Editorial

Para onde foram todas as tartarugas?

Comentário por Capitão Paul Watson

Para onde foram todas as tartarugas? Podíamos começar perguntando ao governo da Costa Rica. A Costa Rica tem a imerecida ovos de tartarugas roubadasreputação de ser uma nação ecologicamente consciente e preocupada. Grande relações públicas, mas é tudo uma mentira fabricada.

Tenho lidado com as questões de conservação na Costa Rica desde 1989, quando a Sea Shepherd Conservation Society primeiro perseguiu os caçadores ilegais fora das águas do Parque Nacional da Ilha de Cocos. Desde então, eu me encontrei com políticos e autoridades da Costa Rica, forneci aos guardas florestais de Cocos suprimentos e equipamentos, e encerramos algumas operações ilegais de caça aos tubarões, e envolvemos a Guarda Costeira de Costa Rica em um confronto em alto-mar.

O fato é que apesar da Costa Rica alegar o contrário, o país é o mais notório na remoção das barbatanas de tubarão na América Central e do Sul. O uso de agrotóxicos nas plantações de banana e café mata centenas de milhares de aves anualmente. E como essas fotos ilustram muito dramaticamente, os costarriquenhos saqueam ovos de tartarugas marinhas, o que contribui grandemente para a diminuição dessas criaturas valiosas e belas.

Aqueles que defendem a exploração dos ovos argumentam que essas são pessoas pobres apenas tentando alimentar suas famílias. No entanto, as tartarugas marinhas é que são as pobres mães de uma espécie que tenta desesperadamente sobreviver. Em uma década, quando as tartarugas se forem, os “pobres” já não serão capazes de saquear o que não estará mais lá, e o mundo será muito mais pobre com a perda das tartarugas.

A pobreza não deve ser uma desculpa ou uma justificativa para a condução de uma espécie à extinção. O que essas pessoas estão fazendo é errado. Estou certo de que o governo da Costa Rica não ficaria de braços cruzados e assistiria os pobres indo aos bancos e tirando o que eles quisessem. Assaltar bancos e roubar os ovos das tartarugas marinhas é crime, por que então a pobreza justifica um crime, mas não o outro? Embora isso seja legal no direito da Costa Rica, roubar as tartarugas é um crime contra a natureza e a humanidade, com consequências muito mais significativamente negativas do que o roubo de papel-moeda de um banco.

Nós não podemos sempre apontar nossos dedos para o aquecimento global como a única causa da diminuição da biodiversidade nos oceanos do mundo. Nós, seres humanos, estamos matando nossos oceanos de muitas maneiras diferentes, e a pesca é a principal causa da diminuição da biodiversidade.

editorial_101027_1_1_where_have_all_the_turtles_gone_002Os ovos não serão comidos por essas pessoas. Esses ovos serão enviados para a China para reforçar a “cultura alimentar” chinesa. “Cultura alimentar” é a nova palavra inventada para justificar o consumo de espécies ameaçadas de extinção e implica que qualquer crítica é semelhante ao racismo. Assim, qualquer acusação sobre o consumo de golfinhos, baleias, ou o consumo de atum no Japão, ou barbatana de tubarão, ou o consumo de ovos de tartaruga na China, é agora convenientemente descartado como racista e implica na tolerância da sua “cultura alimentar”.

Nossa escolha é se prostrar diante de uma manipulação, calar a boca, e não fazer nada, ou rejeitá-la como ridícula e irrelevante e focar na questão mais importante da diminuição da biodiversidade. Palavras como “sustentável”, “verde” e “eco-friendly” são apenas cortinas de fumaça para a destruição contínua da vida nos nossos oceanos. Simplesmente não há número suficiente de peixes, tartarugas, golfinhos, baleias, focas ou para alimentar a população cada vez maior da humanidade.

O que essas pessoas nas praias da Costa Rica estão fazendo é criminoso. Cada um deles é um soldado na guerra contra a natureza e, finalmente, contra os interesses dos nossos filhos e nossos mesmos.

O Conselho de Turismo da Costa Rica reagiu a estas fotografias, dizendo que “as imagens realmente representam um modelo de desenvolvimento sustentável” e que a colheita de ovos de tartaruga-marinha tem a aprovação do governo da Costa Rica. De acordo com o Conselho de Turismo da Costa Rica, muitos dos ovos seriam destruídos pelas próprias tartarugas ao retornarem para o mar, então essas pessoas estão simplesmente colhendo os ovos que seriam destruídos pelas tartarugas mães. O Conselho de Turismo da Costa Rica afirma que isso representa uma utilização “racional” dos ovos de tartaruga. Conta outra!

E não precisamos nos preocupar, porque a Costa Rica nos assegurou que os ovos das tartarugas são empacotados com um selo oficial de aprovação do governo.

Então o que temos é um negócio costumeiro, exceto pelo fato de que os caçadores são aprovados pelo governo, e os chineses têm seus ovos de tartaruga com uma etiqueta verde dizendo que estes são ovos de tartaruga sustentáveis e “eco-friendly”, porque o governo da Costa Rica diz que é assim.

Enquanto isso, as populações de tartarugas-marinhas continuam diminuindo.

Este é o estilo de conservação da Costa Rica. Afinal, a Costa Rica é o governo ativista mais ecológico de conservação na América Central e do Sul, porque o Conselho de Turismo da Costa Rica nos assegurou que eles são.

Os ovos de tartaruga colocados pelas tartarugas fêmeas nas praias de Costa Rica deve ser deixados sozinhos, e não há nenhuma razão para que qualquer pessoa roube os ovos para fins comerciais. Os chineses não precisam comer ovos de tartaruga, e os costarriquenhos não devem vendê-los.

Em outras palavras – deixar as pobres tartarugas por si só, e deixar suas ridículas palavras como “sustentável” e “uso racional” fora do assunto. Não há nada de sustentável em roubar ovos, não importa o quão estúpido esses putos de relações públicas pensam que somos.

O que você pode fazer

Contate a Embaixada dos EUA na Costa Rica e a Embaixada da Costa Rica nos EUA e lhes diga que se opõe a venda imoral de ovos de tartarugas-marinhas ameaçadas de extinção da Costa Rica para a China.

Embaixada da Costa Rica nos Estados Unidos
2114 S Street, N.W.
Washington, DC 20008
E-mail: embassy@costarica-embassy.org
Primeiro Embaixador, Muni Figueres, ambassador@costarica-embassy.org
Ministra Conselheira do Ambiente e Relações Culturais, Anna María Oduber, aoduber@costarica-embassy.org
_____________________________

Embaixada dos Estados Unidos em São José, na Costa Rica
Escreva para a embaixadora americana, Anne Slaughter Andrew e o Conselheiro de Imprensa e Relações Culturais, Mark Tauber
Endereço: Calle 120 Avenida 0, Pavas, San José, Costa Rica
E-mail: Diretor Regional Ambiental, Tim Lattimer, lattimertp@state.gov

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do ISSB

Back to list

Related Posts