Advogado do Capitão Paul Watson confirma que o ativista partiu da Alemanha

Sea Shepherd foi informada que o Japão também está querendo extraditar Watson

Após três dias de especulações em torno de seu paradeiro, o advogado alemão do capitão Paul Watson confirmou que o conservacionista marinho partiu da Alemanha e está em um local não revelado.

“O advogado do Capitão Watson relatou que ele deixou a Alemanha”, disse Susan Hartland, Diretora Administrativa da Sea Shepherd. “Temos razões para acreditar na informação de uma fonte confiável que, uma vez na Costa Rica, o governo japonês teria pedido a extradição do Capitão Watson para o Japão, para responder por acusações relacionadas a obstruir suas atividades baleeiras ilegais no Santuário de Baleias do Oceano Antártico. Não temos mais informações e não estão em contato com ele. Faremos o nosso melhor para fornecer mais detalhes à medida que soubermos mais. Vamos postar qualquer nova informação que chegar, e somos capazes de confirmar a sua validade.”

O Capitão Watson estava detido na Alemanha por 70 dias, apesar de milhares de cartas de apoio enviadas ao Ministério da Justiça alemão do público, celebridades, políticos e outros luminares que defendem a sua liberação. Ele foi preso em Frankfurt, no dia 13 de maio, em um mandado de 10 anos da Costa Rica, enquanto estava a caminho de Cannes, na França. Ele foi detido na Alemanha para ser extraditado para a Costa Rica por uma alegada “violação de tráfego de navios”, que teria ocorrido durante as filmagens do premiado documentário “Sharkwater”, de 2002. O incidente específico ocorreu em alto mar nas águas da Guatemala, quando a Sea Shepherd encontrou uma operação ilegal de remoção de barbatanas de tubarão, gerida pelo navio Varadero, da Costa Rica. Sob a ordem de autoridades guatemaltecas, a Sea Shepherd instruiu a tripulação do Varadero a cessar as suas atividades de remoção de barbatanas de tubarão e voltar ao porto para ser processada. Enquanto acompanhava a volta do Varadero ao porto, a situação se inverteu, e uma canhoneira da Guatemala foi enviada para interceptar a tripulação da Sea Shepherd. Para evitar a canhoneira da Guatemala, a Sea Shepherd, em seguida, partiu para a Costa Rica, onde a tripulação descobriu ainda mais atividades ilegais de remoção de barbatanas de tubarão, na forma de barbatanas de tubarão secas aos milhares nos telhados de edifícios industriais.

Por favor, continue acessando nosso site para mais atualizações.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Piloto campeão, Zack Jarrell, corre para salvar nossos oceanos

Por Robin Winters, voluntário da Central Florida Onshore

O piloto Zack Jarrell e seu Chevrolet Impala 18, que levou o logotipo da Sea Shepherd na corrida Fascar Pro Late Models 100, na Flórida

Eu e meus companheiros da Sea Shepherd, Barry e Vaught Barbara, nos encontramos com o piloto campeão Zack Jarrell, de 19 anos, no New Smyrna Speedway, na Flórida. Tivemos nosso primeiro vislumbre deste guerreiro dos oceanos, que é um ávido surfista e está prestes a ser um piloto totalmente licenciado, quando ele estava com os companheiros pilotos posando para fotos, antes da corrida começar. Nós sabíamos que ele havia nos visto, já que abriu um sorriso e ficou corado. Estávamos também empolgados por cumprimentá-lo. Quando o grupo se dispersou depois das fotos, nos apresentamos rapidamente e fomos ver o carro de Zack. Ele é piloto no circuito Fascar (Florida Association of Stock Car Auto Racing), e está abrindo seu caminho, aos poucos, em direção ao Nascar. Com apenas três anos de experiência, ele já foi campeão sete vezes e venceu 221 corridas!

Enquanto nosso grupo se aproximava do Chevrolet, foi possível sentir o orgulho imenso que Zack e sua equipe – que incluía sua irmã Jasmine, os pais Jeff e Nancy e os amigos Brian, Dawn e Darrell – exalavam ao nos mostrar o logotipo Jolly Roger. A equipe também vestia a camiseta da Sea Shepherd, em apoio à decisão de Zack de usar o logotipo sobre o capô de seu carro e defender nossos oceanos. Nós rapidamente nos reunimos em torno do veículo para tirarmos fotografias antes da corrida e das apresentações, enquanto Zack e os outros se preparavam para a largada.

Fomos escoltados até as arquibancadas pelo melhor amigo de Zack, Michael Murphy, que também apoia a Sea Shepherd. Fomos saudados por aplausos e um “mar” de camisetas da Sea Shepherd de diferentes campanhas. Os amigos de Zack Jarrell tinham vindo de Tampa, na Flórida, para mostrar seu apoio a ele e à Sea Shepherd. Que momento inspirador! Apresentações foram feitas, cumprimentos foram trocados e assentos foram reivindicados enquanto nos preparávamos para o começo do evento. Não teríamos tempo para esperar.

“Senhores, liguem seus motores!”, exclamou o locutor. O carro de Zack rugiu. A corrida Pro Late Models 100 consiste em 100 voltas. Ela foi emocionante! Alguns carros quase colidiram e vários rodaram na pista. Um deles tinha faíscas saindo da parte de baixo. Barry Vaught, membro da Sea Shepherd e fotógrafo profissional, registrou muito do drama em sua câmera. Barbara Vaught e eu pulamos nas arquibancadas como adolescentes torcendo por nosso piloto! Zack Jarrell mostrou suas incríveis habilidades no volante ao largar em oitavo lugar e terminar a corrida em terceiro!

Zack Jarrell, equipe, simpatizantes e membros da Sea Shepherd Onshore no evento

Barry, Barbara e eu nos encontramos com Zack após a corrida para termos um pouco de tempo a sós com esse apoiador da Sea Shepherd:

Pergunta: Como você ficou sabendo sobre a Sea Shepherd?

Zack: Eu vi documentários sobre Paul Watson na minha escola e na minha faculdade – Spruce Creek High School e Daytona State College.

Pergunta: O que fez você querer carregar o logotipo Jolly Roger da Sea Shepherd sobre o capô do seu Chevrolet?

Zack: Eu quis conscientizar algumas milhares de pessoas sobre a Sea Shepherd e sobre seus esforços de conservação dos mares na semana passada usando o logotipo no capô do meu carro, no meu site e na minha página do Facebook. Esperemos ter sido capazes de fazer isso acontecer.

Pergunta: Você realmente tem muita paixão pelos oceanos. Que tipo de instrução você buscou para aprender sobre a vida marinha e o meio ambiente?

Zack: Cursei Biologia Marinha e Ciência Ambiental na escola, e Oceanografia na faculdade.

Pergunta: Quais são seus planos de estudo para o futuro?

Zack: Eu tenho mais um ano na minha graduação, mas eu estou pensando em focar em Negócios e Marketing. Cursei meu primeiro ano de faculdade na Daytona State College e recentemente me transferi para a Valencia Community College, em Orlando, para terminar a minha licenciatura. Estou planejando uma transferência para a Universidade da Flórida Central para obter meu bacharelado.

Pergunta: Você fez um trabalho fantástico esta noite. Você está procurando algum “patrocinador” para ajudá-lo a alcançar seu objetivo de entrar para o Arca Racing Circuit?

Zack pilota seu carro de corridas que levou o logotipo da Sea Shepherd

Zack: Sim, eu estou procurando um patrocinador para me ajudar a impulsionar minha carreira, quer na Arca ou na K&N Pro Series da Nascar. Somos uma família comum com empregos comuns. Eu tenho patrocinadores que fazem o melhor por mim, e cada pequena ajuda faz a diferença. Para passar para o próximo nível de corrida, vou precisar de uma grande empresa para me patrocinar. Espero ter mostrado a todos que eu tenho talento para pilotar e ganhar corridas e campeonatos. Tudo que eu preciso é de um pouco de ajuda, agora.

Pergunta: Por quanto tempo você vai deixar o logotipo Jolly Roger sobre o capô do seu Chevrolet?

Zack: A partir dessa semana a nossa equipe irá escolher onde iremos correr nas semanas seguintes. O capô é prioridade do patrocinador, e somente com ele eu posso me dar o luxo de correr. Eu gostaria de deixar o logotipo pelo maior tempo possível.

Pergunta: Nós vamos escrever um comentário sobre esse evento na internet. Há algo que você gostaria que fosse publicado em seu nome?

