Sea Shepherd Brasil participa do “Dias das Boas Ações” e resgata fragata no Rio de Janeiro.

Criado em 2007 em Israel, o “Dia das Boas Ações” se tornou o maior projeto de mobilização para engajamento social no mundo. Neste ano, 70 países fazem parte da iniciativa e o Brasil foi escolhido como capital mundial do evento – a primeira na América do Sul.

eventos-23

 “O Brasil foi escolhido como foco, pois apenas 11% da população doa seu tempo em causas voluntárias”, afirma Kaynan Rabino, CEO mundial do Dia das Boas Ações. É uma taxa baixa quando comparamos com outros países, como, por exemplo, os Estados Unidos, onde esse número chega a 44%, segundo um estudo de 2011 feito pela ONU.

E no Rio de Janeiro, uma das cidades escolhidas, juntamente com São Paulo e Brasília, cerca de 70 organizações não governamentais, realizaram diversas atividades.

O Instituto Sea Shepherd Brasil, em parceria com o Arpoador Surf Club (ASC), a SurfRider Foundation, o Instituto E, OsklenSurfing, MeuCopoEco e a Atados Rio participou de um grande mutirão de limpeza nas praias do Arpoador e do Diabo, zona sul do Rio, que contou com cerca de 230 (duzentos e trinta) voluntários com o objetivo de conscientizar sobre os impactos do microlixo nas praias e na vida marinha.  Guimbas de cigarro, pequenos pedaços de embalagens plásticas, lacres e tampas de bebidas, etc. foram recolhidos em entregue para a Comlurb, que juntamente com a Subprefeitura da Zona Sul, apoiaram a ação ambiental.

eventos-20

E durante a realização do mutirão, foi resgatada uma fragata, encontrada com anzol preso ao bico e linha de pesca enrolada no pescoço, sem conseguir voar e com alta temperatura corporal.

IMG_3451

O quadro da bela ave foi estabilizado momentaneamente, retirando-a do forte calor e da incidência solar, sendo-lhe oferecida água e alimento, até a chegada da Patrulha Ambiental, que realizou o transporte da fragata até o CRAS/Unesa (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), em Vargem Pequena – zona oeste do Rio de Janeiro, para os cuidados necessários e possível reabilitação, com soltura posterior.

IMG_3474

Uma tenda do Instituto Sea Shepherd Brasil também esteve montada durante todo o evento, apresentando o trabalho realizado pela organização no Brasil e no exterior, com um foco principal nos impactos que os resíduos sólidos descartados irregularmente causam na vida marinha, bem como a campanha em defesa dos tubarões no litoral brasileiro.

eventos-29

Foto Ana Paula Vasconcelos

Foto: Ana Paula Vasconcelos

Transmitimos nossos agradecimentos a Daniel Morais Assunção (Ong Atados); Amanda Barpp e  Gabriel de Faro (A Coorte); a Glenn Suba (SurfRiderFoundation); Guilherme Dutra (Arpoador Surf Club) e aos voluntários Gisele Pontes, Adriana Moretta, Raphael Jordão e Ana Paula Pacheco, Rafael Marins, Lívia Sekiguchi, Marcella Portugal, Rodolfo Giordano, Felipe Montico, Guilherme Rivera, Guiga Pirá (trabalhando pela Atados Rio) e Grégor Salles (representando a Anistia Internacional)

Biguá é resgatado pelo Sea Shepherd Brasil, na praia do Leme/RJ

Voluntários do Núcleo carioca do Instituto Sea Shepherd Brasil foram contatados para realizarem o resgate de um jovem biguá, no final da tarde do dia 08 de abril (sexta-feira), na praia do Leme, zona sul da cidade.

01

A ave foi encontrada por banhistas e estava bem fraca, com um bocado de óleo nas penas e pouca mobilização, dificultando-a em se alimentar corretamente.

Após realizado o cuidadoso resgate, o animal foi levado para a clínica PróSilvestres, sendo atendido pelos médicos veterinários Loide Machado e Julio Arruda, que constataram dentre outras coisas, a presença de óleo no interior de seu bico. Então, rapidamente ministraram a medicação adequada e a alimentação necessária para estabilizar a saúde do animal.

02

Com a ciência e autorização do IBAMA/RJ, o animal foi entregue para a Patrulha Ambiental que o encaminhou ao CRAS/Unesa (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), em Vargem Pequena – zona oeste do Rio de Janeiro, onde receberá todo o cuidado da equipe do prof. Jeferson Pires, visando a posterior soltura na natureza.

03

04

Agradecemos aos veterinários Rafael Nudelman, Loide Machado e Julio Arruda, da Clínica PróSilvestres, em Copacabana, pelo pronto atendimento; e aos voluntários Rodolfo Giordano, Marcella Portugal e Luiz André Albuquerque, que realizaram o resgate do biguá.

O biguá (Phalacrocorax brasilianus) é uma ave da família dos falacrocoracídeos. Tais aves habitam boa parte da região que vai do México à América do Sul, medindo cerca de 75 cm de comprimento e com coloração negra, saco gular amarelo e tarsos negros. Também são conhecidas pelos nomes de biguá-una, imbiuá, mergulhão, miuá e pata-d’água. Esse magnífico animal carece da glândula uropigial, que libera substâncias que deixam as penas impermeáveis a água por isso apresenta vantagem em relação aos outros pássaros na hora da caça, já que com a água suas penas se tornam mais pesadas e retém menos ar, fazendo com que ele mergulhe mais rapidamente. O nome biguá vem do tupi Mbiguá, que foi aportuguesado com o tempo.

Sea Shepherd Brasil realiza ação ambiental em Guaratuba/PR

No dia 2 de abril de 2016, o Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo Paraná realizou o segundo mutirão de limpezas de Praias. A ação ocorreu na região de Guaratuba/PR e contou com a presença de doze voluntários!

foto3

Em grupos separados de 3 e 2 indivíduos, os voluntários percorreram os seguintes locais: Balneário Eliane, Coroados e Barra do Saí. Ao total, foram retirados 9 sacos de lixo de 100 litros e, entre os itens encontrados com mais frequência pelos voluntários estão: bitucas de cigarro, objetos de plástico (tampas de garrafa pet, embalagens de sorvete, pirulitos e bala), isopor e restos de rede de pesca. Os animais marinhos, a exemplo de tartarugas e golfinhos, são um dos maiores prejudicados por este lixo descartados pelo seres humanos diariamente nos oceanos, seja pelos banhistas ou até mesmo pelas embarcações.

foto4 foto6 foto7 foto1

O Núcleo Paraná conta com diversos voluntários que se encontram mensalmente para discutir as próximas ações (palestras, eventos, mutirões de limpezas de praias). Se você quer conhecer um pouco do que fazemos, ou tem interesse em se juntar a nós na próxima limpeza de praias, entre em contato através do email? nucleopr@seashepherd.org.br ou pelo facebook: Clarissa Teixeira (coordenadora do Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo Paraná).

Rico berçário marinho em Ilhabela precisa de proteção

Assista ao VÍDEO: O rico berçário marinho, da Ilha das Cabras à Praia do Portinho, em Ilhabela/SP, precisa de proteção !!!

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=fMrF-kSFoVY[/youtube]

Berçário marinho Praia das Pedras Miúdas – Ilhabela/SP ao fundo São Sebastião e terminal petrolífero.

Berçário marinho Praia das Pedras Miúdas – Ilhabela/SP ao fundo São Sebastião e terminal petrolífero.

De grande beleza cênica e alta importância do ponto de vista ambiental e social, esta área sem proteção das autoridades requer atenção especial pela sua diversidade e variação genética que conserva em seu ecossistema os processos ecológicos fundamentais.

O Sea Shepherd Brasil alerta sobre a importância da proteção do fundo do mar da Ilha das Cabras à Praia do Portinho. O local é conhecido como o Santuário Ecológico Municipal de Ilhabela através do Decreto Municipal 953/1992 e pelo IBAMA há proibição de pesca nos 20 metros no entorno da Ilha das Cabras.

Entre nesta campanha. Seja um multiplicador.
Assista e divulgue este vídeo. A vida marinha agradece !

#SeaSeapherdBrasil #Ilhabela #IlhaDasCabras

Tubarões em Risco de Extinção – Campanha pela moratória da pesca de tubarões na costa brasileira

No último dia 26 de março, o Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo SP fez atividade em defesa dos tubarões em Ilhabela/SP. A atividade chamou a atenção para a ameaça de extinção dos tubarões e divulga a Campanha Mar de Sangue.

No topo da cadeia alimentar os tubarões são animais da época dos dinossauros sendo responsáveis pelo equilíbrio dos oceanos.  Estes seres altamente evoluídos em seu habitat natural estão na terra há mais de 400 milhões de anos, mas hoje se encontram ameaçados de extinção. Mais de 100 milhões de tubarões são mortos todos os anos para abastecer o mercado mundial e são caçados principalmente pela a prática do “finning”.

 O “finning” é uma pesca cruel que consiste na retirada das nadadeiras dos tubarões que depois são jogados de volta ao mar, mutilados e ainda vivos, para uma morte vagarosa no fundo do oceano.

Nadadeiras de tubarões da prática do “finning”

A pesca para retirada das nadadeiras de tubarão é uma ação predatória e insustentável, que ameaça seriamente as populações de tubarões. Esta crueldade já dizimou um número inacreditável de animais:  mais de 90% da população de grandes tubarões do mundo foi exterminada. Esta brutalidade é mais rápida que a sua capacidade de reprodução pois sua maturidade lenta não admite a caça.  Em nosso litoral, 67% das espécies de tubarões já se encontram com alguma ameaça de extinção. Segundo as pesquisas, nos últimos 20 anos, as populações de tubarões declinaram em até 90% e dezenas de outras espécies estarão extintas nas próximas décadas.

Representação da morte dos tubarões em um caixão com nadadeiras.

Representação da morte dos tubarões em um caixão com nadadeiras.

PRECISAMOS DE SUA AJUDA PARA SALVAR OS TUBARÕES E PROTEGER O ECOSSISTEMA MARINHO. Extinção é para sempre!

Mosaico de fotos. Voluntários em atividade em Ilhabela/SP na Campanha Mar de Sangue em defesa dos tubarões

Mosaico de fotos. Voluntários em atividade em Ilhabela/SP na Campanha Mar de Sangue em defesa dos tubarões

O INSTITUTO SEA SHEPHERD BRASIL  lançou um pedido de moratória – paralisação total – da pesca de tubarões pelo período de 20 (vinte) anos em toda a costa brasileira.

O pedido foi realizado no Senado Federal em uma audiência pública (https://www.youtube.com/watch?v=kgWGJlodtXw)  baseado em que: tendo em vista a ineficiência dos órgãos públicos fiscalizadores em conter este crime ambiental e o crescente número de nadadeiras apreendidas a cada ano no País, se faz necessária a moratória de toda a pesca de tubarões, na costa brasileira,  pelo prazo de 20 (vinte) anos, seja ela industrial ou artesanal.

 

ASSINE A PETIÇÃO PÚBLICA ONLINE PELA MORATÓRIA DA PESCA DE TUBARÕES NA COSTA BRASILEIRA EM WWW.SEASHEPHERD.ORG.BR

Campanha Mar de Sangue – em defesa dos tubarões – Núcleo SP

Campanha Mar de Sangue – em defesa dos tubarões – Núcleo SP

A vida marinha agradece.