Senado Brasileiro pede libertação do Capitão Paul Watson

O presidente em exercício do Senado brasileiro, Senador Paulo Paim (PT-RS), pediu em sessão plenária, realizada hoje, dia 18/05, em Brasília, a libertação do Capitão Paul Watson.

Na sua fala, discorreu a respeito da importância do trabalho e a dedicação de Watson na preservação do meio ambiente marinho mundial. Frisou o posicionamento da INTERPOL, de que esta captura está sendo feita de forma ilegal e sem provas suficientes. Destacou o trabalho do Instituto Sea Shepherd Brasil (ISSB) na proteção da costa brasileira, e sua luta para que seu principal líder seja posto em liberdade e possa continuar sua cruzada contra os agressores do planeta.

Confira abaixo o pronunciamento, na íntegra, do senador Paulo Paim.

FREE PAUL WATSON!!!!

Obs: A Sea Shepherd é uma organização apartidária politicamente, este foi um ato de generosidade do Senador Paulo Paim ao discursar pela libertação do nosso Capitão.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=hQtZfgbz3h4&feature=youtu.be[/youtube]

Requerimento tardio da Procuradoria Geral alemã dá a Ministros alemães mais tempo para salvar o Capitão Paul Watson!

Capitão Paul Watson ao leme do Steve Irwin. Foto: Barbara Veiga

A Sea Shepherd espera notícias sobre o destino do Capitão Paul Watson, que seria anunciado ontem pelo Superior Tribunal Regional alemão em Frankfurt, mas com o passar das horas, nenhuma palavra foi recebida do procurador geral até o fim do horário comercial. Às 18:00 horas, o procurador geral finalmente apresentou o seu requerimento para um mandado preliminar de extradição de prisão contra o Capitão Paul Watson. A apresentação tardia deste requerimento, juntamente com um feriado dos bancos alemães hoje, deu aos partidários e aliados do Capitão Paul Watson até esta sexta-feira para apelar à Ministra Federal da Justiça alemã, Sabine Leutheusser-Schnarrenberger, e ao Ministro das Relações Exteriores, Dr. Guido Westerwelle, por direitos humanos internacionais.

O líder da assessoria jurídica do Capitão Paul Watson, Oliver Wallasch, disse o seguinte sobre o requerimento do promotor público na quarta-feira:

“Absolutamente incomum – eu nunca tive essa experiência em toda a minha prática em casos transfronteiriços – o fato de que a Procuradoria Pública afirmou que o Ministério da Justiça alemão e o Ministério das Relações Exteriores alemão têm o poder de parar o processo de extradição por razões políticas”.

Assim, as chaves para a liberdade do Capitão Paul Watson estão nas mãos da Sra. Ministra da Justiça e do Senhor Ministro das Relações Exteriores. Solicitamos, portanto, que todos os apoiadores do Capitão Paul Watson imediatamente entrem em contato com a Ministro da Justiça e o Ministro das Relações Exteriores para pedir-lhes o fim da extradição injusta e politicamente motivada do Capitão Paul Watson, diante de um painel de juízes decidindo o destino do Capitão Paul Watson na sexta-feira, 18.

Durante dias, os defensores da Sea Shepherd da Alemanha e ao redor do mundo têm expressado suas preocupações sobre a natureza política deste extradição, bem como a sua preocupação com a segurança do capitão Paul Watson, para a Ministra da Justiça Federal, Sabine Leutheusser-Schnarrenberger. Dado o requerimento feito pelo procurador geral, agora é hora de também chamar a atenção do Ministro das Relações Exteriores, Dr. Guido Westerwelle. O ministro (ou ambos os ministros) pode tomar as medidas que a Interpol já tomou, e reconhecer que o caso contra o Capitão Paul Watson é politicamente motivado e é uma violação dos direitos humanos do Capitão Paul Watson.

Se os Senhores Ministros não conseguirem colocar freios na perseguição do capitão Paul Watson, o processo de extradição continuará, e a Costa Rica terá um máximo de 90 dias, a partir do momento que ele foi preso, para expor o seu caso falso de extradição. Durante este tempo, o Capitão Paul Watson ficaria isolado na prisão, à espera de uma extradição que equivaleria a uma sentença de morte.

A máfia taiwanense do finning de tubarão anunciou uma recompensa de US$ 20.000 pela sua cabeça por anos. Sabemos que o braço da máfia de finning de tubarão de Taiwan não atinge apenas a indústria da pesca ilegal na Costa Rica, mas também o sistema prisional de lá. A Sea Shepherd teme que o Capitão Paul Watson não receba um julgamento justo na Costa Rica, mas que ele provavelmente não sobreviveria à prisão por tempo suficiente para ver o interior de uma sala do tribunal.

Este é o nosso esforço final para pedir aos Senhores Ministros intervirem antes que o processo de extradição comece oficialmente. Nós só temos algumas horas para mudar as mentes dos oficiais alemães que podem fazer a diferença, e não apenas salvar a vida do Capitão Paul Watson, mas também salvar a vida de baleias, golfinhos, focas e peixes que ele passou sua vida defendendo corajosamente.