Zack: Os esforços de conservação da Sea Shepherd lembram-me da minha equipe, a Zack Jarrell Racing, e dos nossos esforços para vencer corridas. Ambos são pequenos grupos de pessoas que dão o seu melhor a cada dia. Eu estou muito empolgado em poder ter sido capaz de trazer conscientização para alguns milhares de pessoas sobre a Sea Shepherd e seus esforços para a conservação dos oceanos! Ter sido capaz de terminar em terceiro lugar nessa corrida especial aumentou ainda mais a minha animação. Foi realmente um esforço de equipe! – Zack Jarrell

Traduzido por Maiza Garcia, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Steve Irwin parte de Broome para dar início à Operação Kimberley Miinimbi

Rodney Augustine apresenta símbolos de significado cultural ao capitão Malcom Holland durante a cerimônia da fumaça. Foto: Tim Watters

Domingo, dia 22 de julho, o Steve Irwin, sob o comando do capitão Malcolm Holland, deixou Seaworks Williamstown, em Melbourne, na Austrália, a caminho de Broome, num esforço derradeiro para salvar o maior berçário de baleias jubarte do mundo.

O Steve Irwin teve uma emocionante cerimônia da fumaça como despedida, feita por Rodney Augustine, que é Nyul Nyul e Jabir Jabir, e cujo país de mar e terra está em risco devido à plataforma de gás proposto para Woodside.

A cerimônia foi feita para guiar o navio e a tripulação em segurança até Walmadan (o nome indígena para a James Price Point). Rodney também entregou ao capitão Holland diversos itens para sua jornada até Walmadan, que incluíram uma concha simbolizando a força de Rodney que foi lhe dada por seus anciãos e recipientes contendo cinzas de todas as cerimônias realizadas por Rodney para educar as pessoas em Melbourne sobre Walmadan, bem como cinzas do fogo sagrado da tenda-embaixada em Camberra. Os tripulantes do Steve Irwin emocionaram-se com a experiência e, após, Rodney falou sobre a importância da operação Kimberly Miinimbi.

O líder de campanha da Operação Miinimbi, Bob Brown, afirmou que “a resposta do público ao nosso anúncio de que o navio da Sea Shepherd, Steve Irwin, está a caminho do berçário de baleias de Kimberley foi acalorada. O público australiano está apoiando esta empreitada para salvar o berçário de baleias jubarte das ameaças da proposta de fábrica de gás de Woodside em Kimberley pela JPP. Convidamos todos os deputados federais a juntarem-se a nós para ver as baleias no seu esplendor natural.”

O gerente de embarcação do Steve Irwin, Beck Straussner, afirmou que “por muitos anos tenho estudado as jubarte usando uma licença para espécies ameaçadas e passei milhares de horas realizando pesquisa no santuário de reprodução delas. Do ponto de vista de um pesquisador, é fácil ver que o impacto devastador que o projeto de plataforma de gás proposto causará. Com a colaboração de Bob Brown, penso que vamos expor os fatos e permitir que as pessoas tomem uma decisão baseada em informações. Nossos apoiadores querem que seus filhos vejam baleias não só num livro, mas bem ali em águas australianas. Existem somente alguns poucos locais de reprodução restantes no planeta. A ponta James Price é tão rara e única, ela precisa ser protegida.”

Rodney Augustine com a tripulação Sea Shepherd. Foto: Tim Watters

O diretor australiano Jeff Hansen disse que “o berçário de baleias jubarte de Kimberley é de importância e preocupação globais. Se nossos deputados federais permitirem que essa plataforma de gás seja instalada, será bastante hipócrita a condenação do governo australiano aos baleeiros japoneses, simplesmente pelo fato de que a realidade é a de que, se o governo federal permitir o projeto da plataforma de gás, haverá morte de baleias no maior berçário de jubartes do mundo. Até a Autoridade de Proteção ao Ambiente da Austrália Ocidental afirmou que golpes de embarcações têm o potencial de afetar as baleias de modo adverso.”

Qualquer um que tenha amor pelas baleias deve ir até a James Price Point, pois se essa plataforma de gás for, de fato, instalada, será a última chance que os australianos e o mundo terão de ver o maior berçário de baleias jubarte do mundo antes que a Woodside coloque uma enorme e feia plataforma de gás bem no meio dele.

