Notícias

Sistema de aviso antecipado para baleias: a Sea Shepherd posiciona sistema acústico de aviso para baleias nas Ilhas Faroé

Durante as últimas semanas, a Sea Shepherd Conservation Society manteve presença no Protetorado Dinamarquês das Ilhas Faroé.bb

A Sea Shepherd é acompanhada pela Fundação Brigitte Bardot na nossa oposição à chacina brutal e bárbara de baleias piloto pelos cidadãos das Ilhas Faroé.

É uma chacina ainda mais horrível do que a matança de golfinhos em Taiji, no Japão, e está ocorrendo na Europa, violando a Convenção de Berne, à qual a Dinamarca é signatária.

Do nosso navio, o Golfo Azzurro, a Sea Shepherd e a Fundação Brigitte Bardot vem reunindo evidências sobre a matança de baleias e golfinhos, e posicionando aparelhos acústicos experimentais na água para desviar as baleias piloto para longe da ilha.

Nós mantivemos essa idéia em silêncio até agora, mas hoje a mídia das Ilhas Faroé relatou que um grupo de baleias piloto escapou por causa de sons sendo emitidos sob a água.

Bem, eles nos pegaram. Nós estávamos fazendo exatamente isso. E aparentemente o aparelho funciona, e se ele funciona voltaremos no próximo ano com mais desses aparelhos para distribuir.

Os moradores das Ilhas Faroé matam grupos inteiros de baleias, incluindo as grávidas jovens. Nenhuma baleia sobrevive, uma vez que eles sacam suas longas facas e clavas. Elas morrem em uma orgia agonizante e sangrenta, enquanto pescadores bêbados golpeiam, esfaqueiam, batem e cortam os animais indefesos até sua morte, enchendo a baía de sangue.

Os faroenses o chamam de “The Grind” (A Trituração) e dizem que é uma tradição e um presente de Deus. Nós chamamos isso de um esporte sádico e sangrento e um crime, uma violação das regras da Comunidade Européia, da qual as Ilhas Faroé recebem todos os benefícios.

Os aparelhos acústicos podem ser deixados no mar e operam por semanas por baterias. Eles podem ser a chave para salvar as vidas de muitas dessas gentis baleias, mantendo-as longe da recepção cruel e violenta que os faroenses as dariam

A tripulação do Golfo Azzurro não quebrou nenhuma lei, e, portanto, a Marinha dinamarquesa só pode escoltá-los; não pode embarcar ou prendê-los.

Essa campanha está sendo conduzida pela Presidente da Sea Shepherd na França, Lamya Essemlali.

No início deste verão, o agente secreto da Sea Shepherd, Peter Hammarstedt, conseguiu documentar um dos massacres mais cruéis de baleias piloto. Desde então, os faroenses vêm encobrindo os fetos que são arrancados dos ventres das fêmeas para que não possam ser fotografados, indicando que até eles podem estar um pouco envergonhados das suas atividades sádicas.

Traduzido por Marcelo C. R. Melo, voluntário do ISSB

Back to list

Related Posts