Núcleo SP participará do II Festival Vegano do ABC

Por Claudia Heloisa Hallage, voluntária do Núcleo SP do Instituto Sea Shepherd Brasil

Neste domingo (28/10), ocorrerá o II Festival Vegano do ABC, das 12h às 18h, na Estação Jovem, Rua Serafim Constatntino – S/N, em São Caetano (SP). O evento conta com diversas atividades, exposições e palestras voltadas para a conscientização do público sobre alternativas de consumo de menor impacto ambiental e maior respeito à vida.

O Instituto Sea Shepherd Brasil estará presente no evento com atividades lúdicas voltadas às crianças, exposição de filmes que abordam a questão das atividades predatórias contra a vida marinha e venda de produtos da marca Sea Shepherd.

Para mais informações acesse o site: festivalvegano.com

Instituto Sea Shepherd Brasil realiza curso de Ações para Salvamento de Animais Marinhos em Derrame de Petróleo no Rio de Janeiro

Por Luiz André Albuquerque, Diretor Regional Voluntário do Instituto Sea Shepherd Brasil, Núcleo Estadual Rio de Janeiro

Nos dias 20 e 21 de outubro de 2012, o Instituto Sea Shepherd Brasil realizou mais um Curso de Ações para Salvamento de Animais Marinhos em Derrames de Petróleo, na cidade do Rio de Janeiro, com o apoio do Grupo de Mergulho Estácio de Sá – GMES, importante parceiro da instituição, que é liderado pela Instrutor Ten-Cel Luiz Cláudio Ferreira.

As aulas foram ministradas pelo Diretor Geral, Wendell Estol e pelos biólogos Francine Maciel e Caio Faro, que transmitiram aos participantes valiosos conhecimentos para realização de resgates de aves e pequenos cetáceos petrolizados, abordando técnicas de diagnóstico, segurança, estabilização dos animais a serem socorridos em um eventual derramamento.

Simulação de salvamento de golfinho em sala de aula. Foto: ISSB

Após a parte teórica, utilizando as técnicas ensinadas, os alunos realizaram a simulação do salvamento de um golfinho, primeiro em sala de aula e, depois, na praia, onde montaram uma equipe de gerenciamento de crise, visando assemelhar-se a uma situação real.

É importante frisar que comumente são encontradas diversas espécies de animais marinhos cobertos de petróleo no litoral brasileiro, sendo as aves, peixes, golfinhos, pinguins e baleias, os primeiros a sofrerem as consequências do derramamento de petróleo.

Simulação de salvamento de golfinho na praia. Foto: ISSB

O Instituto Sea Shepherd Brasil pretende oferecer o curso junto aos órgãos públicos no Estado, por estar localizada no litoral do Rio de Janeiro, na Bacia de Campos, a maior província petrolífera do Brasil, responsável por mais de 80% da produção nacional de petróleo, além de possuir as maiores reservas já identificadas.

Infelizmente, ainda são poucos os órgãos públicos e as organizações que podem atender com eficiência em caso de um grande vazamento, face a extensão que o dano fatalmente acarretará, especialmente pela falta de preparo humano e de equipamentos adequados.

Capitão Paul Watson recebe o Prêmio Jules Verne

Por Lamya Essemlali, presidente da Sea Shepherd França

O Prêmio Jules Verne 2012 é concedido ao Capitão Paul Watson (ausente) em Paris. Foto: Sea Shepherd

O fundador e presidente da Sea Shepherd Conservation Society, o Capitão Paul Watson, tornou-se a segunda pessoa, depois do Capitão Jacques Cousteau, a ser homenageado com o Prêmio Jules Verne, dedicado aos ambientalistas e aventureiros.

Em 10 de outubro, eu estava orgulhosa de representar o Capitão Watson em Paris, para receber o prêmio em seu nome, por sua extraordinária batalha ao longo da vida para defender e proteger os nossos oceanos.

A cerimônia foi realizada na presença de Richard Dean Anderson, um amigo de longa data, e partidário do Capitão Watson, que também recebeu o Prêmio Jules Verne na categoria Artista.

Durante a cerimônia em Paris, também tive o grande prazer de mais uma vez me reunir com o querido amigo do Capitão Watson, Jacques Perrin, produtor e diretor do filme Oceano, um dos filmes mais espetaculares já feitos sobre os nossos oceanos. Monsieur Perrin também recebeu o Prêmio Jules Verne na categoria Artista.

Após a cerimônia, Jacques Perrin expressou seu apoio contínuo ao seu amigo Capitão Paul Watson.

Sabendo da grande admiração que o Capitão Paul Watson tem tanto por Jules Verne quanto para o Capitão Cousteau, e sua amizade com Jacques Perrin e Dean Richard Anderson, não há dúvida de que ele estaria muito bem acompanhado, se a sua dedicação pelas baleias e pelas criaturas marinhas não lhe custasse uma parcela de sua liberdade. Mas, como ele muito bem declarou em uma mensagem gravada especialmente para a ocasião, “o custo da [sua] liberdade em troca das vidas de milhares de focas, baleias, tubarões e criaturas do mar é um investimento que vale a pena”.

E o público estava bem ciente deste fato, naquela noite, quando a voz do Capitão foi transmitida no auditório do palácio histórico parisiense do Grand Rex. Foi sem dúvida o momento mais emocionante da noite.

Todos nós sentimos muito a falta do Capitão. Ele merecia estar lá com a gente, e ele devia ter recebido o prêmio em pessoa. No entanto, foi com imensa honra e um aperto no meu coração que eu recebi este prestigioso prêmio em seu nome. Vou preciosamente guardá-lo até que ele possa voltar à praia novamente.

Depois de ouvir sobre a cerimônia, o Capitão Watson enviou uma mensagem para mim dizendo o quanto ele apreciava todas as manifestações de carinho, respeito e apoio que as pessoas presentes manifestaram para ele e para o trabalho da Sea Shepherd Conservation Society.

“Obrigado Lamya, Richard, e Jacques por me representarem e falarem em meu nome. Eu nunca liguei muito para prêmios, mas este, bem, ele era diferente, porque é o Prêmio Jules Verne, e a associação deste prêmio com o lendário capitão do Calypso, Jacques Cousteau, o torna muito especial”.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Tubarões em perigo na Austrália, graças ao Departamento de Pesca

Tubarões alinhados no convés. Foto: Tim Watters / Sea Shepherd

A Austrália Ocidental está pronta para continuar alimentando o apetite da Ásia por barbatana de tubarão, em uma jogada controversa conduzida pelo Ministro das Pescas, Norman Moore. Uma delegação foi à China, liderada pelo Diretor Geral do Departamento de Pesca, Stuart Smith, e descobriu que haveria uma forte demanda por barbatana de tubarão da Austrália Ocidental com um “selo verde”, que garante a proveniência de fontes sustentáveis. O ministro e seu departamento já solicitaram que o Conselho Independente da Marinha analise os limites do Estado de captura e práticas de pesca, para que a Austrália Ocidental possa ser certificada como uma pesca sustentável. – Extraído de um artigo do Sunday Times, de 07 de outubro de 2012.

Existem muitas campanhas para salvar os tubarões, há muitos anos, de diversas organizações, com embaixadores como Sir Richard Branson, Yao Ming e Jackie Chan para contribuintes individuais. No entanto, ainda há um longo caminho a percorrer antes que a humanidade perceba o importante papel que os tubarões desempenham na saúde dos nossos oceanos, e a barbárie cruel do comércio de barbatanas de tubarão. As alegações de que o mercado de barbatana de tubarão está quebrando devido à campanha por grupos verdes são completamente falsas. O que está acontecendo é simplesmente que as populações de tubarões em todo o mundo estão reduzindo devido ao excesso de pesca e à demanda contínua de barbatanas de tubarão. Um estudo da IUCN (International Union for Conservation of Nature) mostrou que um terço de todas as espécies de tubarão está ameaçada de extinção – a maioria não vai sobreviver depois de 2020. Nos últimos 20 anos, as populações de tubarões em todo o mundo têm estado em declínio, algumas em até 90%. Como último recurso, finners de tubarão estão cada vez mais invadindo reservas marinhas, uma vez que estes são os únicos lugares restantes, a última fortaleza de tubarões. Estas reservas marinhas, lugares raros e únicos, devem ser protegidas para garantir o banco de biodiversidade dos oceanos.

O Diretor do Departamento de Pesca, Stuart Smith, dizer que a Austrália pode fornecer um produto sustentável de barbatana de tubarão para o mercado asiático, destrói completamente o importante trabalho que tem sido feito por Branson, Ming, Chan e todas as organizações não-governamentais em campanha para salvar os tubarões. Sem mencionar o trabalho incansável realizado pela Sea Shepherd em todo o mundo, mais notavelmente em Galápagos, onde a Sea Shepherd está trabalhando ao lado de autoridades em seus esforços para acabar com a caça ilegal de tubarões na Reserva Marinha de Galápagos. Além da Austrália Ocidental e Galápagos, existem vários Estados e províncias ao redor do mundo que proíbem a remoção das barbatanas de tubarão ou importação/exportação de produtos de tubarão. Declarações como esta feita por Stuart Smith mostra uma completa falta de respeito, não só para com tubarões e o mundo natural, mas também para com as gerações futuras, e destaca que o Sr. Smith é completamente ignorante sobre o importante papel desempenhado pelos tubarões na saúde dos nossos oceanos, e a grave situação que enfrentam a nível mundial.

“Não existe pesca sustentável do tubarão, os tubarões estão ameaçados de extinção em todo o mundo. A decisão do governo da Austrália Ocidental foi tomada por políticos que perderam o contato com a realidade. É a cobiça sobre a lógica, o lucro sobre a natureza, o dinheiro sobre o nosso futuro. Aqui o povo de Galápagos está em contato com a natureza, e eles entendem que o valor de um tubarão vivo supera em muito o valor de um morto. É tempo dos políticos da Austrália Ocidental acordarem e aderirem ao programa”, disse Alex Cornelissen, da Sea Shepherd Galápagos.

Diretor da Sea Shepherd Galápagos, Alex Cornelissen. Foto: Tim Watters / Sea Shepherd

Oferecer um dos últimos redutos remanescentes para os tubarões para os mercados da Ásia seria como encontrar um grupo desconhecido de rinocerontes pretos africanos  e oferecê-los aos caçadores. Não existe barbatana de tubarão sustentável, e abrir esta área para a pesca de tubarão só irá permitir um nível ainda maior da corrupção no comércio ilegal de barbatanas de tubarão, um comércio que é apenas o terceiro, atrás apenas do comércio ilegal de drogas e armas. É a este setor que os australianos querem estar ligados?

O mundo está muito preocupado com o estado das populações de tubarões, e vai acompanhar o governo da Austrália Ocidental muito de perto sobre isso. A partir de um sentido puramente econômico, não só haveria uma perda direta na indústria do mergulho, já que muitos mergulhadores chegam à Austrália Ocidental para ver tubarões, mas devido à indignação absoluta da comunidade mundial, pode até mesmo haver um boicote do turismo na Austrália Ocidental se esta oferta de barbatanas de tubarão for seriamente ‘colocada na mesa’ para o mercado asiático.

O Diretor australiano, Jeff Hansen, afirmou: “Imagine a nossa população de baleias jubarte hoje, se bem na véspera da moratória mundial da caça comercial alguma nação oferecesse uma forma sustentável de carne de baleia jubarte para o mercado. Os tubarões têm mantido nossos oceanos saudáveis por mais de 450 milhões de anos, os oceanos que nos dão até 80 por cento do nosso oxigênio, contamos com tubarões a cada dia para a nossa própria sobrevivência. Nós precisamos deles, eles não precisam de nós, e por isso nós precisamos dar a eles o respeito que merecem. Podemos viver muito bem sem uma sopa sem sabor e sem valor nutricional, mas não podemos viver neste mundo sem tubarões.”

Stuart Smith, Norman Moore e o Governo da Austrália Ocidental têm a oportunidade de defender os tubarões e defender a saúde dos nossos oceanos, para o benefício das gerações atuais e futuras.

O que você pode fazer para ajudar?

Entre em contato com o Ministro das Pescas, Norman Moore, para que ele saiba as suas preocupações sobre este assunto.

Para contatar o Ministro:

Honorável Norman Moore BA DipEd JP MLC
Ministro das Minas e Petróleo; Pesca; Assuntos Eleitorais
Endereço: 4th Floor, London House, 216 St Georges Terrace, PERTH WA 6000
Telefone: (08) 6552-5400
Fax: (08) 6552-5401
e-Mail: Minister.Moore@dpc.wa.gov.au

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

 

Os golfinhos precisam da sua ajuda!

Os Guardiões da Enseada precisam substituir equipamentos necessários.

Comprador de carne em Taiji. Foto: Sea Shepherd

Mais uma vez a polícia na prefeitura de Wakayama nos mostra que estamos sendo eficazez na Operação Paciência Infinita. Os policiais invadiram o hotel de todos os Guardiões da Enseada no Japão e apreenderam cartões SD, telefones e computadores. A polícia diz que levará pelo menos duas semanas até que os itens sejam devolvidos.

Aparentemente, o ataque é em resposta ao dano causado a uma estátua por um ato descuidado de um voluntário Guardião da Enseada. Mas é mais que isso. Mantendo todo esse equipamento confiscado por tanto tempo, a polícia está efetivamente impedindo nossas comunicações. Eles não querem que nós divulguemos as atrocidades. Eles não querem o envio de atualizações pelo Twitter. Eles não querem que a gente publique fotos e vídeos da crueldade infligida sobre os golfinhos lá. Eles não querem que lembremos ao mundo que o Japão é desonroso e vergonhoso. Além disso, a perda de comunicação compromete a segurança dos bravos voluntários.

Em dezembro de 2011, a polícia japonesa conduziu falsas alegações e acusações contra o Guardião da Enseada Erwin Vermeulen. Erwin foi finalmente declarado inocente das acusações em um tribunal japonês e as autoridades ficaram envergonhadas. Durante a “investigação”, a polícia apreendeu nossos computadores, o que teria nos prejudicado, se não tivéssemos substituído rapidamente o equipamento e o colocado em uso. Muitos apoiadores em todo o mundo reagiram e fizeram doações para ajudar a Sea Shepherd a substituir o equipamento e voltar à campanha.

Agora a polícia japonesa está se utilizando de um infeliz incidente e estão tentando transformá-lo em algo que não é. Nós certamente não queríamos que a estátua fosse danificada. Somos muito claros em nossas instruções para os Guardiões da Enseada de que não vamos tolerar a violação de qualquer lei japonesa. Além disso, a polícia usou a desculpa de outra “investigação” falsa para prejudicar nossas comunicações. Nós não vamos deixá-los prevalecer, e com a sua ajuda, vamos levantar os fundos necessários para substituir o equipamento necessário pelos Guardiões da Enseada. Precisamos de cerca de US$ 4.000 para substituir o equipamento e configurar os serviços e conexões necessárias para manter a campanha em frente. Por favor, ajude-nos a levantar esses fundos! Qualquer valor a mais será usado para locação de veículos, combustível, serviço de telefone, Internet, etc.

Continuamos a monitorar a captura e transporte de golfinhos selvagens para parques marinhos e aquários ao redor do mundo. Estes lugares lucram com o tormento dos golfinhos. Não há nenhuma razão legítima para capturar e manter golfinhos e outros cetáceos em cativeiro. Estamos trabalhando para acompanhar os golfinhos que recentemente foram levados de Taiji. Nós documentamos um homem ocidental envolvido nesta transferência e vamos publicar a sua identidade e seu destino, uma vez que tivermos esta informação confirmada.

Faça sua doação: https://my.seashepherd.org/NetCommunity/SSLPage.aspx?pid=184

Pelos oceanos,
Scott West
Coordenador da campanha Guardiões da Enseada
Sea Shepherd Conservation Society

Polícia de Taiji. Foto: Sea Shepherd

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil