Sea Shepherd dança perigosamente com a frota baleeira fora da lei no Santuário Antártico das Baleias

As peças de xadrez náuticas continuam a se mover e continuam a mudar o tabuleiro no Santuário de Baleias da Antártica.

O Shonan Maru # 2 já não persegue o Steve Irwin. A embarcação de segurança foi substituída pelo navio arpoador Yushin Maru #2. Supõe-se que o Shonan Maru #2 irá agora seguir para oeste, em direção ao navio australiano Ocean Protector para entregar os três prisioneiros australianos a bordo. Com o Yushin Maru #2, agora seguindo o Steve Irwin, e o Yushin Maru #3 ainda na Ilha Macquarie, o Nisshin Maru tem agora apenas um navio arpoador restante – o Yushin Maru.

A Sea Shepherd perdeu temporariamente o contato do drone com o Nisshin Maru e não pode garantir que a caça às baleias não tenha começado. Se assim for, ela vai continuar com dois dos três navios arpoadores não envolvidos nas operações de morte. “Se tivéssemos mais um navio, não haveria qualquer possibilidade das baleias serem mortas”, disse o Capitão Paul Watson. “Em julho eu me encontrei com representantes do Greenpeace na Comissão Internacional da Baleia e solicitei que eles enviassem um navio para nos apoiar. Eu disse a eles que mais um navio iria encerrar esta frota inteira. Eles se recusaram, o que é profundamente decepcionante, e como resultado, as baleias podem morrer”.

A Sea Shepherd está trabalhando para garantir um terceiro navio de gelo, grande e rápido, para retornar com reforçada na próxima temporada. O rápido navio de patrulha da Sea Shepherd, o Brigitte Bardot, permanece em Fremantle, na reparação dos danos causados ​​pelas condições climáticas extremas do Oceano Antártico.

“Nós demonstramos que podemos obstruir estes caçadores furtivos, e a cada ano nos tornamos mais eficazes do que no ano anterior. Mais um navio nos dará a capacidade de jogar uma manta de intervenção sobre eles, o que vai extinguir completamente suas operações ilegais”, disse o Capitão Paul Watson.

O afastamento do Shonan Maru #2 elimina a possibilidade da transferência dos três homens da Forest Rescue para o Steve Irwin. A transferência dos homens para o Steve Irwin teria poupado centenas de milhares de dólares do governo australiano. Enquanto isso, apesar de ser expulso das águas territoriais da Austrália da Ilha MacQuarie, o Yushin Maru #3 continua a permanecer ilegalmente dentro do limite territorial australiano de 12 milhas.

“Os baleeiros japoneses agem como se eles fossem donos de todo o Oceano Austral”, disse o Capitão do Bob Barker, Alex Cornelissen, da Holanda. “Eles vão para onde querem, quando querem, e fazem o que querem, com total desprezo pela soberania australiana”.

O Yushin Maru # 3 com a ilha MacQuarie ao fundo, tirada a partir da ponte do Bob Barker. Foto: Carolina A Castro

O Yushin Maru # 3 com a ilha MacQuarie ao fundo, tirada a partir da ponte do Bob Barker. Foto: Carolina A Castro

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

O episódio do embarque no Shonan Maru

Cronograma de acontecimentos

Sexta-feira, 6 janeiro, 2012:

Três membros da Forest Rescue visitam o Steve Irwin no porto de Fremantle, com um pedido para que a Sea Shepherd lhes dê assistência no embarque do Shonan Maru #2. Seu objetivo é mostrar a falta de ação do governo para acabar com a caça às baleias no Oceano Antártico e tentar reduzir a velocidade do Shonan Maru #2, para permitir que o Steve Irwin fuja de sua perseguição. O Capitão Paul Watson concorda com esta solicitação.

Sábado, 7 de janeiro:

O Steve Irwin espera ao largo da ilha Rottnest para observar os movimentos do Shonan Maru #2 e aguardar a equipe da Forest Rescue para fazer os preparativos e garantir um barco para levá-los ao largo da costa. Às 14:42 horas, o Steve Irwin parte para o sul, ao longo da costa da Austrália Ocidental. Às 19:00, a Sea Shepherd divulga na internet que o Steve Irwin está tendo problemas de motor e vai precisar parar para reparos. A Sea Shepherd está ciente de que os baleeiros monitoraram o site da Sea Shepherd. Às 23:05 o Steve Irwin para e flutua cerca de onze quilômetros da costa de Bunbury. O Shonan Maru #2 para a 11 milhas à popa do Steve Irwin.

Os três membros da equipe de embarque da Forest Rescue são Geoffrey Tuxworth, Simon Peterffy, e Glen Pendlebury, todos são da Austrália Ocidental.

Objetivos:

1. Subir a bordo do Shonan Maru #2

2. Retardar o Shonan Maru #2 para permitir que o Steve Irwin escape.

3. Chamar a atenção pública internacional sobre a continuidade das operações ilegais baleeiras do Japão e a falta de ação por parte do governo Gillard.

4. Envergonhar o navio japonês de segurança por violar a sua segurança.

Domingo, 8 de janeiro:

Meia-noite: a Sea Shepherd despacha dois barcos, o Delta e o Bindi, para encontrar a equipe da Forest Rescue. Os três homens são apanhados de seu barco. Os barcos, em seguida, avançam para o Shonan Maru #2 ao abrigo da escuridão da noite.

03:01: O Bindi quebra. O Capitão Watson comunica que o Delta continue com a missão.

04:30: O Delta se move entre dois pontos e contra o casco do Shonan Maru #2 e os três homens negociam seu caminho ao longo das grades e por meio do arame farpado para chegar ao convés. Com os homens no convés, o Delta e o Bindi retornam ao Steve Irwin, às 06:30 horas.

Posição do Shonan Maru #2 no momento do embarque: 32° 57″ 48″ ao sul e 115° 20′ 24″ a leste (16,2 milhas náuticas da costa da Austrália Ocidental).

Segunda-feira, 9 de janeiro:

O Shonan Maru #2 continua a perseguir o Steve Irwin. A posição ao meio-dia é: 37° 41″ ao sul e 115° 14″ a leste (173 milhas náuticas ao sul da Austrália).

Terça-feira, 10 de janeiro:

O Shonan Maru #2 continua a perseguir o Steve Irwin. A posição ao meio-dia é: 41° 19″ ao sul e 115° 58″ a leste (380 milhas náuticas da Austrália).

O Yushin Maru #3 está a 4 milhas ao largo da praia de Ilha Macquarie, como documentado pelo navio da Sea Shepherd, o Bob Barker. A Sea Shepherd se oferece para resgatar os três ativistas da Forest Rescue do Shonan Maru #2, a fim de ajudar o governo a evitar o custo de enviar o Oceano Protector para resgatar os homens. O governo não responde.

Quarta-feira, 11 de janeiro:

O Shonan Maru #2 continua a perseguir o Steve Irwin. A posição às 11:00 horas é: 44° 13 ao sul e 119° 51 a leste (560 milhas náuticas da Austrália). Às 17:00 horas, horário da Austrália, o Yushin Maru #3 permanece dentro do limite de 12 milhas territorial da Ilha Macquarie.

A posição do Ocean Protector é desconhecida. Nenhuma área do governo australiano entrou em contato com o Steve Irwin durante este cronograma. Os únicos contatos foram do gabinete do senador Bob Brown e do Membro Liberal do Parlamento, Greg Hunt.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Invasão ilegal de Tóquio na área de patrimônio mundial

De The Greens, 11 de janeiro de 2012:

Esta manhã o arpoador japonês Yushin Maru III estava navegando rapidamente na área de patrimônio mundial da Austrália e águas territoriais da Ilha Macquarie. Isto apesar de um apelo da Austrália para que o navio saia do nosso território.

news_120111_3_1_The_Greens_Tokyos_Illegal_Invasion_of_World_Heritage_Area

O navio está violando a lei australiana, que proíbe a entrada desses navios em nossa zona econômica exclusiva, bem como em águas territoriais.

“Nesta situação, uma embarcação naval deveria ser despachada da área da patrimônio mundial da Ilha Macquarie para fazer valer a lei australiana”, disse o senador Brown.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Navio arpoador japonês entra no limite australiano

news_120109_3_1_yushin_maru_with_gea_tagEncorajados por poderem entrar na zona contígua da Austrália, sem qualquer penalidade, onde deteram e removeram três cidadãos australianos, os japoneses já deram mais um passo, entrando no limite de 12 milhas das águas territoriais da Austrália, em volta da Ilha Macquarie.

O Yushin Maru #3 está atualmente (às 14:00, horário da Austrália) a 5 milhas náuticas ao largo da praia na Ilha Macquarie. O navio da Sea Shepherd, Bob Barker, está tentando alcançar o Yushin Maru #3 em Macquarie.

De acordo com uma ordem de 2008 do Tribunal Federal da Austrália, navios baleeiros japoneses estão proibidos de entrar nas águas territoriais da Austrália.

O Steve Irwin está agora a 400 milhas ao sul da Austrália com o Shonan Maru #2 o perseguindo, a uma distância de 10 milhas náuticas. Os três homens australianos que embarcaram no navio japonês permanecem detidos no navio.

A Ilha Macquarie é também um local de Patrimônio Mundial, e um navio que mata baleias não tem nada para fazer nas águas de um Patrimônio Mundial.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Defensores de baleias australianos a caminho da Antártida contra a sua vontade

Os ativistas da Forest Rescue, Geoffrey Tuxworth, Simon Peterffy e Glen Pendlebury acabaram de sair da zona exclusiva econômica australiana a bordo do Shonan Maru #2. Eles estão agora em águas internacionais, em direção ao sul, para a costa da Antártida. O Shonan Maru #2 cruzou a linha às 19:15, horário da Austrália Ocidental, a 38 Graus e 12 Minutos ao sul e 115 graus e 02 minutos a leste, exatamente ao Sul da ponta sudoeste da Austrália.

O Shonan Maru #2 está a 16 milhas à popa do Steve Irwin, e os dois navios estão indo ao Sul, para a costa da Antártida, há 1200 quilômetros de distância.

“Parece que os japoneses claramente sequestraram três cidadãos australianos a partir das águas territoriais da Austrália, dentro da zona de 24 milhas náuticas contíguas. Estes homens foram retirados das águas da Austrália contra a sua vontade, sem aduaneiros da Austrália e a depuração da imigração, e eles não têm passaportes”, disse o Capitão Paul Watson. “Eu não posso imaginar três japoneses embarcando num navio australiano, 16 milhas fora do Japão, e serem transportados para a Austrália contra sua vontade e os japoneses tolerarem isso. O Japão agora sabe que deu luz verde para a Austrália intensificar suas táticas agressivas”.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil