Fim da longa disputa judicial entre Pete Bethune e a Sea Shepherd

O Shonan Maru 2 deliberadamente abalroou o Ady Gil. Foto: Joanne McArthur / Sea Shepherd

Pete Bethune, fundador da Earthrace Conservation, e a Sea Shepherd Conservation Society, chegaram a um acordo em sua disputa judicial de longa duração. O acordo, que envolve um ajuste financeiro para Bethune, também prevê que ele vai ajudar a Sea Shepherd a garantir que Paul Watson não seja extraditado para o Japão.

A disputa entre a Sea Shepherd e Bethune teve início depois que a embarcação Ady Gil foi danificada na campanha em defesa das baleias da Sea Shepherd, em 2010, enquanto tentava deter os baleeiros japoneses na Antártida. O Ady Gil foi deliberadamente abalroado pelo Shonan Maru 2, uma embarcação de segurança japonesa, e após um período de reboque, o Ady Gil foi abandonado.

Nos termos do acordo assinado entre Bethune e a Sea Shepherd em 2009, se o navio fosse perdido ou destruído, a Sea Shepherd teria que fazer certos pagamentos a Bethune. A decisão judicial foi sobre o pagamento e o seu montante.

Bethune disse: “Estou feliz que o caso chegou ao fim e estou satisfeito com o resultado. Disputas entre indivíduos e organizações que fundamentalmente trabalham pelos mesmos objetivos é um desperdício de tempo, dinheiro e esforço, que poderiam ser melhor gastos na proteção da vida e ambiente marinho. Este acordo significa que eu serei capaz de retribuir a todos aqueles que têm sido tão generosos em me ajudar a manter minha cabeça acima da água, bem como todos aqueles que me apoiaram firmemente ao longo deste episódio todo, especialmente todos os voluntários da Earthrace. Sem esse apoio, eu teria sido afundado, assim como o Ady Gil“.

Bethune e a Sea Shepherd estão agora focados em trabalhar juntos para o bem dos oceanos, e como parte desse esforço, Pete Bethune tem ajudado Paul Watson em seus esforços para evitar a sua extradição para o Japão, após um alerta vermelho da Interpol que foi emitido contra Paul Watson a pedido do Japão.

A Sea Shepherd afirma que o alerta vermelho é motivado politicamente, e que suas alegações são falsas. Bethune, que foi condenado por cinco crimes por um tribunal no Japão, logo após a campanha em defesa das baleias da Sea Shepherd em 2010, diz que as alegações do Japão contra Watson são essencialmente falsas ou enganosas, e seu objetivo é ver o alerta vermelho contra Paul Watson ser retirado.

“A Sea Shepherd tem honrado o acordo que fizemos com Pete Bethune”, disse Susan Hartland, Diretora Administrativa da Sea Shepherd. “Agora, ambas organizações podem fechar este capítulo da nossa história e seguir em frente para apoiar a vida marinha em todo o mundo”, acrescentou.

A Sea Shepherd prosseguirá as suas diversas campanhas para proteger os mamíferos marinhos e peixes ameaçados de extinção. A organização gostaria que o alerta vermelho contra Paul Watson fosse retirado antes da sexta temporada do seriado de TV da Sea Shepherd, “Whale Wars – Defensores de Baleias”, ir ao ar, ainda este ano.

Pete Bethune e a Earthrace Conservation estão prestes a implantar sua unidade tática na África, onde eles estão filmando a série de TV documentando a pesca ilegal por navios estrangeiros. Dois episódios da série já foram filmados, e outros seis serão filmados de julho a outubro deste ano.

O dano ao Ady Gil foi grave o suficiente para que ele tivesse de ser abandonado. Foto: Joanne McArthur / Sea Shepherd

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil.

Instituto Sea Shepherd Brasil no 25º Festival Internacional de Balonismo

Por Rodrigo Marques, Coordenador Regional Voluntário do Instituto Sea Shepherd Brasil, Núcleo Estadual Rio Grande do Sul

Em parceria com a ONG Pró Squalus, o Instituto Sea Shepherd Brasil deu seguimento à Campanha em Defesa dos Tubarões no 25ª Festival Internacional de Balonismo.

O evento, realizado no Parque do Balonismo, em Torres, entre os dias 01 a 05 de maio, apresentou ao público diversas atrações: arena de shows, tenda cultural, feira comercial, feira de filhotes, passeios de helicóptero, parque de diversões e área para esportes.

Cia. Paulista Balões. Foto: Naian Meneghetti / Área dos Balões. Foto: Rodrigo Marques

Durante todo o dia os voluntários do ISSB e da Pró Squalus destacaram a importância de preservar os tubarões e apresentaram o pedido de moratória aos visitantes que assinaram o livro da campanha. O destaque ficou para as crianças que participaram do Projeto de Educação Ambiental, em janeiro, quando colocamos um container simulando uma apreensão de barbatanas, na Praia Grande, em Torres (RS).

Criançada consciente. Foto: Rodrigo Marques

Gratificantes foram as novas amizades que fizemos por lá. Uma figura carismática mostrou que o apoio entre espécies é muito importante nessa longa jornada de preservação. O Canil Municipal de Torres, administrado por Yasmini Borges, realiza um excelente trabalho com os nossos “amigos peludos”.

Mascote do Canil Municipal. Foto: Rodrigo Marques

Os “peludos” também protegem os oceanos e seus amigos marinhos. Foto: Rodrigo Marques

O saldo do evento foi positivo. Conseguimos muitas assinaturas para a Campanha e, segundo o voluntário do Núcleo RS, Naian Meneghetti, “achei muito gratificante conhecer pessoas de vários lugares do país e do mundo, gostei de interagir com voluntários de outras organizações e conversar com o público do Festival de Balonismo sobre a Campanha”.

Balão Surpresa. Foto: Rodrigo Marques

A Campanha segue seu curso, em todo território nacional, e esperamos que, em breve, os tubarões consigam recuperar sua população e continuar regulando os oceanos do mundo para que assim a vida continue prosperando nessa casa chamada Terra.

A paleontóloga Drª. Louise Leakey manifesta seu apoio à Sea Shepherd

Drª. Louise Leakey. Foto: Sea Shepherd

A paleontóloga Drª. Louise Leakey, e membro do Conselho de Administração da Sea Shepherd Conservation Society, fala sobre sua crescente preocupação com o péssimo estado dos oceanos e da vida selvagem marinha. Junto com o fundador da Sea Shepherd, o Capitão Paul Watson, e outros membros estimados da comunidade científica, a Drª. Leakey acredita que as espécies estão profundamente interligadas e dependem da existência de populações de baleias saudáveis, e uma vez prejudicadas, toda a espécie humana e animal estará em problemas. “Os seres humanos estão explorando os oceanos bem acima das nossas possibilidades e vamos ver o fim da espécie como resultado da negligência humana. A menos que possamos garantir a sobrevivência de espécies de longa data dentro de nossos oceanos, vamos nos encontrar em um grande problema”, disse a Drª. Leakey.

A Drª. Leakey se juntou à Sea Shepherd em 2006, para emprestar sua expertise científica para alertar o público sobre a crescente desconexão com o mundo natural, mas recentemente passou a expressar mais seus pontos de vista em face do ataque implacável aos nossos oceanos. A Drª. Leakey refere-se à Sea Shepherd como um grupo de “pessoas muito dedicadas que buscam chamar a atenção do mundo para a situação dos oceanos”. Nativa do Quênia e membro ativo da família histórica de paleontologia Leakey, da África Oriental, a Drª. Leakey viu em primeira mão os efeitos devastadores da caça ilegal, mesmo nos santuários internacionais designados. “É absolutamente imperativo que nós não confiemos apenas aos governos para realmente proteger (os santuários) – eles não estão fazendo um bom trabalho nisto. Se os santuários não são defendidos pelas nações que os criam, precisamos de Sea Shepherds lá fora, para dizer: ‘Não!’ … Precisamos de guardiões para a natureza”.

A Drª. Leakey é a primeira de vários conselheiros científicos da Sea Shepherd a aparecer em uma série de vídeos e declarações, apresentando cientistas em apoio aos esforços da organização para defender e proteger a fauna marinha, incluindo baleias, golfinhos e tubarões. Além de seu envolvimento com a Sea Shepherd, a Drª. Leakey atualmente dirige o Projeto de Pesquisa Koobi Fora, o programa principal por trás de alguns das mais notáveis ​​descobertas de fósseis de hominídeos das últimas duas décadas.

O Conselho Consultivo da Sea Shepherd inclui companheiros da Drª. Leakey de dentro da comunidade científica, como o respeitado cientista sobre a pesca, Dr. Sidney Holt, o primatologista Birute Galdikas, e a cientista ecológica, Drª. Deborah Brosnan. O Conselho também possui uma lista de pesos pesados ​​de ambientalistas de Hollywood, como Pierce Brosnan, Martin Sheen, Sam Simon e John Paul DeJoria.