O Steve Irwin chegará a Broome no sábado, dia 4 de agosto, quando diversas viagens de propaganda começarão a ser feitas até James Price Point, numa vigília para chamar atenção para os inúmeros partos que ocorrem na região da proposta instalação.

Pedimos que escrevam para sua excelência Tony Burke, ministro federal do ambiente, anunciando que você é contra a plataforma de gás na ponta James Price.

The Honorable Tony Burke MP
Minister for Sustainability, Environment, Water, Population and Communities
PO Box 6022
House of Representatives, Parliament House
Canberra ACT 2600
Tony.Burke.MP@aph.gov.au

Rodney Augustine, Nyul Nyul e Jabir Jabir, realiza uma cerimônia da fumaça para a tripulação da Sea Shepherd. Foto: Tim Watters

Traduzido por Carlinhos Puig, voluntário do Instituto Sea Shepherd Brasil

 

Pinguim é resgatado em Florianópolis

Por Hugo Malagoli, Diretor Regional Voluntário – Núcleo Santa Catarina

Quando vemos a banalidade que é tratado o aparecimento de mais de 500 pinguins mortos no litoral gaúcho, nos esquecemos que nós, voluntários e pessoas de bem, preocupadas em preservar a vida selvagem marinha, lutamos por cada vida. Cada indivíduo que salvamos é importante.

Pinguim encontrado em Florianópolis

Lembrando as palavras do Capitão Paul Watson em seu livro Earthforce, os ativistas são aqueles que lutam pela preservação da terra nem que seja em centímetros, lutam nem que seja por minutos.

Diego Menin Palermo, Funcionário do Hotel Costa Norte na praia de Ponta das Canas, Florianópolis, SC, é uma dessas pessoas, que, preocupadas em poder ajudar a vida marinha, se capacitou no Curso de Salvamento de Animais Marinhos em Derrames de Petróleo, e por saber o que fazer numa situação
de risco, resgatou um pinguim de maneira correta, dando uma nova chance a esse pequeno ser.

Pinguim sendo resgatado por Diego Menin Palermo

É muito importante que mais e mais pessoas que queiram ajudar a vida marinha se capacitem em salvamento de animas; que procurem os núcleos de voluntários da Sea Shepherd em seu Estado e que tenham atitude de fazer a diferença. Pra esse pinguim, essa atitude lhe valeu a vida.

Pinguim e Diego Menin Palermo

Bob Brown and Sea Shepherd lançam a Operação Kimberley Miinimbi

O líder da Operação Kimberley Miinimbi, Bob Brown, em frente ao principal navio da Sea Shepherd, Steve Irwin. Foto: Fair Projects

Na sequência da carta contra a perfuração de gás, Bob Brown e a Sea Shepherd lançaram hoje a Operação Kimberley Miinimbi, numa conferência de imprensa ao lado do Steve Irwin, em Williamstown, Melbourne, Austrália.

A controversa perfuração de gás em Kimberley recebeu um passe livre da vigilância ambiental no Oeste da Austrália, a EPA (Autoridade de Proteção Ambiental), embora seu processo de decisão ocorreu sob análise minuciosa, depois de ter sido revelado que quatro dos cinco membros do conselho ficaram imparciais devido à conflitos de interesse.

O presidente da EPA, Dr. Vogel, o único membro restante do conselho que tomou a decisão de ontem, chegou a admitir que a turvação devido a dragagem, derramamentos de petróleo, descargas industriais, luzes e ruídos de embarcações poderiam afetar adversamente as baleias, golfinhos, tartarugas e peixes. Colin Barnett, ministro da Austrália Ocidental, está avançando com fábricas de gás no James Price Point, ao norte de Broome, em um dos litorais mais intocados do mundo, apesar de mortes de baleias sejam inevitáveis

Jeff Hansen, diretor australiano da Sea Shepherd, declarou: “A Austrália já foi uma nação baleeira, no entanto, hoje em dia, os australianos estão entre os mais apaixonados defensores de baleias no mundo. A Sea Shepherd recebeu um apoio esmagador na Austrália. Nós simplesmente não poderíamos fazer o que fazemos, defender o santuário de baleias da Antártica Australiana, sem o apoio de sua população.”

“No entanto, as mesmíssimas baleias jubarte que estão sendo ameaçadas pelos baleeiros japoneses este verão no oceano pacífico, enfrentam uma nova ameaça em suas áreas de reprodução: a prosposta de perfuração de gás de Woodside em um lugar chamado James Price Point, ao norte de Broome, afirmou o Sr. Hansen.”

Esta área é o maior viveiro de jubartes no mundo. Tanto é que, desde 1 de Julho deste ano, ou seja, apenas 17 dias, 259 baleias já foram registradas pela pesquisa científica a apenas alguns quilômetros ao sul de James Price Point, e 23 pares de mães e filhotes foram avistados com mais de 70% de achados em apenas 5 quilômetros da costa.

Hoje cedo, numa conferência de imprensa com a Sea Shepherd, Rachel Siewert, senadora do Partido Verde, disse: “Como a nova pesquisa nacional mostra, a maioria dos australianos não querem uma perfuração de gás em James Price Point, em Kimberley, e eu convido a Sea Shepherd a aderir esta campanha, e esperamos a chegada de Steve Irwin no Kimberley”.

Então, aqui temos o povo Goolarabooloo, a maioria do povo de Broome e agora toda a Austrália, e certamente as baleias, que não querem esta plataforma de gás.

Bob Brown disse hoje no lançamento da campanha: “Há lugares alternativos para a fábrica de Woodside, mas não para o berçário das baleias – ou a cultura viva indígena, incluindo os rastros ligados à dinossauros com 130 milhões de anos, no litoral de James Preço Point.”

O diretor da Sea Shepherd Austrália, Jeff Hansen (centro) com a senadora do Partido Verde, Rachel Siewert, e Bob Brown, líder da Operação Kimberley Miinimbi. Foto: Fair Projects

“Existem melhores opções para onde este desenvolvimento de gás poderia ir. Sabemos que um número de parceiros da Woodside também preferem ir para outro lugar. Em minhas conversas com a Shell, por exemplo, tem o prazer de mudar o projeto. Eu tenho escrito ao Conselho de Woodside, e pedido para considerarem locais alternativos”, concluiu Bob Brown.

A Sea Shepherd recebeu recentemente uma carta de Joseph Roe, Roe Phillip e Richard Hunter, os mais altos chefes da lei do povo Goolarabooloo, país onde a plataforma de gás poderia ser construída. Um trecho desta carta, convidando a Sea Shepherd a visitar a Kimberley e apoiar a campanha, é descrita logo abaixo:

“O povo Goolarabooloo, juntamente com nossos amigos de todo o mundo, está lutando para salvar este País da destruição. Aqui o mar do nosso país é a casa das baleias jubartes. Nós temos visto o trabalho que têm feito para proteger as baleias no Oceano Antártico. Agradecemos todo o apoio que puderem nos dar para proteger as jubartes no mar do nosso país da proposta de construir um porto industrial em James Price Point da LNG exportação.” – Joseph Roe, Phillip Roe e Richard Hunter.

O capitão Paul Watson, da Sea Shepherd, que ainda está sob prisão domiciliar na Alemanha, respondeu com a carta abaixo, dizendo: “Obrigado pelo convite que aceitamos no espírito de amizade eterna com a promessa de nos unirmos ao povo Goolarabooloo para defender a beleza e sacralidade deste ambiente maravilhoso.”

Para prestar nosso respeito aos tradicionais donos de Goolarabooloo, estamos realizando nossa visita, a Operação Kimberley Miinimbi, o nome Goolarabooloo para baleia jubarte.

Bob Brown, membro consultivo da Sea Shepherd e ex-líder do Partido Verde australiano está assumindo a liderança nesta campanha, a Operação Kimberley Miinimbi.

O Steve Irwin deixará Seaworks, em Williamstown, neste sábado, para chegar em Broome em 4 de Agosto, onde uma parte da imprensa local internacional, músicos e pessoas de negócios vão embarcar para uma viagem de James Price Point, como uma vigília para chamar a atenção para os partos que continuam ocorrendo naqueles lugares.

A Sea Shepherd também está convidando os Ministros do Meio Ambiente, Tony Burke e Greg Hunt, para vir e ver as baleias e o ambiente marinho extraordinário de Kimberley por eles mesmos. Este é o verdadeiro legado para nossos filhos que deve ser protegido para benefício de todos e para proteger a lei, e o ciclo de cultura e música do povo Goolarabooloo.

Traduzido por Dani Vasques, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil