Equipamentos de campo do ISSB são roubados durante operação no litoral do RS

Por Rodrigo Marques, Coordenador Núcleo RS

Todos sabem o quanto é difícil ser ambientalista neste país e isso não é segredo pra ninguém. Existem crimes ambientais ocorrendo por toda a costa brasileira e os órgãos fiscalizadores, infelizmente, não conseguem dar conta de todo esse problema. Sendo assim, grupos de pessoas juntam-se para auxiliar no que for preciso, para que a vida marinha possa ter uma chance de sobrevivência e os crimes não continuem impunes. Assim foi no caso do derrame de petróleo em 2012, onde o Instituto Sea Shepherd Brasil (ISSB), por solicitação do Ministério Público do RS, acompanhou todo o processo e auxiliou na punição dos envolvidos, bem como em outras diversas ocasiões onde o ISSB, de forma voluntária, colocou-se na linha de frente e não recuou.

Recentemente, lançamos a Operação Redes em Chamas e algumas pessoas se sentiram um tanto quanto “incomodadas” com esta ação. Em razão do caráter ativista e radical, a Sea Shepherd, constantemente, é alvo de ameaças e agressões verbais sejam pessoalmente ou em redes sociais. Esses “agressores” são aqueles nos quais a Sea Shepherd fechou as portas ou impediu que continuassem a ganhar dinheiro fácil, através da pesca predatória ou qualquer outra atividade ilegal relacionada ao oceano.

O Instituto Sea Shepherd Brasil está desde quarta feira (15/10) em campo, no litoral norte do RS fazendo exatamente isso, tentando buscar de alguma forma auxiliar na preservação de nossos oceanos, conscientizando, fiscalizando e denunciando o que está errado. Ao que parece, algumas das ameaças se concretizaram, já que o ISSB teve o local onde estavam os materiais de trabalho no campo, arrombado e os pertences roubados. Nada mais foi levado, apenas o material essencial para a instituição – Lunetas, Binóculos, Máquina Fotográfica, tripés, cabos, etc. deixando bem claro o que eles queriam de fato: IMPEDIR O NOSSO TRABALHO !!!

Boletim de ocorrência feito após o roubo.

A Sea Shepherd sempre será uma ONG ativista. atuando onde os crimes ambientais marinhos acontecem e nada, nem ninguém irá nos deter, na busca para defender e conservar os ecossistemas marinhos, o que juramos proteger. 

Eles podem até tentar, mas nunca irão nos intimidar!

A vida marinha agradece!

ISSB desenvolve o Projeto “EducaMar em Ação” no litoral norte do RS

Por Rodrigo Marques, Coordenador Núcleo RS

No dia 15 de outubro o Instituto Sea Shepherd Brasil através de seu Núcleo no Rio Grande do Sul deu sequência ao projeto “EducaMar em Ação” lançado este ano na Península de Maraú BA. O propósito do projeto é apresentar os trabalhos do Instituto na costa brasileira e mostrar que é possível conservar e proteger nosso frágil ecossistema marinho através de pequenos gestos e ações simples.

Abertura do projeto e palestra institucional. Foto: Bibiana Pegorari

Um ônibus foi fretado para levar os 40 alunos da Escola Estadual Rio Branco até a praia de Cidreira no litoral norte do estado, onde eles puderam assistir a uma palestra institucional do ISSB com imagens e vídeos referente aos principais crimes ambientais que são frequentes em nossa costa e no mundo. Após a palestra de apresentação os alunos passaram por um treinamento de como agir em casos de encalhe de pequenos cetáceos e como proceder em caso de encontro com pinípedes e pingüins, comuns em nossa costa nos meses de inverno. A intenção da oficina foi de mostrar que com a atitude certa eles podem maximizar as chances de sobrevivência do animal e sem correr risco algum.*Os alunos foram instruídos a NUNCA tocar nos animais e tentar um resgate, deixando essa tarefa SOMENTE para o profissional habilitado.

Primeiras instruções. Foto: Bibiana Pegorari.

Foto: Bibiana Pegorari.

Pequenos gestos podem salvar a vida do animal. Foto: Bibiana Pegorari.

Com a presença de barcos e redes de pesca à beira mar, os alunos aprenderam um pouco sobre o trabalho do ISSB no combate a pesca predatória. A pesca de arrasto, as redes ilegais, a época de defeso e a prática do Finning (retirada das barbatanas de tubarão) foram alguns dos assuntos abordados e discutidos ao longo do projeto.

Aprendendo a identificar a pesca de arrasto. Foto: Bibiana Pegorari.

Foto: Bibiana Pegorari.

Para o ISSB esse trabalho teve um enorme significado e mostra o quanto é importante valorizarmos os nossos jovens. Cada um dos alunos presentes mostrou um intenso desejo de aprender mais sobre as questões do nosso oceano e mostraram um enorme repúdio à matança de golfinhos em Taiji no Japão e na questão do Finning, assuntos desconhecidos entre eles até então.

Foto: Bibiana Pegorari.

O ISSB gostaria de agradecer aos envolvidos no projeto e esperamos que mais parcerias em prol da vida marinha surjam com essas iniciativas.

Participaram do projeto EducaMar em Ação:

Escola Estadual de 1ª e 2ª graus Rio Branco – Alunos e professores

Núcleo RS do Instituto Sea Shepherd Brasil

Marcão – Surfista local que auxiliou na execução do projeto

O projeto contou com o apoio da Sunrise Pub e de seu proprietário Daniel Portella Rocha que mais uma vez abriu suas portas para a Sea Shepherd e da Bióloga Bibiana Pegorari.

Grupo de Apoio Brasília do ISSB participa do Clean Up Day no Lago Paranoá

Dia 20 de setembro foi o Dia Internacional de Limpeza de Rios, Mares e Lagos, realizado em todo o planeta de forma simultânea e que torna a participação voluntária uma conspiração mundial em prol do meio ambiente equilibrado.

Em Brasília, foi realizado o Clean Up Day, organizado pelo movimento “Ocupe o Lago”, em parceria com a Agência das Águas do Distrito Federal (Adasa). A ação, denominada Semana Lago Limpo, realizou uma limpeza generalizada em 12 pontos críticos da orla do Lago Paranoá, direcionando todo o resíduo coletado para uma correta destinação.

O auge da atividade aconteceu no Pontão do Lago Sul onde mais de 50 mergulhadores voluntários se uniram para coletarem o lixo depositado irregularmente no fundo do espelho d’água.

Os membros do Grupo de Apoio Brasília do Instituto Sea Shepherd Brasil estiveram presentes participando da limpeza do Lago Paranoá.

A Scuba Du Escola de Mergulho, parceira do movimento, cedeu os cilindros aos mergulhadores e aos voluntários do Sea Shepherd. Em pouco tempo foram retirados vários quilos de lixo, incluindo pneus, latas, garrafas, sacos plásticos, sapatos, óculos, copos, skate, remo, faca e até um revólver calibre 38.

Durante o dia também ocorreram diversas atividades com outros parceiros do movimento. Houve programação com oficinas de teatro e contadores de histórias que conscientizavam as crianças sobre a importância da conservação dos mares, rios, lagos e oceanos, capacitação de voluntários, explanações sobre o descarte apropriado do lixo, entre outras atividades envolvendo a educação ambiental.

“Brasília precisa de mais ações como essa para proteger seus mananciais e sua principal fonte natural, de abastecimento e entretenimento dos brasilienses. O pouco que fizemos aqui hoje foi o início da realização de ações mais abrangentes de conscientização e educação ambiental para que a população perceba a importância de preservar e cuidar dos nossos lagos, mares e oceanos para o futuro do planeta.” – comenta Renato Coelho, voluntário do ISSB.

Voluntários do Grupo de Apoio Brasília no Clean Up 2014

Sea Shepherd Brasil e Projeto BG 500 promovem o Clean Up Day 2014, na Praia da Urca

Foto: Raphael Jordão

O Núcleo Rio de Janeiro do Instituto Sea Shepherd Brasil (ISSB) e o BG 500 – Baía de Guanabara, 500 anos de Muita Vida, realizaram mais uma ação educativa e de conscientização na Praia da Urca, Rio de Janeiro.

Unindo-se aos esforços mundiais do “Clean Up Day 2014” e dentro da campanha “Dirty Sea Project” do ISSB, as instituições promoveram atividades de coleta de resíduos sólidos subaquáticos e na faixa de areia, no dia 20 de setembro.

Foto: Guilherme Pirá

Nove mergulhadores fizeram a remoção do lixo marinho encontrado no costão direito da Praia da Urca, partindo das proximidades da Fortaleza São João até chegarem na faixa de areia. Trouxeram latas de bebidas, garrafas, pratos, fragmentos plásticos, espelhos, embalagens de comida, cordas, petrechos de pesca de todos os tipos, incluindo anzóis, chumbos e iscas, etc.

 “Encontramos um ventilador e um celular iphone. Ainda há mais lixo para ser retirado do fundo do mar e descartado corretamente.”, relatou Gisele Pontes, voluntária do ISSB.

Foto: Guilherme Pirá/ ISSB

Foto: Guilherme Pirá/ ISSB

Pode parecer uma excêntrica caça ao tesouro, mas a Sea Shepherd e o BG 500, esperam que a ação desenvolvida desperte a consciência de como jogar lixo no mar, pode ser prejudicial para as praias e ao oceano.

“Nosso objetivo não é apenas limpar as praias, é educar as pessoas sobre como manter as praias limpas, em primeiro lugar” – comenta Rodolfo Gutterres, voluntário do ISSB.

Foto: Guilherme Pirá/ ISSB

Foto: Guilherme Pirá/ ISSB

O diferencial na ação desenvolvida pela Sea Shepherd Brasil e o BG 500 no “Clean Up” é o resgate da fauna marinha encontrada junto aos resíduos coletados no mar.

Antes do descarte adequado dos resíduos, os participantes separam em caixas organizadoras, cada tipo de resíduo em busca de sinais de vida marinha. Pequenos caranguejos,  camarões, poliquetas, ouriços, planárias, etc, são resgatados e devolvidos ao mar da Praia da Urca.

Foto: Guilherme Pirá/ ISSB

Foto: Guilherme Pirá/ ISSB

Foto: Guilherme Pirá/ ISSB

Foto: Guilherme Pirá/ ISSB

Caminhando através da areia, voluntários também coletavam garrafas plásticas, canudinhos, bitucas de cigarro, tampas de garrafas e outros detritos, constatando que realizar uma ação de limpeza de praia no fim de semana é absolutamente necessário.

Foto: Guilherme Pirá/ ISSB

Durante todo o período da ação, as crianças e os adultos presentes na praia eram informados sobre o impacto do lixo nos animais marinhos.

“Conscientizar as pessoas, principalmente as crianças, desde cedo é fundamental, disso não tenho dúvidas. É importante criar o hábito de fazer a coleta seletiva e dar o destino correto ao lixo produzido” – explica Caio Faro, voluntário do ISSB.

Foto: Guilherme Pirá/ ISSB

Foto: Guilherme Pirá/ ISSB

Se você costuma frequentar praias, mas não participa de ações voluntárias de limpeza de praias, talvez seja a hora de enxergá-las de uma perspectiva diferente e engajar-se na defesa do meio ambiente.

Núcleo SC do Instituto Sea Shepherd Brasil desenvolve atividades de educação e conscientização ambiental

O Instituto Sea Shepherd Brasil (ISSB), representando pelo Núcleo Santa Catarina, esteve presente ao evento “A nossa Pátria é a Natureza”, organizado pelo Coletivo SOMA, com a proposta de comemorar o dia 07 de setembro, educando e mobilizando as comunidades locais para a preservação socioambiental do sul da ilha de Florianópolis/SC.

Com a exposição de imagens dos fatores de ameaça ao berçário das Baleias Franca no litoral catarinense e das causas de redução da população de Botos Pescadores de Laguna, o ISSB informou os participantes acerca da necessidade de ações eficazes para a proteção destes cetáceos na região.

Stand do Núcleo SC/ ISSB

O público presente se mostrou interessado participando do abaixo-assinado em que se requer mais ações da APA da Baleia Franca em prol dos cetáceos, a ser encaminhado aos órgãos competentes, e protocolado nas ações judiciais movidas pelo ISSB na Justiça Federal em defesa do berçário e dos botos.

 No dia 13 de setembro, os voluntários da Sea Shepherd de SC realizaram um Jantar Vegano na Cidade de Laguna, para arrecadar fundos visando financiar as ações educativas e de proteção aos botos pescadores de Laguna.

O prato principal era um Strogonoff de proteína de soja, e quem experimentou, aprovou.
Todos os ingredientes foram selecionados com cuidado máximo para que nada de origem animal fosse utilizado. Os vegetais e as frutas também foram selecionados, preferindo-se os orgânicos.

O jantar foi um sucesso e o Núcleo SC agradece a todos que ajudaram na realização desse evento.

Voluntários do Núcleo SC que organizaram o jantar / ISSB

Preparação do jantar vegano/ ISSB

Já no dia 20 de setembro, o Núcleo Santa Catarina participou com um stand no IV Evento Cidade Melhor, no Horto Florestal do Córrego Grande em Florianópolis.

O evento teve o objetivo de conscientizar e orientar a população sobre o descarte correto e boas práticas para a sustentabilidade, e o stand divulgou os trabalhos do ISSB no Brasil, oferecendo também comidas veganas, que fez sucesso entre os que provaram.

Equipe Núcleo SC presente no evento “Cidade Melhor” / ISSB

Visitantes experimentando os sabores da cozinha vegana / ISSB