Sea Shepherd Brasil Realiza Mais um Curso de Capacitação de Ações de Resgate de Animais Marinhos

Nos dias 10 e 12 de junho, o Instituto Sea Shepherd Brasil ministrou o curso “Ações para Salvar Animais Marinhos em Derrames de Petróleo”, em Ilhabela, no litoral norte de São Paulo. O ISSB contou com a parceria da Embaixada Mar e Vida Ecotrip que cedeu as instalações para a realização do curso.

Foto 1 Fachada Embaixada Mar e Vida Ecotrip – Curral – IlhabelaSP

Fachada Embaixada Mar e Vida Ecotrip – Curral – Ilhabela/SP

 Base praia Embaixada Mar e Vida Ecotrip

Base praia Embaixada Mar e Vida Ecotrip

O curso é direcionado a qualquer pessoa: para estudantes relacionados a áreas afins, a voluntários de ONGs, órgãos governamentais atuantes na área ambiental, indústria do petróleo e outras empresas afins.

Participantes do curso em aula teórica

Participantes do curso em aula teórica

Pela quarta vez em Ilhabela (2001, 2010, 2014 e 2016) o curso de Ação de Resgate de Animais Marinhos ocorreu com sucesso e teve muita interação entre os participantes. Com um delicioso coffee break vegano e loja com os produtos oficiais, o curso seguiu num clima descontraído no espaço da Embaixada na Praia do Curral.

Interação dos participantes no Coffe Break vegano

Interação dos participantes no Coffe Break vegano

Loja física com produtos oficiais

Loja física com produtos oficiais

Participantes no intervalo com coffee break vegano

Participantes no intervalo com coffee break vegano

O curso promoveu aula teórica o qual os participantes recebem Certificado de Conclusão e Apostila Digital. A Organização ao capacitar pessoas com este treinamento, visa formar um grupo capaz de atuar no salvamento de animais afetados em derrame de petróleo e esta capacitação integrará a Rede de Voluntários da ONG, como agentes multiplicadores do trabalho ativista ambiental.

O conteúdo abordou o cenário do petróleo; as principais áreas de risco no Brasil; ecossistemas e biótopos do Brasil; áreas prioritárias; a importância de um programa de educação ambiental para as comunidades das áreas de risco; estrutura de um plano de ação; a estruturação de um programa de voluntário; segurança da equipe e dos animais atendidos; atendimento aos encalhes / resgate; primeiras ações junto aos animais; diagnóstico; animais focos em casos de acidente com óleo; exercícios de simulação e estudos de caso.

Slides do curso e participantes em atenção aos ensinamentos

Slides do curso e participantes em atenção aos ensinamentos

Participantes atentos em curso

Participantes atentos em curso

O curso de grande importância na região vem de encontro com o perigo iminente de vazamento de petróleo no terminal petrolífero em São Sebastião, cidade vizinha à Ilhabela.

Terminal petrolífero em São Sebastião e Ilhabela ao fundo – imagens da internet

Terminal petrolífero em São Sebastião e Ilhabela ao fundo – imagens da internet

Terminal petrolífero da Petrobrás em São Sebastião – imagem da internet

Terminal petrolífero da Petrobrás em São Sebastião – imagem da internet

Ministrado pelo biólogo e Diretor Nacional Wendell Estol, que possui ampla experiência prática e 17 anos de atuação na Organização, já capacitou mais de 3.000 pessoas à rede de voluntários junto as seguintes instituições: UFRGS; PUC/RS; UFSC; Faculdade de Santa Vitória do Palmar/RS; UNISINOS; Projeto REAMAR/SC, UNIVALLI/SC, Instituto ECOPLAN/PR; Grupo Mamíferos Marinhos Região Lagos/RJ; Reserva Extrativista Marinha de Arraial do Cabo/RJ; Instituto ORCA/ES; Estação Biológica Marinha Ruschi/ES; Universidade de Santa Cecília / Santos/SP, Funcionários da Petrobrás, Chevron Texaco, Hidroclean; Porto de Santos, Porto de Rio Grande e nos órgãos públicos: Batalhão Ambiental do RS; IBAMA/RS; Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Balneário Camboriú/SC; Secretaria de Meio Ambiente de Macaé/RJ; IBAMA de Vitória, FLORAM/SC e ONGs: NAVIMA/ RN, Projeto TAMAR, Projeto Golfinho Rotador, Instituto Baleia Jubarte, Projeto MAMA, ONG AQUASIS e nas APAs: APA Litoral Norte/SP, APA da Baleia Franca/SC.

