natureza, que faz você perceber o que é importante na vida. O deserto da Namíbia, no entanto, é um lugar duro e implacável. As dunas de areia em constante mudança trazem ventos que podem encher seus pulmões com areia se você não cobrir a boca com algum tipo de pano. O deserto da Namíbia significa “lugar de nenhum povo” na língua Khoikhoi local. E esta foi a nossa casa durante várias semanas.

Nossa casa não era um local de acampamento normal também. Não, o deserto se tornou nosso acampamento base, onde nós planejamos nossas missões, configuramos o nosso equipamento, e mantivemos um olho sobre o adversário. O nosso adversário não quer expor seu assassinato brutal de focas para o mundo. Vamos arriscar tudo nos levantar e lutar pelas focas.

Acampar no deserto da Namíbia sem ser notado (ainda mais perto o suficiente do nosso alvo, onde os níveis de segurança são muito altos) é o que nós da equipe Operações Focas do Deserto descreveríamos como “coisas do próximo nível”. Esqueça todos os luxos que algumas vezes você tem contato, como eletricidade, água corrente, instalações sanitárias, chuveiros, etc

Ao acordar nas horas escuras da manhã, o seu primeiro desafio é se vestir e escovar os dentes enquanto tem apenas um nível muito baixo de luz (porque qualquer fonte de luz pode ser vista quilômetros de distância neste vasto deserto). As noites do deserto são muito frias, e você, literalmente, coloca cada peça de roupa quente, e o equipamento que você precisa para a manhã seguinte já deve estar pronto na noite anterior e deixado de forma a ser facilmente encontrado no escuro. A distância até o ponto de sentinela é percorrida no escuro, com visão noturna e GPS para guiá-lo, o que pode ser assustador, porque você nunca sabe se você vai encontrar uma hiena ou um chacal sobre a próxima colina.

No meio da manhã você tem uma mudança de roupa total. O sol bate sem piedade, e na maioria dos dias venta muito, e no resto do dia é areia na sua boca, orelhas, olhos, ou qualquer parte do seu corpo que esteja exposto. As refeições que temos são principalmente alimentos que podem ser rapidamente preparados e geralmente temperados com um pouco de areia do deserto.

Qualquer tarefa a ser concluída pode se tornar um desafio na luta contra o calor, areia e vento. Normalmente os veículos aéreos não tripulados são configurados e aperfeiçoados em oficinas cirurgicamente limpas, ou túneis de vento. Bem, nós tínhamos o vento, mas simplesmente não faz parte do túnel. Com caixas de papelão e fita Gaffa para usar como mesas, conseguimos fazer os veículos aéreos funcionar.

Os jantares são preparados nos últimos raios do sol poente, a fim de garantir que, até que a noite caia sobre o deserto, não temos a necessidade de usar fontes de luz.

Muito frio à noite, muito quente durante o dia, os animais silvestres ao seu redor, tempestades de areia e ventos fortes, o seu banheiro é um buraco auto-escavado na areia, chuveiro não existe, o uso da água é mantido a níveis mínimos, e tudo o que fizer ou onde quer que você se mova, o ambiente deve ser minimamente afetado. Essa é a vida de acampar no deserto da Namíbia. No entanto, pode ser desconfortável, nada comparado ao que as focas têm de suportar nas mãos dos seus assassinos brutais, de modo que você se limpa e continua com o seu trabalho…

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list

Related Posts