XDivers Scuba School torna-se a Primeira Embaixada Sea Shepherd Brasil, no Rio de Janeiro.

Com grande satisfação, o Instituto Sea Shepherd Brasil (ISSB) em parceria com a XDivers Scuba School, inauguraram no dia 23 de junho, a primeira Embaixada do Mar, sediada no Estado do Rio de Janeiro.

Foto 1

O evento foi aberto com uma saudação de Fernando Castro, biólogo e instrutor de mergulho, que representando a XDivers Scuba School, agradeceu a presença do público,  demonstrou seu contentamento com a parceria firmada e explicou o funcionamento da escola de mergulho e a preocupação com a proteção do meio ambiente marinho.

Em seguida, o Diretor Regional do Núcleo carioca, Luiz André Albuquerque, agradeceu a parceria estabelecida, saudou os presentes e realizou uma apresentação sobre o trabalho realizado pela Sea Shepherd Brasil: a atuação dos núcleos regionais através de ações de fiscalização e monitoramento; de resgates de fauna marinha; as capacitações e treinamentos de voluntários e em instituições públicas e privadas; bem como as principais ações civis públicas movidas pelo departamento jurídico do ISSB, em defesa da vida marinha.

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Sofia Graça Aranha, Embaixadora do Mar do Sea Shepherd Brasil, também participou do evento e apresentou ao público, as ações e projetos da organização em relação a defesa dos tubarões e raias, que contam com várias espécies altamente ameaçadas de extinção.

Cerca de 30 (trinta) pessoas, entre mergulhadores, amantes da vida marinha, apoiadores e voluntários estiveram presentes a inauguração da Embaixada do Mar, que servirá de ponto de apoio para palestras, cursos e venda de produtos oficiais da organização.

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Ao final das apresentações, os presentes se confraternizaram com um delicioso coquetel vegano preparado por Gisele Pontes, voluntária do Núcleo carioca; conheceram as instalações da XDivers; e visitaram o stand montado com produtos da Sea Shepherd, que estarão sempre disponíveis para venda na Embaixada.

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Raphael Jordão/ Sea Shepherd Brasil

Nossos agradecemos a Rodrigo Figueiredo e Juliana Cassab, proprietários da XDivers Scuba School, e a toda a sua equipe, por esta parceria que já é um grande sucesso !

Sobre a XDivers Scuba School.

A XDivers Scuba School começou a dar seus primeiros passos no mundo da educação e propagação da atividade do mergulho recreacional no ano de 1999, com instrutores  treinados e sempre atualizados além do padrão do mercado, garantindo um curso focado nos fundamentos de segurança, aquacidade e planejamento do mergulho, criando ao final de cada turma mergulhadores capacitados, independentes e seguros.

É um Diamond Instructor Training Center da certificadora Scuba Schools International – SSI, o que significa que estão aptos à certificar desde mergulhadores básicos até  profissionais de mergulho.

Venham nos visitar e prestigiar !!!

XDivers Scuba School

Endereço: Rua Joaquim Campos Porto, 361 – Jardim Botânico, Rio de Janeiro – RJ

Telefones: +55 21 3902.6002 | +55 21 3681.1810

E-mail: xdivers@xdivers.com.br

Sea Shepherd Brasil Encaminha Ofício a Superintendência do Ibama-ES para a Apuração do Caso da Arraia Morta Recentemente

O Núcleo do Espírito Santo do Instituto Sea Shepherd Brasil encaminhou um ofício na última Quarta-Feira (29), ao Superintendente do Ibama-ES, o Sr. Guanadir Gonçalves Sobrinho, pedindo a rápida e devida apuração do fato ocorrido na última Terça-Feira (28) na praia de Itapoã, Vila Velha, onde uma arraia, raia-manta (Manta birostris), pesando aproximadamente 600 quilos, foi capturada “acidentalmente” presa na rede de dois pescadores da colônia de pesca local. O ofício foi concedido a secretária de gabinete do superintendente, Nádia Amorim, pois o mesmo não encontrava-se presente no determinado momento. A mesma, em questão, assinou o recebimento do ofício com a promessa de encaminhamento para o Sr. Guanadir Gonçalves Sobrinho, Superintendente do Ibama-ES.

FOTO 1

Créditos: João Linhares – Instinto Imagem – Núcleo ES

FOTO 2

Créditos: João Linhares – Instinto Imagem – Núcleo ES

Este episódio não é a primeira vez que se sucede. No mesmo local, mais precisamente no mês de Agosto de 2015, uma arraia, similarmente raia-manta, de cerca de 400 quilos, foi também capturada por pescadores locais, na praia de Itapoã. Na época, de acordo com os próprios pescadores locais, o animal havia se prendido a uma rede de pesca por volta das 9h30 da manhã e, arrastada viva até a areia da praia. Segundo os autores do fato, a carne dela seria vendida em uma das barracas de peixes no local ao preço de R$6,50 o quilo.

Em Março de 2013, o governo brasileiro proibiu, a pesca de arraias mantas da família Mobulidae em águas jurisdicionais brasileiras em todo o território nacional.

A instrução normativa interministerial MPA/MMA N° 02, de 13 de Março de 2013, proíbe a pesca direcionada, retenção a bordo, transbordo, desembarque, armazenamento, transporte e comercialização destas espécies em águas jurisdicionais brasileiras e em território nacional.

Vale salientar que a instrução normativa ressalta também, que os indivíduos e raias da família Mobulidae capturados de forma incidental, deverão, obrigatoriamente, ser devolvidos inteiros ao mar, VIVOS, ou MORTOS, no momento do recolhimento do aparelho de pesca, e mais, deverá também constar-se nos Mapas de Bordo o registro dos indivíduos capturados e devolvidos ao mar na forma do disposto da Instrução Normativa Interministerial n° 26, de 19 de Julho de 2005.

CONFIRA A INSTRUÇÃO NORMATIVA COMPLETA SOBRE A PROIBIÇÃO DA CAPTURA DE

ARRAIAS MANTAS NO BRASIL:

http://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/legislacao/Instrucao_normativa/2013/ini_mpa_mma_02_2013_proibe_captura_raias.pdf

A espécie Manta birostris, conhecida como raia-jamanta ou apenas raia manta gigante, é a de maior tamanho entre as raias e foi descrita em 1792. São animais que existem há mais de 200 anos. A raia-manta é um dos maiores peixes do mundo, podendo alcançar oito metros de envergadura e pesar mais de duas toneladas. Apesar de impressionar com suas dimensões e velocidade, não possui ferrões, espinhos ou outras formas de defesa além de seu gigantesco tamanho. São animais de vida longa, podendo viver mais de 20 anos. O cérebro das “mantas”, são os maiores entre todos os peixes, proporcionalmente ao seu tamanho.

A raia-manta está classificada como “VULNERÁVEL” na lista vermelha da IUCN de espécies ameaçadas, em razão de sua lenta capacidade reprodutiva, pesca excessiva e captura acidental por redes de emalhe e espinhéis. A grandiosidade do seu tamanho pode ser comparada à sua docilidade. As “mantas” costumam interagir pacificamente com seres humanos, encantando desde os mergulhadores iniciantes até os mais experientes com a beleza de suas gentis e sofisticadas manobras pelos oceanos.

Fonte: Imagens Google

Fonte: Imagens Google

MANTAS LISTADAS NA IUCN, LISTA DE ESPÉCIES AMEAÇADAS EM EXTINÇÃO:

http://www.iucnredlist.org/details/195459/0

Com a missão de Defender, Conservar e Proteger os oceanos e, falar em nome daqueles que não possuem “voz”, o Núcleo do Espírito Santo do Instituto Sea Shepherd Brasil irá pressionar até o fim as organizações competentes e, principalmente o Ibama/ES a fim de solucionarem o caso o mais rápido possível com as devidas punições prescritas na legislação ambiental brasileira.

O caso também foi anunciado pelo Diretor Regional do Espírito Santo do Instituto Sea Shepherd Brasil, na Frente Parlamentar de Combate à Pesca Predatória, liderado pelo Deputado Estadual Bruno Lamas, realizado na última Quinta-Feira (30) na Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo, onde também estiveram presentes representantes da Polícia Ambiental, IEMA, representantes do município de Aracruz, secretário de meio ambiente de Aracruz e do empresário de turismo, Thiago Calhau.

Créditos: Rafael Poltronieri – Núcleo ES

Créditos: Rafael Poltronieri – Núcleo ES

“Os oceanos enfrentam hoje em dia um sem número de ameaças. A pesca excessiva que tem vindo a ser realizada nos últimos anos está a deixar os oceanos cada vez com menos peixe. A pressão tem sido tão elevada que muitas espécies estão presentes na lista vermelha da International Union for Conservation of Nature (IUCN), ou seja uma lista de espécies com o respectivo risco de extinção, como é o caso da arraia, raia-manta (Manta birostris). Os pescadores precisam entender que eles podem SIM sobreviverem e sustentarem as suas respectivas famílias, pescando sustentavelmente, de um modo sustentável. Em pleno século XXI não existe mais espaço para tremenda ignorância humana. Caçar espécies ameaçadas e protegidas é CRIME AMBIENTAL.” Disse Thiago Barrack, Diretor Regional do Espírito Santo do Instituto Sea Shepherd Brasil.

“O culpado também somos “NÓS”! A população fica carecida e há a necessidade de saberem que na maioria destes casos de captura de espécies ameaçadas em extinção, o maior culpado é o próprio homem, o consumidor. Os cidadãos precisam entender que o mercado ilegal somente permanece, pois ainda existem pessoas que financiam este próprio mercado ilegal. Se não há demanda, não há captura, não há pesca ilegal ou até mesmo a morte “acidental” do animal ameaçado. A preocupação com a sobrevivência dessas espécies e com o consumidor atento às questões ambientais já levaram até algumas empresas, inclusive nacionais, a buscarem selos de pesca sustentável.” Finalizou Barrack.

Na Quarta-Feira (29), a carcaça da raia-manta, foi encontrada próximo a colônia de pescadores de Itapoã, jogada a beira-mar, totalmente deteriorada, sem as nadadeiras e com o ventre aberto.

Créditos: Luis Felipe Mayorga

Créditos: Luis Felipe Mayorga

Créditos: Luis Felipe Mayorga

Créditos: Luis Felipe Mayorga

Créditos: Luis Felipe Mayorga

Créditos: Luis Felipe Mayorga

Créditos: Luis Felipe Mayorga

Créditos: Luis Felipe Mayorga

PARECER DO IBAMA:

No último dia 30, Quinta-Feira, o Ibama deu um parecer, veiculado em um Jornal de âmbito capixaba, a Tribuna, explanando que irá investigar a captura da arraia gigante ocorrida na última Terça Feira (28) na praia de Itapoã. Segundo o jornal e relato do próprio Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA, se identificados, os infratores poderão responder por crime ambiental.

Créditos: Núcleo ES

Créditos: Núcleo ES

NÓS NÃO IREMOS NOS CALAR, ATÉ QUE ESTA E OUTRAS BARBÁRIES TERMINEM DE UMA VEZ POR TODAS!

ANEXOS:

LINK DA CAPTURA EM 2015:

Jornal Entrevista – G1:

http://jornalentrevista.com.br/v1/2015/08/20/arraia-gigante- e-pescada- na-praia- de-itapoa-em-vila- velha-no- esarraia-gigante- e-pescada- em-vila- velha-fotoarquivo- pessoal-colonia- de-

pescadores/

LINKS NOTICIANDO A CAPTURA RECENTE (2016):

Gazeta Online

http://www.gazetaonline.com.br/_conteudo/2016/06/eu_aqui/3953333-arraia- gigante-de-600-kg- e-capturada- na-praia- de-itapoa.html

G1:

http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2016/06/arraia- gigante-e- capturada-na- praia-de-itapoa-em- vila-velha.html

RENCTAS:

http://www.renctas.org.br/arraia-gigante- e-capturada- na-praia- de-itapoa- em-vila- velha-es/Maiores informações sobre o caso, favor enviar para: nucleoes@seashepherd.org.br

A vida marinha agradece !

Sea Shepherd Brasil Realiza Mais um Curso de Capacitação de Ações de Resgate de Animais Marinhos

Nos dias 10 e 12 de junho, o Instituto Sea Shepherd Brasil ministrou o curso “Ações para Salvar Animais Marinhos em Derrames de Petróleo”, em Ilhabela, no litoral norte de São Paulo. O ISSB contou com a parceria da Embaixada Mar e Vida Ecotrip que cedeu as instalações para a realização do curso.

Foto 1 Fachada Embaixada Mar e Vida Ecotrip – Curral – IlhabelaSP

Fachada Embaixada Mar e Vida Ecotrip – Curral – Ilhabela/SP

 Base praia Embaixada Mar e Vida Ecotrip

Base praia Embaixada Mar e Vida Ecotrip

O curso é direcionado a qualquer pessoa: para estudantes relacionados a áreas afins, a voluntários de ONGs, órgãos governamentais atuantes na área ambiental, indústria do petróleo e outras empresas afins.

Participantes do curso em aula teórica

Participantes do curso em aula teórica

Pela quarta vez em Ilhabela (2001, 2010, 2014 e 2016) o curso de Ação de Resgate de Animais Marinhos ocorreu com sucesso e teve muita interação entre os participantes. Com um delicioso coffee break vegano e loja com os produtos oficiais, o curso seguiu num clima descontraído no espaço da Embaixada na Praia do Curral.

Interação dos participantes no Coffe Break vegano

Interação dos participantes no Coffe Break vegano

Loja física com produtos oficiais

Loja física com produtos oficiais

Participantes no intervalo com coffee break vegano

Participantes no intervalo com coffee break vegano

O curso promoveu aula teórica o qual os participantes recebem Certificado de Conclusão e Apostila Digital. A Organização ao capacitar pessoas com este treinamento, visa formar um grupo capaz de atuar no salvamento de animais afetados em derrame de petróleo e esta capacitação integrará a Rede de Voluntários da ONG, como agentes multiplicadores do trabalho ativista ambiental.

O conteúdo abordou o cenário do petróleo; as principais áreas de risco no Brasil; ecossistemas e biótopos do Brasil; áreas prioritárias; a importância de um programa de educação ambiental para as comunidades das áreas de risco; estrutura de um plano de ação; a estruturação de um programa de voluntário; segurança da equipe e dos animais atendidos; atendimento aos encalhes / resgate; primeiras ações junto aos animais; diagnóstico; animais focos em casos de acidente com óleo; exercícios de simulação e estudos de caso.

Slides do curso e participantes em atenção aos ensinamentos

Slides do curso e participantes em atenção aos ensinamentos

Participantes atentos em curso

Participantes atentos em curso

O curso de grande importância na região vem de encontro com o perigo iminente de vazamento de petróleo no terminal petrolífero em São Sebastião, cidade vizinha à Ilhabela.

Terminal petrolífero em São Sebastião e Ilhabela ao fundo – imagens da internet

Terminal petrolífero em São Sebastião e Ilhabela ao fundo – imagens da internet

Terminal petrolífero da Petrobrás em São Sebastião – imagem da internet

Terminal petrolífero da Petrobrás em São Sebastião – imagem da internet

Ministrado pelo biólogo e Diretor Nacional Wendell Estol, que possui ampla experiência prática e 17 anos de atuação na Organização, já capacitou mais de 3.000 pessoas à rede de voluntários junto as seguintes instituições: UFRGS; PUC/RS; UFSC; Faculdade de Santa Vitória do Palmar/RS; UNISINOS; Projeto REAMAR/SC, UNIVALLI/SC, Instituto ECOPLAN/PR; Grupo Mamíferos Marinhos Região Lagos/RJ; Reserva Extrativista Marinha de Arraial do Cabo/RJ; Instituto ORCA/ES; Estação Biológica Marinha Ruschi/ES; Universidade de Santa Cecília / Santos/SP, Funcionários da Petrobrás, Chevron Texaco, Hidroclean; Porto de Santos, Porto de Rio Grande e nos órgãos públicos: Batalhão Ambiental do RS; IBAMA/RS; Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Balneário Camboriú/SC; Secretaria de Meio Ambiente de Macaé/RJ; IBAMA de Vitória, FLORAM/SC e ONGs: NAVIMA/ RN, Projeto TAMAR, Projeto Golfinho Rotador, Instituto Baleia Jubarte, Projeto MAMA, ONG AQUASIS e nas APAs: APA Litoral Norte/SP, APA da Baleia Franca/SC.

Aula prática ministrada pelo biólogo Wendell Estol

Aula prática ministrada pelo biólogo Wendell Estol

Demonstração na aula prática de manejo de cetáceos com Wendell Estol

Demonstração na aula prática de manejo de cetáceos com Wendell Estol

Participantes na aula prática de manejo de cetáceos

Participantes na aula prática de manejo de cetáceos

A crescente exploração do petróleo no Brasil além da ampliação do terminal petrolífero em São Sebastião compreendeu-se neste curso, a importância do nosso papel como sociedade civil organizada para salvamento da biodiversidade marinha do nosso litoral brasileiro.

Seja um voluntário em defesa da vida marinha, seja um Guardião do Mar multiplicador de atitudes e conhecimento para a mudança de comportamento em prol da vida. Acesse www.seashepherd.org.br e filie-se!

Participantes ao final do curso

Participantes ao final do curso

A vida marinha agradece.  Por Mara Lott – Diretora Regional – Núcleo SP Instituto Sea Shepherd Brasil

Sea Shepherd Brasil participa do II Pet Stop/Bazar Animal, no Rio de Janeiro.

Durante os dias 04 e 05 de junho, o Tijuca Tênis Clube (TTC) recebeu o “II Pet Stop/Bazar Animal”, que teve como objetivo debater os problemas e as possíveis soluções do mundo animal. O evento foi organizado pela Comissão de Proteção e Defesa Animal da OAB/RJ, pelo Instituto São Francisco de Assis e pela Diretoria de Eventos do TTC.

O clube transformou-se em um enorme palco de ação social por aqueles que muitas vezes não tem quem os represente ou ampare, os animais. Diversas atividades foram realizadas como campanhas de adoção; ensaios fotográficos; shows de dança; palestras sobre os mais variados assuntos, com especialistas renomados; bazar de Ongs e grupos de proteção; assistência jurídica da OAB/RJ; comida vegana; sorteios de brindes e muito mais.

Foto 1

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

O Sea Shepherd Brasil participou do evento visando expor a necessidade de preservação e proteção dos animais marinhos, muitos deles carismáticos e amados, como as tartarugas marinhas e os golfinhos, mas que acabam morrendo aos milhares, anualmente, em razão da pesca predatória e ilegal.

E duas questões foram abordadas: A grave situação dos botos cinza nas Baías de Guanabara e Sepetiba, e a defesa dos tubarões e raias, que atualmente estão com várias espécies ameaçadas de extinção, diante o grande consumo interno brasileiro da carne de cação e da prática do finning para abastecer o mercado asiático.

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

A população de botos cinza na Baía de Guanabara declinou vertiginosamente, sofrendo uma redução de 90% em três décadas. Com a morte do jovem “Acerola”, na semana passada, apenas 34 botos-cinza vivem atualmente na Baía. Na década de 80, chegavam a serem cerca de 400 botos. A contaminação química e biológica, a pesca e o barulho causado pelos navios fundeados nos arredores da Ponte Rio-Niterói são as principais causas do desaparecimento destes cetáceos. E esta situação precisa ser combatida pelos diversos órgãos públicos que tratam da questão ambiental no Rio de Janeiro.

“É importante divulgarmos estas informações e solicitarmos um maior engajamento da sociedade civil. Temos nos reunido regularmente com diversos órgãos governamentais – Ministério Público Federal, IBAMA, Polícia Federal e INEA – além de participar de Comissões Ambientais e Audiências Públicas – que tratam do tema, visando justamente contribuir com ideias e ações para a proteção do boto-cinza. A alta mortalidade destes botos-cinza é de extrema gravidade e exigem ações concretas” – informa Luiz André Albuquerque, Diretor Regional da Sea Shepherd Brasil no Rio de Janeiro.

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Em relação aos tubarões, o Brasil está entre os 10 (dez) maiores exportadores de barbatanas/nadadeiras de tubarões para o mercado asiático e é o maior importador de carne de tubarão/cação para o consumo interno.

Desta forma, o País contribui decisivamente para a extinção de diversas espécies, que são fundamentais para a manutenção da saúde e equilíbrio dos oceanos, assim como da vida humana no Planeta.

“As pessoas não tem o menor conhecimento destes dados e a carne de cação é muito consumida no Brasil, pois, não é proibido pescar o tubarão e vender sua carne no mercado. Na realidade, é um lucro “colateral” limpo para o pescador, uma vez que a barbatana/nadadeira, já está longe há tempos quando você vê a carne de cação no mercado. O “finning”, único e exclusivo, na definição simples da lei, realmente não existe no Brasil, diante a proibição da lei. Mas ele existe mascarado pela venda da carne de cação.” – comenta Felipe Montico, voluntário do Núcleo carioca.

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Agradecemos o convite para a participação neste evento de grande sucesso e parabenizamos seus organizadores.

Caso você tenha interesse em tornar-se um voluntário do Núcleo Rio de Janeiro, escreva um e-mail para nucleorj@seashepherd.org.br

Núcleo Espírito Santo participa da Semana Nacional do Meio Ambiente

O Núcleo Espírito Santo do Instituto Sea Shepherd Brasil realizou no último Domingo (5) atividades em comemoração à Semana Nacional do Meio Ambiente.

FOTO 1

FOTO 2

O Núcleo do Espírito Santo promoveu durante todo o dia, atividades de Educação Ambiental para crianças, Projetos de Conscientização, Disponibilizou produtos diversos da Sea Shepherd para a venda (Canecas, pingentes, adesivos, camisetas, Ecobag), realizou campanhas Institucionais e ofereceu a Ração Solidária para cães de ruas, dentre outros.

FOTO 3

FOTO 4

FOTO 5

Além de contribuir para o bem do planeta e das gerações futuras, as pessoas tiveram também a oportunidade de conhecer o trabalho da Sea Shepherd e de suas operações ao redor do Mundo e do Brasil.

FOTO 6

FOTO 7

Foram retratadas imagens das principais campanhas realizadas pelo Núcleo do ES no Estado, como o Monitoramento do Elefante Marinho "Fred" – Operação Porfia, Visita ao Rio Doce – Guardiões do Rio Doce, Campanha Mar de Sangue, em favor da moratória dos Tubarões e, sobre a nossa presença na Frente Parlemantar contra a Pesca ilegal de Vitória.

FOTO 8

FOTO 9

A Semana Nacional do Meio Ambiente realizada pelo Núcleo do ES, chamou a atenção e ação política de toda a população ao entorno para aumentar a conscientização e a preservação ambiental. Por meio deste, o Núcleo do ES personalizou as questões ambientais e possibilitou a cada um perceber não somente a sua responsabilidade, mas também o poder de se tornar um agente para a mudança, apoiando uma forma de desenvolvimento mais justa e sustentável.

O Núcleo do ES contou com toda a estrutura e suporte da sua Embaixada do Mar – Villa dos Lobos Centro Cultural localizado na Praia do Ribeiro (Praia da Costa).