Notícias

Bob Baker mantém os arpoadores ocupados no oceano Antártico

Domingo, 9 de janeiro de 2011.

A equipe Delta da Sea Shepherd na tentativa de desacelerar o Yusshin Maru Nº2, enquanto eles atiram canhões de água na tripulação ambientalista

A equipe Delta na tentativa de desacelerar o Yusshin Maru Nº2, enquanto eles atiram canhões de água na tripulação exposta

Oceano Antártico – “Ativistas jogaram pelo menos duas granadas de luz e uma de fumaça contra o YS2”. A acusação do navio japonês caçador de baleias Yushin Maru Nº2 contra o navio da Sea Shepherd Conservation Society, Bob Baker, de atacá-los com granadas de luz é completamente falsa. A Sea Shepherd não tem em posse no navio qualquer tipo de granada de luz ou armas desse tipo.

Granadas de luz foram usadas em 2008 pela Guarda Costeira japonesa contra a tripulação do navio da Sea Shepherd, mas foi deixado bem claro que não temos e não teremos esse tipo de arma ou qualquer outra arma em nossos navios. No entanto, a tripulação dos navios da Sea Shepherd realmente atacou o navio japonês com bombas de fedor e de fumaça durante essa batalha, com o intuito de despistar o Yusshin Maru Nº2 do navio ambientalista. A Sea Shepherd vê isso como uma tentativa dos navios japoneses para provocar, e assim deter os nossos navios.

Devido a essa perseguição dos navios arpoadores da frota baleeira ao Steve Irwin e ao Bob Baker, fica cada vez mais difícil alcançarmos o principal navio da frota, o Nisshin Maru. No entanto, enquanto esses navios estão nos perseguindo, nós estamos os impedindo de caçarem baleias. Enquanto isso, o navio mais veloz da frota da ONG, o Gojira, continua tentando encontrar o navio baleeiro Nisshin Maru.

A equipe Delta alcança o navio arpoador japonês Yusshin Maru Nº2 em meio a mares bravios

A equipe Delta alcança o navio arpoador japonês Yusshin Maru Nº2 em meio a mares bravios

A tentativa de tirar o Yusshin Maru Nº2 da cola do Bob Baker inicialmente foi um sucesso, porém o pequeno Zodiac, que foi usado para desacelerar o navio baleeiro, teve que enfrentar aproximadamente 80 milhas em mar aberto para retornar ao Bob Baker, o que resultou em um problema mecânico no pequeno barco, e por causa disso o Bob Baker foi obrigado a voltar para resgatar a tripulação do Zodiac, garantindo assim a segurança da tripulação. Isso resultou no Yusshin Maru Nº2 achar novamente o Bob Baker, e irá continuar a segui-lo.

O Instituto de Pesquisa de Cetáceos (ICR) relatou que um dos pequenos botes do Bob Baker foi desativado devido à batalha que aconteceu entre ele e o navio baleeiro. Essa afirmação seria falsa. Um dos botes do Bob Baker realmente foi desativado, mas não devido à batalha, e sim devido à volta ao navio, onde encarou grandes ondas, e chegou a ceder, devido ao impacto.

“Nossa tripulação dos botes tem uma coragem incrível”, relatou o capitão Paul Watson do Steve Irwin. “Eles bravamente ficaram em uma grande distância do Bob Baker, enfrentando assim um frio congelante em barcos de proa aberta durante horas, e em águas cercadas de icebergs”.

Como de costume, o ICR relatou o confronto como um ataque da Sea Shepherd, porém observou que nenhum dano foi causado ao Yusshin Maru Nº2, e não houve feridos em nenhum dos lados.

Equipe Delta da Sea Shepherd levando uma surra do Oceano Antártico
Equipe Delta da Sea Shepherd levando uma surra do Oceano Antártico

Hoje marca o 11º dia em que a Sea Shepherd localizou a frota baleeira japonesa, mesmo antes deles começaram a matança dos cetáceos. Durante esse tempo, o Yusshin Maru Nº2 e o Yusshin Maru Nº3 foram impedidos de atirar qualquer arpão contra as baleias, e o Yusshin Maru Nº1 provavelmente deve estar junto ao Nisshin Maru, ambos fugindo para o ocidente. Um navio de pesca relatou ter visto os navios baleeiros ainda não encontrados no dia 9 de janeiro, e relatou à Sea Shepherd sua posição. Devido a distância que o Yusshin Maru percorreu durante esses 11 dias, eles devem estar a uma velocidade bastante alta, e levando em consideração que eles só possuem um arpão em sua posse, a chance deles terem caçado alguma baleia é bem baixa, e se houve a caça, foi mínima.
 
Durante a caça de baleias, os navios não podem estar em alta velocidade, pois isso torna a caça ineficiente, e caçar apenas com um arpão também é ineficiente, e ainda mais, caçar com três navios ambientalistas os perseguindo se torna ainda mais ineficiente,

Há ainda dois meses restantes, e a Sea Shepherd irá continuar a perseguir a frota baleeira japonesa até o final da temporada de caça às baleias, para assim assegurar que um número máximo de baleias sejam salvas.

Traduzido por Marcelo Gomide Silveira, voluntário do ISSB.

Back to list

Related Posts