Notícias

Orca morta, um gostinho do que ainda está por vir?

Lágrimas de sangue. Foto: Carol Ann Bassett

Na semana passada, na pequena cidade de La Pedrera, no Uruguai, uma orca morta chegou até a praia. Não é comum orcas serem encontradas em praias; conservacionistas locais examinam o caso.

Acontece que este é a terceira orca levada à terra nesta área recentemente, e parece que há um padrão. Similar ao Peru, onde centenas de golfinhos foram recentemente levados à praia, o Uruguai também está se preparando para a extração de petróleo. A construção de um porto de águas profundas está prevista para esta área.

A área, no entanto, é uma reserva da biosfera internacional e Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Ela inclui parques nacionais frágeis e áreas RAMSAR. Também está localizada bem no caminho migratório da Baleia Franca Austral.

Ao examinar a orca, o biólogo de baleia biólogo, Rodrigo Garcia Pingaro, Diretor da ONG local, Organización para la Conservación de Cetáceos (OCC), descobriu sangue saindo dos olhos e do respiradouro da orca. É mais do que provável que testes sísmicos realizados pela indústria do petróleo fatalmente feriram a orca. Depois de ser examinada, a orca foi enterrada na praia.

Em breve, testes sísmicos prolongado vão começar, e o medo de muitos é que muito mais vida marinha seja encontrada sobre estas praias uruguaias. A Organización para la Conservación de Cetáceos vai apresentar uma proposta antes do governo uruguaio para criar santuários de baleias nas águas uruguaias (Zona Econômica Exclusiva), objetivando especificamente proteger os cetáceos e seu habitat, a fim de prevenir e minimizar os problemas que o tráfego de navios, contaminação e sons submarinos estão causando . Esta proposta tem o apoio total da Sea Shepherd.

A Sea Shepherd Uruguai está apenas começando. Até agora, nada além de alguns voluntários. Parece que eles serão lançados no fundo do poço com o que poderia tornar-se uma longa batalha sobre a preservação de áreas protegidas, contra uma das indústrias mais destrutivas do planeta.

Orca com a La Pedrera ao fundo. Foto: Carol Ann Bassett

Colhendo amostra de tecido. Foto: Carol Ann Bassett

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list

Related Posts