Editorial

Apoio para a proteção do ecossistema dos recife de coral do Havaí

Comentário por Robert Wintner, membro do Conselho de Administração da Sea Shepherd

Anthius bicolor. Foto: Robert Wintner

O tráfico de animais selvagens dos recifes para o comércio de animais não é sustentável, não importa o que um aquarista diga. O diretor do Departamento de Terra e Recursos Naturais, William Aila, era um aquarista. Esta é a posição oficial da Departamento de Terra e Recursos Naturais:

“Aquários inserem as pessoas que não seriam capazes de ver a vida marinha e recifes para cuidar delas e, portanto, apoiar os recifes, sem nunca ter estado fisicamente em um recife …… tanques de recifes anunciam e estimulam os visitantes a vir para o Havaí.”

O problema é que os peixes de aquário morrem rapidamente, exigindo mais peixes. Os recifes do Havaí estão em declínio, ainda que a orquestração de William Aila para o fortalecimento do comércio de aquário no Havaí continue com “pacotes de regras”. Aquaristas e atacadistas escreveram estas regras e, após as audiências convocadas para ventilar a indignação pública, o aquarista Aila vai aprovar essas regras com o consentimento unânime.

Nós todos sabemos sobre a maldição de Madame Pele, sobre ninguém levar uma pedra ou um pouco de areia do Havaí. O que seria se todos fizessem isso? Como é que Madame Pele se sente sobre o comércio do aquário amaldiçoado? Enquanto Bill Aila marca audiências relâmpago sobre a vida selvagem dos recifes, funcionários do Departamento de Terra e Recursos Naturais pouco absorvem sobre a indignação pública, e Neil Abercrombie olha para o outro lado, o mundo está de olho no Havaí. A justiça à terra está sendo representada pela Humane Society dos Estados Unidos, pelo Centro para a Diversidade Biológica, pelo Conselho de Conservação do Havaí, e pessoas do Havaí processando o Estado do Havaí pela falha na avaliação do impacto nos recife antes de emitir licenças de aquário que permitem a EXTRAÇÃO TOTAL da fauna marinha do Havaí. Estas regras falsas colocam limites por coletor, mas não há limite para o número de aquaristas.

Essas regras falsas permitem a retirada de seis bodiões limpadores havaianos por dia por aquarista, mas um bodião limpador havaiano morre muito rapidamente em cativeiro, e bodiões limpadores havaianos estão programados para a proteção na Ilha Grande. Como uma espécie pode ser protegida aqui e explorada ali? Por dinheiro. Essas regras são baseadas em mentiras e interesse pessoal. Estas regras permitiriam que 25 mouriscos fossem coletados por dia. Então, 23 coletores poderia levar 575 mouriscos em um dia, atingindo a média anual em 10 dias. Por que adotar uma regra que não tem nenhum significado ou efeito? O comércio de aquário Oahu quer proteger três espécies de peixes-borboleta, que 50 foram retirados desde 1999, mas já há outras espécies sob ameaça. Por quê? Por dinheiro. Aqui está o alvo destas regras para 260 espécies. Uma dessas espécies é o anthius bicolor. Este peixe é vendido por 70 dólares, mas os cobradores do Havaí obtêm cerca de cinco dólares por eles. Isso são 8.500 dólares pela retirada anual deste peixe incrível. Você não pode comprar uma espécie de 8.500 dólares, mas você pode vender. Retirar estes peixes para alimentar o comércio de aquários no continente está errado, e é um crime contra o povo do Havaí.

Eu me oponho a essas regras, e eu desafio o Departamento de Terra e Recursos Naturais a abster-se no comércio do aquário enquanto William Aila é diretor. Este foi o conflito de interesse. Agora é conluio entre funcionários públicos e empresas privadas.

Enguia Dragão Moray. Foto: Robert Wintner

Uma enguia dragão moray é extremamente rara. Você pode imaginar o valor de tal maravilha para o equilíbrio do recife, a beleza do recife, a experiência do recife. Mas não podemos revelar o paradeiro desta enguia ou quaisquer espécies exóticas, porque aquaristas vão pegar esses bichos em um piscar de olhos para vender online. As eguias dragão moray valem 950 dólares cada. William Aila agora orquestra o entrincheiramento do comércio de aquário em recifes do Havaí. Neil Abercombie tem visão, tem vontade política, mas não tem pulso, deixando o Havaí com nada além da vergonha, vergonha, vergonha. Ah, mas os tempos estão mudando.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list

Related Posts