Assista ao vídeo (em inglês, com legendas em espanhol), onde a Drª. Louise Leakey discute o seu apoio para a Sea Shepherd e a necessidade de proteger a fauna marinha.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=7gVpSLc7NnI[/youtube]

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Sea Shepherd lança a Operação Sem Piedade, sua 10ª campanha em defesa das baleias na Antártida

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=xPZQccmUVTc[/youtube]

Após a Operação Tolerância Zero, a campanha em defesa das baleias de maior sucesso da Sea Shepherd até o momento, que salvou 932 baleias, a Sea Shepherd lança a Operação Sem Piedade. Como a campanha da temporada passada, a Operação Sem Piedade será gerida e liderada pela Sea Shepherd Austrália, com os líderes da campanha Bob Brown e Jeff Hansen.

Será a décima campanha da Sea Shepherd em defesa de baleias na Antártida, no Santuário de Baleias do Oceano Antártico. Durante as últimas nove temporadas, as intervenções de ação direta da Sea Shepherd salvaram a vida de mais de 4.500 baleias e expôs a atividade baleeira japonesa ilegal para o mundo. Com a ajuda dos australianos e de pessoas ao redor do mundo, a Operação Sem Piedade prepara-se para ser um sucesso monumental para as baleias.

“A Austrália é agora o foco da maior operação para salvar as baleias na Terra, e seu financiamento depende da generosidade dos australianos apaixonados por baleias. Estas baleias são de responsabilidade da Austrália. A Sea Shepherd está agindo onde os governos falharam em intervir no abate ilegal destas criaturas magníficas”, disse o Dr. Bob Brown, membro do Conselho da Sea Shepherd.

“O Japão afirmou que a tentativa de matar baleias no Santuário Antártico das Baleias foi abandonada devido à ‘interferência sem piedade’ da Sea Shepherd”, disse Jeff Hansen, diretor da Sea Shepherd Austrália.

“A Sea Shepherd gosta desse tipo de acusação de não termos piedade, nós gostamos de ser implacáveis na busca de finalmente trazer a paz para as baleias do Santuário de Baleias do Oceano Antártico. A Sea Shepherd sabe que esta é uma luta de David e Golias. Nossas vitórias passadas mostram que temos uma coisa que os baleeiros não têm, que é a paixão e a coragem da nossa equipe. Não importa quais são as chances, não importa quais são os riscos, não importa quão bem equipados, financiados e apoiados pelos governos seus adversários são, você nunca deve desistir, nunca deve se render. Você deve lutar pelo que é certo, porque a única coisa que vale a pena lutar em nosso belo planeta é a vida”, disse Hansen.

Uma das 932 baleias salvas durante a Operação Tolerância Zero

Os líderes da campanha, Jeff Hansen e Bob Brown, com um membro da tripulação vestindo uma camiseta com o símbolo da Operação Sem Piedade

Os navios Sam Simon, Bob Barker e Steve Irwin atracados na nova Base de Operações do Sul, em Williamstown, Melbourne

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

SEA SHEPHERD BRASIL PRESENTE NA RIO BOAT SHOW 2013

 

No dia 30 de abril, o Instituto Sea Shepherd Brasil esteve presente no “Rio Boat Show 2013”, maior salão náutico outdoor da América Latina, que realizou-se no período de 25 de abril à 1º de maio, no Píer Mauá, na Zona Portuária da cidade do Rio de Janeiro, para ministrar uma palestra acerca da atuação da organização na defesa dos ecossistemas marinhos, à nível nacional e mundial.

Luiz André Albuquerque, Diretor Regional do núcleo carioca iniciou a palestra falando sobre a constituição da organização no Brasil, sua fundação, as primeiras ações que foram realizadas, na área técnica e jurídica, através das ações civis públicas, abordando as principais campanhas desenvolvidas como as campanhas contra a pesca de arrasto ilegal, em defesa dos tubarões e na proteção de cetáceos.

 

Posteriormente, o voluntário Guilherme “Guiga” Pirá, narrou sua experiência como Cove Guardian – Guardião da Enseada – em Taiji, no Japão, local onde anualmente no dia 1º de setembro, inicia-se uma caça de golfinhos e baleias-pilotos, que dura um semestre, onde alguns poucos são escolhidos por treinadores de parques aquáticos de todo o mundo, em uma estreita ligação com a indústria do entretenimento. Para comoção mundial, os demais golfinhos são mortos, tendo sua carne vendida no comércio local e esta atividade é documentada pela equipe de Cove Guardians da Sea Shepherd, visando uma conscientização popular para não financiar shows com golfinhos em cativeiro.

Após a palestra, foi realizado um pequeno debate com o público presente, formado por voluntários, simpatizantes da Sea Shepherd e visitantes da Rio Boat Show.

 

O Rio Boat Show 2013 contou com a participação de cerca de 130 expositores, 200 modelos de barco, inúmeras novidades entre acessórios, equipamentos e serviços, palestras voltadas para segmento náutico, movimentando um total de R$ 276 milhões em negócios realizados, superando o evento de 2012.