XXX Semana de Biologia Mackenzie (SP)

XXX Semana de Biologia Mackenzie com palestras dos nossos embaixadores Cristian Dimitrius e Kadu Pinheiro e exibição do filme The Cove seguido por roda de bate papo

 

De 21 a25 de outubro acorreu a XXX Semana de Biologia da Universidade Mackenzie, em São Paulo (SP), com participação intensa do Instituto Sea Shepherd Brasil (ISSB). Na segunda (21), o jornalista, fotógrafo submarino e Embaixador do Mar (ISSB), Kadu Pinheiro, apresentou a palestra Fotografia Extrema: Grandes Animais, Predadores e Cavernas Submarinas. A alegria do Kadu em passar seus conhecimentos e experiências para quem está no início de uma carreira, que tem como princípio básico cuidar e preservar a vida marinha despertou a atenção dos alunos.

Kadu Pinheiro durante sua palestra. Foto: Carlos Crow

Kadu mostrou imagens de mergulhos com tubarões, crocodilos e seu contato com outros predadores, desmistificando a fama de assassinos frios, amplamente exploradas nos filmes de Hollywood. Estes animais conhecidos por sua agressividade natural foram, por muitas gerações, descriminados, gerando medos e fobias no ser humano; fato que os levou a serem caçados e perseguidos de forma injusta. O jornalista também apresentou imagens do mergulho realizado em cavernas, considerado hoje o esporte mais perigoso do mundo. Agradecemos ao nosso Embaixador por levar o seu trabalho para quem nunca havia visto tamanha beleza.

Kadu com a turma de biologia da Universidade Mackenzie. Foto: Carlos Crow

Foto: Kadu Pinheiro

Já na quinta (24), Cristian Dimitrius, biólogo, apresentador e cinegrafista de natureza, além, claro de Embaixador do Mar (ISSB), apresentou sua palestra Bicho do Mato, onde conta como surgiu seu interesse pela vida selvagem, que iniciou na sua infância. Durante quase duas horas, o premiado cinegrafista despertou o interesse da plateia para as suas aventuras e as peculiaridades dos bastidores de suas gravações. Como sempre, nossos queridos tubas estavam na pauta e puderam, mais uma vez, ser desmistificados por quem entende do assunto.

Cristian Dimitrius conta sua trajetória para os alunos de biologia. Foto: Carlos Crow

No último dia (25), ocorreu a exibição do filme The Cove. Logo após foi dado início a um debate, com participação dos voluntários do ISSB sobre a caça, o comércio e a vida de mamíferos marinhos em cativeiro. Participaram os voluntários: Claudia Hallage, Juliana Salgueiro e Carlos Crow, que tiraram dúvidas sobre o comércio de golfinhos e pequenas baleias e apresentaram o trabalho da ONG mais ativista do mundo.

Mergulho em rota de tubarões. Foto Kadu Pinheiro

Mergulho em rota de tubarões. Foto: Kadu Pinheiro

Sharkwater exibido na Paraíba

Foi realizado, no sábado (19), o Cinema Ambiental em Debate, na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Participaram do evento Wendell Estol, diretor geral do Instituto Sea Shepherd Brasil (ISSB), Tarcísio Cordeiro, professor do DSE – UFPB, e Rita Mascarenhas, coordenadora da ONG Guajiru. O objeto de debate foi abordar o filme Sharkwater e a importância dos tubarões para o equilíbrio natural dos oceanos. O filme desmistifica a falsa imagem dos tubarões de “assassino” cruel de seres humanos.

Foto: Vanessa Pessoa

Para Rita Mascarenhas, da ONG Guajiru, esta foi uma “excelente oportunidade de discutir e refletir sobre o fenômeno mais surpreendente da vida: a sua diversidade”.

“A exibição do documentário Sharkwater e o debate que se seguiu foi uma boa forma de desmistificar os tubarões e expor os problemas que os elasmobrânquios vêm enfrentando nos últimos anos”, destacou Igor Trigueiro, voluntário do Grupo de Apoio do Instituto Sea Shepherd Brasil (PE/PA).

Foto: Vanessa Pessoa

 

Humanos e Tubarões Convivendo em Harmonia

Ocorreu dia 18/10/2013 audiência pública, em Recife(PE), para discutir a interação de tubarões e humanos

Convocada pelo Ministério público federal (MPF) e Ministério público estadual (MPE), a audiência tinha como principal objetivo escutar a sociedade civil a respeito dos problemas ambientais que estão levando tubarões e humanos a ter uma interação negativa, nas águas pernambucanas. Estiveram presentes, além dos representantes do MPF e MPE (PE), autoridades do executivo estadual (das áreas ambiental e social), Corpo de Bombeiros, Representante do Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões, pesquisadores de universidades locais, ONGs locais e nacionais e sociedade civil em geral.

Humanos e Tubarões Convivendo em Harmonia - Foto: ISSB/Núcleo PE

Os presentes apresentaram e debateram seus argumentos para o público presente no auditório do MPF, que se encontrava lotado. Este teria sido o momento mais produtivo do encontro, porém o que se viu foi: troca de acusações entre instituições, questionamentos sobre dados coletados e fatos irrelevantes, que não colaboraram para o cenário atual.

Poucas intervenções buscaram soluções para minimizar os incidentes, a maioria de médio e longo prazo. Foi proposto o uso de telas de proteção nas praias onde se concentram os ataques, dispositivos eletrônicos que repelem tubarões, limitar horários e dias para humanos adentrarem ao mar (baseado em estatísticas de pesquisa), sistemas de alerta para presença de tubarões, multas para quem desrespeitar os avisos postos na orla, entre outras.

Foto: ISSB/Núcleo PE

A proposta do Instituto Sea Shepherd Brasil (ISSB) foi de fechar as praias para banho ou esportes aquáticos, até que se estabeleça e seja executado um programa de recuperação ambiental, na costa de Pernambuco. Esta alternativa visa à recuperação de um ambiente saudável, inibindo os incidentes.

“Baseado nos princípios da Precaução e Prevenção esta é a melhor atitude a ser tomada, uma vez que, em curto prazo, não é possível garantir a segurança de humanos e tubarões naquela área. Desta forma, o número de vítimas humanas e de tubarões poderá ser reduzido de forma eficiente. Claro, que esta não é uma atitude que deve ser tomada de forma isolada é preciso que se estabeleça um programa sério de recuperação de áreas costeiras degradadas, pois somente desta forma será possível a coexistência pacífica entre humanos e tubarões”, afirma Wendell Estol, diretor geral do ISSB.

Somente imagens como essa devem ser “extintas”. Foto: ISSB/Núcleo PE

O Instituto Sea Shepherd Brasil aguarda os resultados desta audiência pública e planeja suas ações, independente dos resultados que forem alcançados. “Continuaremos de olhos e ouvidos abertos para a situação dos tubarões em Recife (PE)”, finaliza Estol.

 

Debate sobre o filme Sharkwater na Paraíba

O diretor geral do Instituto Sea Shepherd Brasil (ISSB), Wendell Estol, participará do evento Cinema Ambiental em Debate, neste sábado (19), às 16h, na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Também participará Tarcísio Cordeiro, professor do DSE – UFPB, e Rita Mascarenhas, coordenadora da ONG Guajiru.

O objeto de debate será o filme Sharkwater  [youtube width=”520″ height=”384″]http://www.youtube.com/watch?v=ZC7TF087mCM[/youtube]

O documentário aborda a importância dos tubarões para o equilíbrio natural dos oceanos e desmistifica a falsa imagem de “assassino” cruel de seres humanos. Esta é uma iniciativa do Núcleo de Documentação de Cinema da UFPB.

Mais informações pelo telefone (83)3216-7382

ou através do e-mail: nudocufpb@hotmail.com

Instituto Sea Shepherd Brasil marca presença no show de Bob Mould, no Rio de Janeiro.

No dia 06 de outubro de 2013, o Núcleo RJ do Instituto Sea Sheoherd Brasil montou seu stand no show de Bob Mould, que realizou-se no Circo Voador, no bairro da Urca.

Para muitos o nome pode soar desconhecido, mas Bob Mould tem uma vasta carreira dentro da indústria musical e um dos maiores precursores da cena alternativa americana nos anos 80.Bob Mould fez parte do Husker Dü, uma das bandas mais celebres do cenário Punk/Hardcore dos anos 80 ao lado do Black Flag, Circle Jerks.

Foto: Marcos Bragatto

Com um palco sem qualquer decoração que pudesse tirar a atenção do público e usando apenas um jogo de luzes fixas, o trio Bob Mould (vocal e guitarra), Jason Narducy (baixo) e Jon Wurster (bateria), fizeram um show enérgico e contagiante, tocando músicas do Husker Dü, Sugar e do excelente “Silver Age”, lançado em 2012, álbum que apareceu em diversas listas de melhores do ano passado, e serviu para recolocar Bob Mould em evidência

Na noite fria do Rio de Janeiro, músicas como ‘Copper Blue’ e  If I Can’t Change Your Mind’ do Sugar, e ‘Makes No Sense At All’, fizeram o público agitar e curtirem o show como se estivessem em uma grande festa. Era possível ver os sorrisos estampados nos rostos do que presenciavam uma lenda do rock alternativo alegrando a noite.

Foto: Instituto Sea Shepherd Brasil.

Várias pessoas compareceram ao stand, na busca por informações sobre o trabalho realizado pela Sea Shepherd no Brasil e no Mundo, na defesa, proteção e conservação dos oceanos, sendo sempre oportuno falar sobre a necessidade de preservação da vida marinha, principalmente para um público diferenciado.

Ao final do show, Bob Mould distribuiu uma série de autógrafos, participou de inúmeras fotos para ávidos fans e recebeu de voluntários do núcleo carioca do ISSB, uma camisa da instituição. Bob Mould disse conhecer a Sea Shepherd e nos parabenizou pelo ativismo.

Agradecemos a Bob Mould pela recepção e a Cesar Carpanez, da Highlights Sounds pelo convite e pelo incrível apoio que sempre oferece ao Instituto Sea Shepherd Brasil.

Foto: Instituto Sea Shepherd Brasil.