Participe do Esquenta para o Dia Mundial da Limpeza

Sea Shepherd Brasil se uniu à iniciativa Limpa Brasil para mutirão de limpeza no dia 28 de Agosto

No dia 28 de agosto, no Dia Nacional do Voluntariado, faremos uma grande mobilização de limpeza. Todos podem participar a partir em sua própria casa e rua, em família e sem aglomeração, para manter a segurança. 

A ação é um “esquenta” para o dia 19 de setembro, Dia Mundial da Limpeza, quando também acontecerá um mutirão de limpeza com participação dos voluntários da campanha Ondas Limpas. 

Neste ano, a Sea Shepherd se uniu à iniciativa Limpa Brasil, que organiza o mutirão.

Para participar, os voluntários devem se cadastrar no site do Limpa Brasil. 

Esquenta do Dia Mundial da Limpeza

Todos os voluntários da campanha Ondas Limpas estão convidados e a participação garante um certificado de 15h e moedas Gooders (que devem ser solicitadas no momento do cadastro).

Não esqueça de informar que a empresa que incentiva sua participação é a Sea Shepherd Brasil – Campanha Ondas Limpas. Isso é importante para podermos medir a participação depois da ação. 

No dia, use a camiseta Sea Shepherd, registre e poste no Instagram! Marque @seashepherdbrasil e use #EuCuidoDoMeuQuadrado, #OndasLimpas e #SeaShepherd. Envie fotos e vídeos aos coordenadores e informe os dados da coleta (quantidade, peso, etc). Isso pode virar conteúdo informativo nas nossas redes sociais. 

Todos cuidando do seu quadrado

Em decorrência da pandemia do novo coronavírus, o Esquenta para o Dia Mundial da Limpeza será realizado com ações individuais ou em pequenos grupos do convívio familiar (sempre observando as orientações dos órgãos competentes do seu estado), cuidando do nosso quadrado para cuidar do nosso planeta, através de atividades como:

Mutirão na sua rua
Individual ou no máximo 4 pessoas do núcleo familiar, com deslocamento máximo de 1 km da sua residência. 

Mutirão de eliminação do Foco de Dengue 

Mutirão Solidário
Separe o que não tem mais serventia para você e doe para quem precisa. 

Mutirão Digital
O objetivo é organizar sua vida digital e remover todas as informações dispensáveis. Limpe de seus dispositivos fotos duplicadas, aplicativos não utilizados, e-mails antigos ou não lidos, arquivos desnecessários.

Saiba mais em: digital.worldcleanupday.org

Resíduos

  1.  Separação dos resíduos (recicláveis, compostos e rejeitos); 
  2.  Mapeamento dos pontos viciados de lixo;  
  3.  Coleta de Resíduos Eletrônicos; 
  4.  Coleta de Óleo.

Outros

  1.  Horta;
  2.  Plantio/Compostagem;
  3.  Reaproveitamento de alimentos;
  4.  Revitalização de espaços.

 Mutirão mental (Sustentabilidade Emocional e Espiritualidade)

  1.  Meditação;
  2.  Prática de esporte;
  3.  Música;
  4.  Dança;
  5.  Yoga;
  6.  Leitura;
  7.  Práticas espirituais;
  8.  Outros.

Lives
Realizando transmissões ao vivo sobre os temas das atividades descritas acima como compostagem, mutirão, plantio, reaproveitamento, etc.

Voluntária segurando bitucas
Lembre-se: tome todos os cuidados necessários caso realize alguma atividade fora de casa. Use luvas, máscara, álcool em gel e mantenha-se em distanciamento social.
Dia: 28/08/2020
Onde: na sua casa e rua
Inscrições: www.limpabrasil.org/cadastro-voluntarios 
Vamos juntos nessa?

Conheça o Sea Shop e Ajude a Sea Shepherd

SEA SHEPHERD ALERTA QUE TUBARÕES TÊM MENOS PROTEÇÃO EM ALTO MAR

Há pouco mais de um mês, no dia 17 de julho, A British Broadcasting Corporation (BBC) relatou uma concentração incomum de navios de pesca com bandeira chinesa que se reúnem no alto mar do Pacífico Tropical Oriental, uma região marítima que inclui a reserva marinha de Galápagos, no Equador. A reserva marinha de Galápagos é um patrimônio mundial da UNESCO e abriga a maior concentração de tubarões do mundo.

“A presença destes navios de pesca em alto mar, entre a reserva marinha de Galápagos e as águas soberanos do Equador, não é tecnicamente ilegal, mas viola o espírito da área marinha protegida,  já que muita das espécies, incluindo tubarões, são migratórias e regularmente deixam o santuário para o mar”, disse o capitão Peter Hammarstedt, diretor de campanhas da Sea Shepherd. “Uma vez que estão em alto mar, eles têm menos proteção, pois não estão sob as leis equatorianas que regem a reserva marinha de Galápagos”, finaliza.

O Pacífico Tropical Ocidental é uma das áreas mais críticas da biodiversidade marinha do mundo, além de ser uma área em que os tubarões têm menos proteção porque as águas não pertencem a nenhum Estado. 

A frota foi detectada através de dados coletados pela Global Fishing Watch, um grupo de conservação oceânica, que emprega satélites e outras soluções tecnológicas para monitorar a atividade pesqueira.  A Sea Shepherd trabalha em parceria com a Global Fishing Watch desde 2018, investigando incidentes de pesca ilegal não declarada e não regulamentada (INN) no alto mar do Pacífico Tropical Ocidental. Nosso time faz parte da operação Treasured Islands.

Durante outra missão de monitoramento dos times, foi possível flagrar outro navio de bandeira chinesa em atividade, o Fu Yuan Yu 019, recuperando uma rede repleta de tubarões-seda. Esta espécie de tubarões, que sofre ameaça de extinção, está protegida pela Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Silvestres Ameaçadas de Extinção (CITES), também conhecida como Convenção de Washington

Embora atualmente limitada, devido aos desafios logísticos pelo COVID-19, a Sea Shepherd se dedica a operações contínuas de embarcações no Pacífico Tropical Ocidental, trabalhando com autoridades para interromper a pesca ilegal, uma vez que os governos têm jurisdição nacional e monitorando as áreas de alto mar onde existe vácuo de aplicação da lei.

Você também pode ajudar a Sea Shepherd a proteger a vida marinha, clique aqui para ter acesso à todas as formas que os parceiros e voluntários da Sea Shepherd podem fazer a diferença.

CAMPANHA BORRIFOS MAMÃES E BEBÊS DE BALEIAS JUBARTE

As mamães jubartes (Megaptera novaeangliae) são muito protetoras e expressam muito amor ao seu bebê. Ao nadarem se tocam constantemente e a mamãe Jubarte carrega seu bebê no colo, apoiando-o sobre o dorso quando ele supostamente está cansado de acompanhá-la.

A Baleia-jubarte dá à luz a apenas um filhote a cada dois a três anos com 11 a 12 meses de gestação. Nascem com aproximadamente 4 metros pesando 1 tonelada. São mamíferos que bebem o leite em bocadas por ser muito denso. Ele toca gentilmente as mamas da mãe que jorra o grosso líquido na água e bebem em média de 100 a 400 litros de leite por dia! É o leite mais rico dos mamíferos e o desmame ocorre por volta dos 10 meses. Na fase adulta podem chegar a 40 toneladas.

Há aproximadamente 20 mil indivíduos, centenas passam pelo Brasil por volta de maio a julho para acasalar e parir seus filhotes com concentração maior em Abrolhos, o maior berço reprodutivo do Atlântico Sul Ocidental.

APOIE os projetos de conservação destes magníficos animais que encontraram em nosso litoral brasileiro refúgio para a perpetuação da sua espécie. Toda ajuda importa! Saiba como engajar-se acessando SeaShepherd.org.br e Filie-se ajudando a Campanha Borrifos para o monitoramento e estudo das baleias jubarte em Ilhabela no litoral norte
de São Paulo.

CAMPANHA BORRIFOS – OBJETIVOS COM DADOS DE AVISTAGENS, PESQUISA CIENTÍFICA, CURIOSIDADES, HISTÓRIA,CIÊNCIA CIDADÃ

A Campanha Borrifos para o monitoramento das baleias em Ilhabela é um projeto de apoio aos registros da migração das baleias jubarte em São Paulo, até então fora das rotas das observações registradas.

O marco zero é no bairro Borrifos (na base fixa do núcleo SP que leva o nome da campanha), local de muitos avistamentos nos últimos anos. O projeto visa ajudar na comunicação por rádio VHF da posição das baleias no mar, para criar imagens dos saltos e foto de identificação caudal, para criar alertas de proteção e interação inadequadas dos barcos particulares como também registrar os números dos avistamentos.

Doe para ajudar na conservação dos oceanos

O nome do ponto de comunicação é o RÁDIO SEA SHEPHERD para transmitir rapidamente a trajetória das baleias aos barcos do Projeto Baleia à Vista, barco dos guias e fotógrafos do Mar e Vida Ecotrip bem como das avistagens de longo alcance do Ponto Fixo do VIVA Verde Azul. O monitoramento ajuda os projetos da rede de profissionais da conservação marinha, como biólogos, fotógrafos, professores, cientistas e entusiastas, todos colaboradores em terra ou mar, num raio de 30 quilômetros ao sul da ilha para incrementar projetos da ciência científica e ciência cidadã.

O objetivo é expor a todos a rota de migração do litoral norte de São Paulo com vídeos, LIVES e diário de mar e terra, comportamentos e quantidade de animais avistados, todos relatados do local, com observação de apoio de binóculos, equipamentos de filmagem, drone e saídas embarcadas para levar os fatos para a sabedoria e encantamento popular. Assim acreditamos que criaremos medidas governamentais para a preservação e proteção das baleias do Atlântico Sul em rota para a Bahia, na região do berçário em Abrolhos.

APOIE o projeto de conservação e monitoramento das baleias de São Paulo contribuindo para a Campanha Borrifos ajudando com recursos financeiros, habilidades técnicas ou equipamentos em prol da proteção dos cetáceos.

Pelos oceanos

Visite, DOE, Compre em  seashepherd.org.br

#Borrifos #monitoramento #Jubarte @projetobaleiaavista #ballerina #cetacea @cap.ximango @marevida_ecotrip #kiria @frank_explorer @vivaverdeazul

As baleias Jubarte já estiveram muito ameaçadas devido à indústria da caça.

Em 2014, graças a muitos esforços a espécie saiu da lista de animais marinhos ameaçados de extinção. De 1000 indivíduos na década de 90 hoje já são 20 mil em nosso litoral brasileiro.

Uma vitória conservacionista!

Vindas da Georgia do Sul e das Ilhas Sandwich na Antártica, elas chegam ao Brasil por volta de maio a julho para acasalar e parir seus filhotes com concentração maior em Abrolhos, o maior berço reprodutivo do Atlântico Sul Ocidental.

Doe para ajudar na conservação dos oceanos

As baleias em São Paulo  – história da época da caça

Ilhabela , Borrifos – As jubartes retornam a São Paulo depois de um passado secular de caça. Desde 1986 é proibida a caça de baleias no Brasil e ainda mais num passado distante, Ilhabela tinha um porto de processamento na Praia da Armação onde derretiam a gordura para o óleo. Mas Ilhabela também tem outro local que se via os borrifos das baleias (tanto no passado como nos dias de hoje). O bairro Borrifos – localizado no extremo sul de Ilhabela é uma região de passagem das baleias jubarte, bryde e minke, além de muitos golfinhos próximos ao costão rochoso. A vista para mar aberto propicia avistagens em terra para estudos da migração e rendem fotos fantásticas aos sortudos de plantão em mar ou em terra.

Baleias valem muito para o meio ambiente. Porquê?

  • A captura de carbono e a fertilização marinha podem restaurar ambientes ecossistêmicos

  • As baleias acumulam carbono ao longo da vida, em média 33 toneladas de CO2 por ano. O número é expressivo pois podemos comparar com de uma árvore que absorve, em média, apenas 7 kg de CO2 por ano.

  • Além de acumular carbono, as baleias têm o poder de fertilizar com seus excrementos a produção de nutrientes para o fitoplâncton (o verdadeiro pulmão do mundo) que é constituído de algas e microscópicos animais que representam 40% do CO2 produzido no mundo. Isso é o mesmo que CO2 capturado por 1,70 trilhão de árvores – ou quatro florestas amazônicas.

  • As baleias mortas naturalmente na natureza (podem viver em média 70 anos) também geram riqueza para toda a cadeia alimentar dos oceanos, servindo de alimento para os decompositores (bactérias) até aos predadores (tubarões, camarões, vermes, crustáceos, aves..). São riquíssimas para toda diversidade de animais da superfície e das profundezas, pois seu corpo depositado no fundo servirá de alimento por muitos anos aos animais do leito oceânico.

Doe para ajudar a Vida Marinha

Apoie a ciência ao acessar nosso site para DOAR para a proteção e conservação destes magníficos cetáceos em seashepherd.org.br/borrifos

#Borrifos #SeaShepherd #Baleias #Jubarte #Migração

Fotos Amigos do Projeto Baleia à Vista / Mar e Vida Ecotrip / Frank Santos