ISSB ministra curso “Ações para salvar animais marinhos em derrames de petróleo”, em Ubatuba (SP)

Por Priscila Kiscporski, Coordenadora da Sea Shop e voluntária

Nos dias 07 e 08 de setembro, o Instituto Sea Shepherd Brasil ministrou o curso “Ações para salvar animais marinhos em derrames de petróleo”, em Ubatuba, no litoral norte de São Paulo. O ISSB contou com a parceria da ONG Projeto Dacnis, que ofereceu o local para a realização do curso. Além disso, contamos com o apoio do Hostel Ecotrip, que proporcionou a hospedagem da voluntária Priscilla Kiscporski, ministrante do curso.

Simulação de salvamento de cetáceos. Foto: Divulgação/ISSB

No mês de abril, na cidade litorânea de São Sebastião, município próximo à Ubatuba, ocorreu um derrame de petróleo, onde cerca de 200 litros de óleo contaminaram as praias locais e os animais que dependiam deste meio para sua sobrevivência. “Agora, com o conhecimento de como proceder nos primeiros socorros destes animais, os alunos do curso já estão aptos para agir nestes eventos, sejam de pequena ou grande escala”, afirmou Priscila.

“Foi simplesmente sensacional! O local escolhido, a sede do projeto Dacnis, é um dos lugares mais lindos que já visitei, o conteúdo do curso foi muito bom e dinâmico, nos preparando de forma prática para a ação”, comemorou Luciana Tofe, assistente de marketing do Projeto Dacnis.

O guia de turismo do Projeto Dacnis, Alberto Chagas, comentou: “O curso foi excelente, tanto na dinâmica, como no conteúdo. Gostaria que outras edições acontecessem por aqui e o lugar escolhido, é mágico”.

Participantes do curso em Ubatuba (SP). Foto: divulgação/ISSB

Núcleo RS do Instituto Sea Shepherd Brasil ministra palestra na PUCRS

Por Rodrigo Marques, Coordenador Regional voluntário do Núcleo RS do Instituto Sea Shepherd Brasil

No dia 06 de setembro, o Instituto Sea Shepherd Brasil ministrou a palestra “ISSB – Programa de Estudo e Conservação da Vida Marinha”, na Faculdade de Biociências da Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre. O evento teve apoio do Programa de Educação Tutorial (PET-Bio).

A palestra foi ministrada por Rodrigo Marques, Coordenador Regional do Núcleo RS, e contou com a participação dos voluntários, que contaram suas experiências e as suas motivações para se tornarem membros da Instituição. Os trabalhos foram iniciados com a apresentação Institucional da Sea Shepherd Conservation Society, mostrando suas campanhas ao redor do mundo e a criação do Instituto SeaShepherd Brasil (ISSB), bem como sua forma de atuação no país.

Foto: Daniel Kannenberg

Voluntária Juliana Motta Foto: Daniel Kannenberg

Dentre os temas abordados estavam as ações civis públicas contra a pesca predatória, molestamento de cetáceos, finning e derrames de petróleo, onde voluntários estiveram presentes auxiliando o Ministério Público e a Polícia Federal durante o processo de limpeza e recuperação da área afetada pelo óleo.

Com o inicio da temporada de captura de golfinhos, em Taiji, no Japão, no dia 1º de setembro de 2013, uma parte da palestra foi dedicada somente para explanar esta questão, e destacar a participação da indústria de parques aquáticos na matança promovida na enseada. Um vídeo sobre o assunto foi rodado, deixando os presentes chocados com tamanha brutalidade no tratamento de golfinhos e baleias piloto.

Foto: Daniel Kannenberg

Também foi abordada a campanha em defesa dos tubarões, realizada em Porto Alegre, através da colocação de um container simulando a apreensão de 3,4 toneladas de barbatanas, que foram provenientes da prática do finning, e o Projeto de Educação Ambiental que ocorreu em Torres (RS), durante o mês de janeiro.

Ainda sobre os tubarões, foi apresentada aos presentes a nova operação chamada “Operação Marco Zero”. Essa campanha foi lançada visando a preservação dos tubarões em Pernambuco, onde o ISSB irá recompensar fotos e vídeos que comprovem essa matança promovida por grupos da região servindo de provas para futuras ações civis públicas.

Foto: Daniel Kannenberg

A ação mais polêmica, a proibição do turismo de observação de baleias embarcado (TOBE), na APA da Baleia Franca, em Santa Catarina, no litoral sul, ficou para o final. Os motivos que levaram a criação desta ação, as evidências do molestamento das baleias, o risco do desligamento dos motores nas enseadas da região e o descumprimento da lei do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), entre outras irregularidades, foram expostas e debatidas. “Deixamos claro que não somos contrários ao turismo, queremos que seja cumprida a legislação vigente de proteção dos cetáceos e tenhamos a certeza que os animais tenham sua saúde garantida”, finalizou Rodrigo Marques.

Foto: Daniel Kannenberg

Sydney recebe o Sam Simon

O Sam Simon com a Sydney Opera House ao fundo. Foto: Sea Shepherd Austrália / Tim Watters

Pela primeira vez, na semana passada, o mais novo navio da Sea Shepherd , o M/V Sam Simon – honrando seu homônimo Sam Simon, produtor do programa de televisão The Simpsons – foi recebido em Sydney, na Austrália. Com um novo trabalho de pintura, e operado por uma tripulação de cerca de 30 voluntários, o navio chegou ao terminal de passageiros Circular Quay na sexta-feira à noite, para os aplausos de voluntários e apoiadores da Sea Shepherd Sydney .

A mãe natureza estava sorrindo, com um tempo absolutamente perfeito durante todo o fim de semana. O Sam Simon recebeu uma quantidade sem precedentes de visitantes, que reservaram um tempo em suas agendas para visitar o navio, conversar com a equipe e ver como é a vida a bordo deste navio de conservação dos oceanos em pleno funcionamento.

Nós gostaríamos de estender um enorme agradecimento ao povo de Sydney por, mais uma vez, apoiar a Sea Shepherd . E outra vez vocês provaram que esta é uma cidade de amantes do oceano, que entendem a importância de defender nossas baleias e os nossos oceanos.

Nós também gostaríamos de estender um muito obrigado à Hon Marie Ficarra MP (Secretário de Estado para o Premier) e o Conselheiro Vincent Deluca (Conselho Warringah), cujos esforços e tenacidade persistentes tornaram possível para os nossos navios continuar a visitar o porto de Sydney.

Do fundo de nossos corações e no fundo dos oceanos, OBRIGADO SYDNEY !

“Ao longo dos anos, a Sea Shepherd foi recebida como heróis, e outra vez entramos no porto de Sydney. Isso permitiu que a Sea Shepherd levantasse os fundos necessários para defender as mesmas baleias que migram na costa australiana.

Sem dúvida, isso não seria possível sem a Exma. Marie Ficarra MP, e Marie deve ter orgulho em saber que as baleias são salvas todos os anos devido ao seu apoio incrível. Eu sempre gostei de conhecer Marie, que é apaixonada pela vida , anda de mãos dadas com a paixão da Sea Shepherd para defender nossos oceanos maravilhosos. Obrigado Marie, por ser parte da Armada das baleias!”, disse Jeff Hansen, diretor da Sea Shepherd Austrália.

Multidão para realizar os passeios públicos gratuitos no Circular Quay. Foto: Sea Shepherd Austrália / Tim Watters

Marie Ficarra visita o Sam Simon, com a diretora da Sea Shepherd, Michelle Mossfield , o diretor de desenvolvimento, Aaron Barnes e o gerente do navio, James Brooks. Foto: Sea Shepherd Austrália / Tim Walters

Uruguai aprova criação de santuário para baleias e golfinhos

Por Carolina Andrade, Coordenadora de Projetos da OCC, voluntária da Sea Shepherd Uruguai 

Foto cedida por Martin Acosta Rodriguez

Boa notícia para os nossos clientes: o Uruguai tem agora um Santuário de Baleias!

Na terça-feira 3 de setembro de 2013, o Parlamento uruguaio aprovou por unanimidade a criação de um santuário para as baleias e outros cetáceos.

A criação deste santuário de baleias é uma grande conquista para os nossos cidadãos, uma grande conquista para o mundo, mas, principalmente, uma grande conquista para as baleias e os golfinhos.

O santuário de baleias foi proposto pela primeira vez em 2002, por um pequeno grupo sem fins lucrativos, a Organização para a Conservação de Cetáceos (OCC). Esta campanha estava em andamento há vários anos, como um projeto participativo baseado na comunidade, principalmente de crianças em idade escolar, e das autoridades nacionais e locais.

Anos mais tarde, em 2010, graças a condições políticas, ambientais e sociais mais adequadas, a campanha foi retomada, com o apoio de organizações nacionais e internacionais. Em 2012, o projeto de lei foi apresentado mais uma vez perante a Comissão de Meio Ambiente e perante o Parlamento por um grupo de estudantes, que eram os principais promotores. As crianças representaram a proposta com os documentos em sua própria caligrafia, e simbolicamente ocuparam os assentos dos representantes. Finalmente, na terça-feira, o Parlamento uruguaio aprovou por unanimidade (62-0) o estabelecimento do Santuário de Baleias. Esta lei declara toda a Zona Econômica Exclusiva no Uruguai um santuário de baleias e golfinhos, onde estes animais serão protegidos.

“Este é um momento histórico para o Uruguai e para o mundo inteiro”, disse Rodrigo García Píngaro, fundador e diretor-executivo da OCC, após a votação histórica. “Isso mostra que os países latino-americanos estão cada vez mais unidos na proteção de baleias e outras espécies marinhas nas suas águas costeiras”. Antes da votação, o deputado Gerardo Amarilla, ex-presidente da Comissão Nacional do Meio Ambiente , destacou que a partir de hoje, todos os grandes projetos de desenvolvimento ao longo da costa do Uruguai vai exigir regulamentações ambientais mais rigorosas e a aplicação antes de serem oficialmente aprovadas. “Nosso objetivo é criar um Uruguai natural”, observou ele.

A criação deste santuário de baleias é uma grande conquista para os nossos cidadãos, uma grande conquista para o mundo, mas , principalmente, uma grande conquista para as baleias e os golfinhos. Há muito trabalho a ser feito para protegê-los, e isso é necessário agora mais do que nunca.

Japan Dolphins Day 2013 em defesa dos golfinhos de Taiji é realizado no Rio de Janeiro

Por Bianca Lima, Coordenadora voluntária de Educação Ambiental do Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo Rio de Janeiro

Dia 01 de setembro, o Núcleo Carioca do Instituto Sea Shepherd Brasil (ISSB) organizou um ato pacífico na Praia de Copacabana, Posto 4, no Rio de Janeiro, contra o início da matança de golfinhos e baleias-piloto, que ocorre todos os anos na cidade de Taiji, no Japão, e tem uma estreita ligação com a indústria de cativeiro nos parques marinhos. O ato fez parte do Japan Dolphins Day 2013, evento mundial que ocorreu em mais de 120 cidades ao redor do mundo.

Foto: Raphael Jordão/ ISSB

Empunhando cartazes com frases contra a atividade de caça, fotos que mostravam aos transeuntes a crueldade ocorrente em Taiji e utilizando um golfinho inflável pintado com tinta vermelha, simbolizando sangue, o ato buscou conscientizar as pessoas para que não visitem parques marinhos onde são realizados shows com golfinhos.

Foto: Raphael Jordão/ ISSB

Aos interessados, foram entregues panfletos informativos sobre o trabalho realizado pelos Cove Guardians (Guardiões da Enseada) da Sea Shepherd na cidade de Taiji, voluntários que passam os seis meses da temporada de caça documentando e transmitindo ao vivo, por meio de um canal da organização, o cruel massacre de golfinhos. Os voluntários elaboraram um abaixo-assinado pedindo a cota zero para caça e captura de golfinhos e baleias-piloto.

Foto: Raphael Jordão/ ISSB

O evento chamou a atenção das pessoas que circulavam na orla da Praia da Copacabana, e foram coletadas 140 assinaturas no abaixo-assinado. Temos a certeza que estas 140 pessoas, que tomaram conhecimento deste abate anual de golfinhos no Japão, poderão refletir sobre o assunto e difundir a mensagem para outras pessoas, pois é necessária a conscientização e a educação ambiental para que um dia esta matança tenha um fim. Agradecemos a todos que, direta ou indiretamente, colaboraram para este dia de ação em prol da vida marinha.

Foto: Raphael Jordão/ ISSB

Fotos: Raphael Jordão/ ISSB

Foto: Raphael Jordão/ ISSB