Aula prática ministrada pelo biólogo Wendell Estol

Aula prática ministrada pelo biólogo Wendell Estol

Demonstração na aula prática de manejo de cetáceos com Wendell Estol

Demonstração na aula prática de manejo de cetáceos com Wendell Estol

Participantes na aula prática de manejo de cetáceos

Participantes na aula prática de manejo de cetáceos

A crescente exploração do petróleo no Brasil além da ampliação do terminal petrolífero em São Sebastião compreendeu-se neste curso, a importância do nosso papel como sociedade civil organizada para salvamento da biodiversidade marinha do nosso litoral brasileiro.

Seja um voluntário em defesa da vida marinha, seja um Guardião do Mar multiplicador de atitudes e conhecimento para a mudança de comportamento em prol da vida. Acesse www.seashepherd.org.br e filie-se!

Participantes ao final do curso

Participantes ao final do curso

A vida marinha agradece.  Por Mara Lott – Diretora Regional – Núcleo SP Instituto Sea Shepherd Brasil

Sea Shepherd Brasil participa do II Pet Stop/Bazar Animal, no Rio de Janeiro.

Durante os dias 04 e 05 de junho, o Tijuca Tênis Clube (TTC) recebeu o “II Pet Stop/Bazar Animal”, que teve como objetivo debater os problemas e as possíveis soluções do mundo animal. O evento foi organizado pela Comissão de Proteção e Defesa Animal da OAB/RJ, pelo Instituto São Francisco de Assis e pela Diretoria de Eventos do TTC.

O clube transformou-se em um enorme palco de ação social por aqueles que muitas vezes não tem quem os represente ou ampare, os animais. Diversas atividades foram realizadas como campanhas de adoção; ensaios fotográficos; shows de dança; palestras sobre os mais variados assuntos, com especialistas renomados; bazar de Ongs e grupos de proteção; assistência jurídica da OAB/RJ; comida vegana; sorteios de brindes e muito mais.

Foto 1

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

O Sea Shepherd Brasil participou do evento visando expor a necessidade de preservação e proteção dos animais marinhos, muitos deles carismáticos e amados, como as tartarugas marinhas e os golfinhos, mas que acabam morrendo aos milhares, anualmente, em razão da pesca predatória e ilegal.

E duas questões foram abordadas: A grave situação dos botos cinza nas Baías de Guanabara e Sepetiba, e a defesa dos tubarões e raias, que atualmente estão com várias espécies ameaçadas de extinção, diante o grande consumo interno brasileiro da carne de cação e da prática do finning para abastecer o mercado asiático.

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

A população de botos cinza na Baía de Guanabara declinou vertiginosamente, sofrendo uma redução de 90% em três décadas. Com a morte do jovem “Acerola”, na semana passada, apenas 34 botos-cinza vivem atualmente na Baía. Na década de 80, chegavam a serem cerca de 400 botos. A contaminação química e biológica, a pesca e o barulho causado pelos navios fundeados nos arredores da Ponte Rio-Niterói são as principais causas do desaparecimento destes cetáceos. E esta situação precisa ser combatida pelos diversos órgãos públicos que tratam da questão ambiental no Rio de Janeiro.

“É importante divulgarmos estas informações e solicitarmos um maior engajamento da sociedade civil. Temos nos reunido regularmente com diversos órgãos governamentais – Ministério Público Federal, IBAMA, Polícia Federal e INEA – além de participar de Comissões Ambientais e Audiências Públicas – que tratam do tema, visando justamente contribuir com ideias e ações para a proteção do boto-cinza. A alta mortalidade destes botos-cinza é de extrema gravidade e exigem ações concretas” – informa Luiz André Albuquerque, Diretor Regional da Sea Shepherd Brasil no Rio de Janeiro.

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Em relação aos tubarões, o Brasil está entre os 10 (dez) maiores exportadores de barbatanas/nadadeiras de tubarões para o mercado asiático e é o maior importador de carne de tubarão/cação para o consumo interno.

Desta forma, o País contribui decisivamente para a extinção de diversas espécies, que são fundamentais para a manutenção da saúde e equilíbrio dos oceanos, assim como da vida humana no Planeta.

“As pessoas não tem o menor conhecimento destes dados e a carne de cação é muito consumida no Brasil, pois, não é proibido pescar o tubarão e vender sua carne no mercado. Na realidade, é um lucro “colateral” limpo para o pescador, uma vez que a barbatana/nadadeira, já está longe há tempos quando você vê a carne de cação no mercado. O “finning”, único e exclusivo, na definição simples da lei, realmente não existe no Brasil, diante a proibição da lei. Mas ele existe mascarado pela venda da carne de cação.” – comenta Felipe Montico, voluntário do Núcleo carioca.

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo RJ

Agradecemos o convite para a participação neste evento de grande sucesso e parabenizamos seus organizadores.

Caso você tenha interesse em tornar-se um voluntário do Núcleo Rio de Janeiro, escreva um e-mail para nucleorj@seashepherd.org.br

Núcleo Espírito Santo participa da Semana Nacional do Meio Ambiente

O Núcleo Espírito Santo do Instituto Sea Shepherd Brasil realizou no último Domingo (5) atividades em comemoração à Semana Nacional do Meio Ambiente.

FOTO 1

FOTO 2

O Núcleo do Espírito Santo promoveu durante todo o dia, atividades de Educação Ambiental para crianças, Projetos de Conscientização, Disponibilizou produtos diversos da Sea Shepherd para a venda (Canecas, pingentes, adesivos, camisetas, Ecobag), realizou campanhas Institucionais e ofereceu a Ração Solidária para cães de ruas, dentre outros.

FOTO 3

FOTO 4

FOTO 5

Além de contribuir para o bem do planeta e das gerações futuras, as pessoas tiveram também a oportunidade de conhecer o trabalho da Sea Shepherd e de suas operações ao redor do Mundo e do Brasil.

FOTO 6

FOTO 7

Foram retratadas imagens das principais campanhas realizadas pelo Núcleo do ES no Estado, como o Monitoramento do Elefante Marinho "Fred" – Operação Porfia, Visita ao Rio Doce – Guardiões do Rio Doce, Campanha Mar de Sangue, em favor da moratória dos Tubarões e, sobre a nossa presença na Frente Parlemantar contra a Pesca ilegal de Vitória.

FOTO 8

FOTO 9

A Semana Nacional do Meio Ambiente realizada pelo Núcleo do ES, chamou a atenção e ação política de toda a população ao entorno para aumentar a conscientização e a preservação ambiental. Por meio deste, o Núcleo do ES personalizou as questões ambientais e possibilitou a cada um perceber não somente a sua responsabilidade, mas também o poder de se tornar um agente para a mudança, apoiando uma forma de desenvolvimento mais justa e sustentável.

O Núcleo do ES contou com toda a estrutura e suporte da sua Embaixada do Mar – Villa dos Lobos Centro Cultural localizado na Praia do Ribeiro (Praia da Costa).

Workshop sobre Pesca e Comercialização Ilegal de Tubarões e Raias na Costa Brasileira

No dia 03 de Junho a Sea Shepherd Brasil – Núcleo PR esteve presente na “X Semana do Meio Ambiente”, promovido pelo CEEP Dr. Brasilio Machado em Antonina/PR.  Foi realizado um Workshop sobre Pesca e Comercialização Ilegal de Tubarões e Raias na Costa Brasileira, ministrado pela bióloga e parceira da Sea Shepherd Natascha Wosnick.

Foto 1
Alunos, de diversas idades, e professores ficaram sabendo um pouco mais sobre finning, espécies ameaçadas, pesca e comércio ilegal de tubarões e raias.
O workshop também informou sobre as ações e campanhas realizadas pela Sea Shepherd Brasil e Global.

FOTO 2

A Sea Shepherd agradece o convite e recepção dos alunos e professores do CEEP Dr. Brasilio Machado.

FOTO 3

Campanha Dirty Sea e Atividade Educativa em Ilhabela

04 a 09 de Junho 2016 – Ilhabela/SP.

Na Semana do Meio Ambiente 2016 o Instituto Sea Shepherd Brasil e a Embaixada Mar e Vida Ecotrip realizaram atividades educativas na praia e no Colégio São João Ilhabela. A praia do Curral foi escolhida para a Campanha Dirty Sea Project, limpeza do micro lixo na praia e retirada de lixo no mar. No mar os mergulhadores retiraram petrechos de pesca e lixos diversos do fundo marinho na Laje de Santa Cruz. Os dias seguiram com muitas atividades e ocorrência de avistamento de baleias Jubarte no canal de São Sebastião.  Trazidos pelo mar, também houve registro do recolhimento de animais marinhos raros na região.

Ainda houve palestras, oficina e participação dos alunos do ensino fundamental e médio do Colégio São João Ilhabela, escola da iniciativa privada de Ilhabela que tem a filosofia essencialmente humanista, dedicando-se ao trabalho em constante avaliação e reflexão. Acredita que a educação “deve cumprir sua intenção de ser responsável pela socialização dos conhecimentos, apropriação da cultura e formação de cidadão consciente”.

Esta semana do meio ambiente serviu como reflexão dos nossos atos em relação à vida nos Oceanos. O quanto consumimos das riquezas tão escassas e qual o nosso papel na reservação das espécies. O que estamos fazendo com nossos Oceanos? Nossos mares estão sofrendo com o lixo e plástico, com a pesca predatória, matança indiscriminada e tantos outros crimes cometidos pela espécie humana.

Mesmo assim, um grupo de voluntários disponibilizaram tempo e atitude para conscientizar as pessoas da importância da preservação da vida marinha.

índice

Praia do Curral – Ilhabela. Apoio montado para a ação de limpeza do mar e praia.

Orientações antes do mergulho subaquático de limpeza

Orientações antes do mergulho subaquático de limpeza

Saída de mergulho no bote para limpeza sub na Laje Santa Cruz

Saída de mergulho no bote para limpeza sub na Laje Santa Cruz

Nos dias 04 e 05, sábado e domingo, partindo da base operacional da Embaixada Mar e Vida começou a limpeza do fundo mar, na Laje de Santa Cruz, entre a Praia do Curral e Veloso. Em terra, foi feita a limpeza do micro lixo ao longo da Praia do Curral.

A Campanha Dirty Project da Sea Shepherd Brasil em Ilhabela participou das atividades no município para a conscientização na semana em que se fala muito em preservação do meio ambiente. Muito dos nossos detritos (88% da superfície dos oceanos contém plástico) são os micros lixos despejados todos os dias em nossos oceanos. Neles contém tampinha de garrafa, embalagens plásticas de alimentos, sacos plásticos de supermercado, canudos, micro bolinhas de isopor, pedacinhos de fios coloridos, pedacinhos de plástico rígido, lata de alumínio, garrafa pet, cordas e muito mais.

Fitas plásticas retiradas de uma Tartaruga Cabeçuda, viva e salva, no dia 04/06/16 Praia do Curral.

Fitas plásticas retiradas de uma Tartaruga Cabeçuda, viva e salva, no dia 04/06/16 Praia do Curral.

Micro Lixo na Praia do Curral

Micro Lixo na Praia do Curral

Micro Lixo na Praia do Curral

Micro Lixo na Praia do Curral

Zoom do micro lixo na Praia do Curral – destaque bolinhas brancas de isopor por toda a orla da praia.

Zoom do micro lixo na Praia do Curral – destaque bolinhas brancas de isopor por toda a orla da praia.

Muito deste lixo são consumidos por animais que os confundem com alimento. Não é difícil encontrar o micro lixo alojado em estômagos de aves e mamíferos marinhos.

Vários outros fatores são atribuídos à mortandade precoce dos animais. Como foi o caso desta Toninha da espécie Ehpontoporia blainvillei e Albatroz (sem identificação) que foram encontrados mortos na praia que após coletas de informações foram recolhidos pelos monitores do Instituto Argonauta de Ubatuba.

Toninha abortada (Ehpontoporia blainvillei) ainda com o cordão umbilical

Toninha abortada (Ehpontoporia blainvillei) ainda com o cordão umbilical

Coleta de informação pelos Monitores Ambientais residentes.

Coleta de informação pelos Monitores Ambientais residentes.

Albatroz jovem sem identificação da cabeça

Albatroz jovem sem identificação da cabeça

Monitores de Praia para Resgate e Registro dos animais

Monitores de Praia para Resgate e Registro dos animais

Foto 12: Agentes Ambientais trabalhando na identificação e recolhimento do animal.

Agentes Ambientais trabalhando na identificação e recolhimento do animal.

Diante de tantos eventos ainda foi possível presenciar e registrar a pesca ilegal praticada na Praia do Curral. Pela manhã nos deparamos com uma rede espera de pesca muito próxima a arrebentação. No momento da foto, os pescadores estavam recolhendo a rede que ficou em espera na noite anterior, da qual foi retirado uma espécie de tubarão ou cação que não foi possível identificar em foto. O animal foi retirado rapidamente pelos pescadores da embarcação e recolhido ainda mais rápido para o interior da propriedade do pescador ali mesmo na praia.

Pescador local da Praia do Curral puxando a rede deixada na noite anterior. O local encontra-se muito próximo à arrebentação.

Pescador local da Praia do Curral puxando a rede deixada na noite anterior. O local encontra-se muito próximo à arrebentação.

 

Nestes dias atípicos de animais encalhados e mortos nas praias de Ilhabela (devido às tempestades em alto mar ou morte através da pesca incidental) muito outros animais tiveram outra história para contar. Estes foram salvos do lixo despejado por nós, no leito marinho. Foram salvos: esponjas do mar, pepino do mar, estrela, ofiúros, caranguejos, cracas, ouriço do mar, poliquetas entre outros.

Corda de seda com caranguejo preso entre as cerdas

Corda de seda com caranguejo preso entre as cerdas

foto 15: Caranguejo salvo das cerdas da corda.

Caranguejo salvo das cerdas da corda.

pedaço de madeira com cracas e ouriço do mar devolvidos ao mar

pedaço de madeira com cracas e ouriço do mar devolvidos ao mar

Separação dos animais do lixo na peneira

Separação dos animais do lixo na peneira

Animais separados nos recipientes de água salgada

Animais separados nos recipientes de água salgada

Voluntários da atividade de limpeza de mar e praia.

Voluntários da atividade de limpeza de mar e praia.

Nos dias 07 e 09, terça e quinta-feira, em conjunto com o Colégio São João Ilhabela, Embaixada Mar e Vida e Instituto Pró Marinho, desenvolveram atividades para alunos do ensino fundamental e médio.

Santuário Marinho Municipal- imagem da internet Ilha das Cabras, Praia das Pedras Miúdas ao Portinho

Santuário Marinho Municipal- imagem da internet
Ilha das Cabras, Praia das Pedras Miúdas ao Portinho

O Instituto Sea Shepherd Brasil apresentou-se na sala de projeções falando da importância da preservação dos oceanos, enquanto simultaneamente ocorria palestra na sala de informática tendo como principal tema, o Santuário Marinho de Ilhabela, e em outro espaço aberto à dinâmica “A Teia da Vida”. O objetivo das atividades foi transmitir aos alunos a missão da Organização, a importância do trabalho voluntário e o dever de todos na proteção do Santuário Marinho de Ilhabela.

Sala de projeção Sea Shepherd Brasil – Em defesa dos oceanos

Sala de projeção Sea Shepherd Brasil – Em defesa dos oceanos

As atividades surtiram entusiasmo nos estudantes, os quais participaram com perguntas, interação e conscientização.

Dinâmica “A Teia da Vida”

Dinâmica “A Teia da Vida”

Palestra Projeto Parque Municipal Tartarugas de Ilhabela

Palestra Projeto Parque Municipal Tartarugas de Ilhabela

Dinâmica “A Teia da Vida”

Dinâmica “A Teia da Vida”

Foram abordados os impactos que os seres humanos causam nos oceanos, o consumo de animais ameaçados de extinção como também o lixo que produzimos.

Voluntárias na divisão das atividades com os grupos de alunos na Quadra Poliesportiva do Colégio

Voluntárias na divisão das atividades com os grupos de alunos na Quadra Poliesportiva do Colégio

Voluntários na base de praia do Curral - Embaixada Mar e Vida Ecotrip

Voluntários na base de praia do Curral – Embaixada Mar e Vida Ecotrip

“A diversidade nos nossos oceanos estão diminuindo mais e mais a cada dia e quando a diversidade colapsar, a interdependência entre as espécies também entrará em colapso e o resultado será um oceano morto.

E um oceano morto significa a morte para todas as criaturas, grandes e pequenas, porque se o oceano morrer, todos nós morreremos. O oceano é o coração do planeta e sustenta toda a vida, na terra e no mar.

Estamos impiedosamente pescando acima dos limites e muito do que está sendo feito, é de forma ilegal. Praticamente todas as operações comerciais de pesca no mundo estão em estado de colapso. Estamos poluindo os oceanos com plástico, petroquímicos, escoamento agrícola e esgoto. Estamos forçando a acidificação, a poluição sonora e a destruição dos habitats costeiros por causa do desenvolvimento.” Capitão Paul Watson – Fundador Sea Shepherd Conservation Society.