Ao visitar o Capitão Paul Watson na prisão, o Oficial de Operações Náuticas, Peter Hammarstedt, e o Diretor de Inteligência e Investigações, Scott West, foram capazes de obter uma nota manuscrita do Capitão Paul Watson aos seus apoiadores, que você pode visualizar e ler a tradução na parte inferior deste artigo.

Por favor, ligue, mande um e-mail, e envie fax aos seguintes ministros:

Sabine Leutheusser-Schnarrenberger
Ministra Federal da Justiça
Deutscher Bundestag
Platz der Republik
11011 Berlin

Telefone 030-227 751 62, 
de fora da Alemanha +49 302 277 5162
Fax 030-227 764 02, 
de fora da Alemanha +49 302 277 6402
E-Mail: sabine.leutheusser-Schnarrenberger@bundestag.de

Ministério Federal da Justiça
Mohrenstrasse
3710117 Berlin
Alemanha

Telefone: +49 (030) 18 580-0
Telefax: +49 (030) 18 580-9525

Dr. Guido Westerwelle – Ministro das Relações Exteriores
FDP-Bundestagsfraktion
Platz der Republik 111011
Berlin

Tel:. 030/22771636, de fora da Alemanha +49 302 277 1636
Fax: 030/22776562, de fora da Alemanha +49 302 277 6562
E-Mail: guido.westerwelle@bundestag.de

Carta escrita por Paul Watson
Tradução: Aline Louali

Agradeço à todos os apoiadores da Sea Shepherd ao redor do mundo, por estarem presentes por mim e por assegurarem minha liberdade desta cadeia na Alemanha.
Nossos esforços para proteger a vida de nossos oceanos nos trouxe alguns inimigos poderosos.
Contra esse poder, nós temos a paixão de todos aqueles que apóiam a vida e é esta paixão pela vida que vai triunfar sobre o poder daqueles que destruiriam nossos oceanos.
Eu sei que com seu apoio, a Alemanha não irá me mandar para o que certamente é uma sentença de morte na Costa Rica.

Capitão Paul Watson

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Alemanha considera enviar defensor de baleias para o que será uma sentença de morte na Costa Rica

Hoje, em Frankfurt, Alemanha, o procurador-geral para o Superior Tribunal Regional solicitou um mandado de detenção preliminar de extradição contra o Capitão Paul Watson, com base em um mandado de detenção local e pedido de extradição da Costa Rica. Em um requerimento extremamente incomum, o Ministério Público afirmou que o Ministério da Justiça e o Ministério das Relações Exteriores alemão tem o poder de parar os processos de extradição por motivos políticos.

Se o Ministério da Justiça e/ou o Ministério das Relações Exteriores decidirem que eles não concederão a extradição de Paul Watson para a Costa Rica, o caso estaria encerrado, e o Capitão Watson seria posto em liberdade imediatamente. Pedimos aos nossos apoiadores para continuarem a apelar ao Ministério da Justiça alemão para obter ajuda.

Os representantes da Sea Shepherd puderam visitar o Capitão Paul Watson na prisão de Frankfurt esta manhã, e eles conseguiram registrar a seguinte declaração do Capitão Paul Watson:

Em nossos esforços para defender a vida das baleias, golfinhos, focas, tubarões e peixes, fizemos alguns inimigos poderosos, principalmente do governo do Japão. Não é por acaso que o pedido de extradição da Costa Rica foi emitido no mesmo mês (outubro de 2011) que a ação dos baleeiros japoneses do Instituto de Pesquisa de Cetáceos contra a Sea Shepherd foi iniciada. O pedido de extradição foi em referência a uma queixa de pescadores da Costa Rica que foram pegos caçando em águas da Guatemala. Os pescadores não foram feridos e seu barco não foi danificado. O incidente foi totalmente documentado para o filme Sharkwater. A Interpol originalmente negou este pedido de extradição, considerado como politicamente motivado. Portanto, a pergunta que deve ser feita é por que a Alemanha está agora levando em conta as acusações feitas por caçadores ilegais. – Capitão Paul Watson

O Capitão Watson tem viajado extensivamente em todo o mundo desde que o governo da Costa Rica emitiu este mandado de prisão, em outubro de 2011. Ele foi para a Austrália, França, Espanha, Reino Unido, etc, e nenhum desses países procuraram prender o Capitão Watson como a Alemanha fez.

Se o Capitão Watson for extraditado para a Costa Rica, ele certamente não receberá um julgamento justo, e sua segurança não pode ser garantida. A máfia de barbatanas de tubarão, que opera ilegalmente na Costa Rica, poderia tentar prejudicar o Capitão Paul Watson, e esta realidade faz com que ele tema por sua vida. A Sea Shepherd está fazendo todo o possível para fornecer ao Capitão Watson a melhor equipe de defesa possível. Entre os baleeiros ilegais japoneses e a máfia da pesca do tubarão em Costa Rica, o Capitão Watson tem formidáveis ​​inimigos, que procuram interromper os seus esforços para defender a vida marinha.

Sua generosa doação ajudará a manter o Capitão Watson fora de perigo, e vai permitir-lhe cumprir a sua missão: proteger criaturas marinhas, enquanto ainda há esperança.

____________________________________________________

Declaração do advogado do Capitão Watson, Oliver Wallasch:

A todos,

Hoje recebi o pedido do procurador-geral em Frankfurt, para que o Tribunal Regional Superior de Frankfurt emita um mandado de detenção preliminar de extradição contra Paul Watson com base no mandado de detenção local e no pedido de extradição da Costa Rica. O procurador-geral dá o aviso prévio de que as autoridades da Costa Rica solicitaram a extradição, que é também um ato criminoso pelo direito alemão (regra da dupla incriminação), e o procurador-geral está preocupado com a detenção preliminar, necessária por causa da probabilidade de uma fuga do cliente.

Nesta fase do procedimento não temos todas as evidências e não temos quaisquer documentos de extradição das autoridades da Costa Rica. Portanto, o Ministério Público só pediu um mandado de extradição preliminar, ele não pediu uma decisão do tribunal sobre a extradição em si. Absolutamente incomum – eu nunca tive essa experiência em toda a minha prática em casos transfronteiriços – é o fato de que o Ministério Público afirmou que o Ministério da Justiça alemão e o Ministério das Relações Exteriores alemão têm o poder de parar o processo de extradição por motivos políticos.

Se o Ministério da Justiça e/ou o Ministério das Relações Exteriores notificarem que não concederão a extradição de Paul Watson para a Costa Rica, o caso vai ser encerrado, e Paul Watson será posto em liberdade imediatamente. Para um promotor independente público, esta afirmação é absolutamente incomum, e dá uma dica que não é um caso de extradição comum, mas que deve ser tratado também a nível político.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Carta do Instituto Sea Shepherd Brasil para a Ministra da Justiça alemã

Carta enviada para a Ministra da Justiça alemã, Sabine Leutheusser-Schnarrenberger, pelo Diretor Geral Voluntário do Instituto Sea Shepherd Brasil, Wendell Estol, acerca da prisão do Capitão Paul Watson

Capitão Paul Watson

Cara Sabine Leutheusser-Schnarrenberger

Meu nome é Wendell Estol, sou o Diretor da Sea Shepherd no Brasil.

Venho por meio deste solicitar, encarecidamente, a vossa senhoria a revogação da sentença de primeira instância que determina a extradição do capitão Paul Watson.

Pois não se trata de um criminoso ou algo do gênero, e sim de um herói do século 21.

Através de sua luta diversas vidas foram salvas, vidas que para quem o acusa são apenas cifras, recursos financeiros.

Os pretextos crimes por ele cometido na Costa Rica não se comparam as atrocidades, cometidas por seus acusadores, contra a vida marinha como um todo, assasinando cerca de 100 milhoes de tubarões por ano no mundo todo, para simplesmente extrairem suas barbatanas para servir um prato de sopa o qual atribuem poderes afrodisíacos.

Esta pode não ser a sua realidade na Alemanha, mas é a de muitos países como a Costa Rica e o Brasil, que tem seu oceanos saqueados, todos os dias, por esta máfia mundial que se instalou no mercado dos recursos pesqueros mundiais. Para sua informação, aqui no Brasil, movemos diversos processos judiciais contra esta máfia, inclusive com o apoio da Polícia Federal e Ministério Público Federal Brasileiros, sendo a última dela a cerca de um mês, onde foram apreendidas cerca de 8 toneladas de barbatanas de tubarões que seria contrabandeadas para países da Ásia.

Hoje, se tem alguém, no mundo, que pode ser de grande valia no combate a estes criminosos, este é Paul Watson.

Não mantenha preso uma das únicas pessoas do mundo que sabem como combater este exterminio em massa que vem ocorrendo nos oceanos do mundo todo.

Pois por justiça, o direito a vida sempre será maior que qualquer direito a propriedade privada, por isso faça a justiça, liberte aquele que defende a vida, não interessa de que tipo, apenas a vida de qualquer criatura que seja.

Agradeço muito, sua consideração em ler esta carta e saiba, tenho convicção de que, a ministra de um país tão civilizados e desenvolvido não cometerá a injustiça de prender e extraditar um dos maiores defensores da vida no planeta.

Att.

Wendell Estol

 

Original da carta enviada, em alemão:

Sehr geehrte Sabine Leutheusser Schnarrenberger,
ich heiße Wendell Stall, ich bin der Direktor von Sea Shepherd in Brasilien.
Hiermit melde ich mich ernsthaft frage dies zu Eurer Lordschaft der
Widerruf des Urteils erster Instanz dass, die Auslieferung des Kapitän
Paul Watson bestimmt. Paul Watson ist kein Verbrecher oder so, aber ein
Held des 21. Jahrhunderts.
Durch ihren Kampf viele Leben gerettet würden. Sind Leben, aber für die
der Angeklagte sind nur Zahlen und finanziellen Ressourcen. Die Vorwände
für Verbrechen, die er in Costa Rica verpflichtet nicht zu vergleichen,
die Grausamkeiten, die von seinen Anklägern verpflichtet, gegenmarine
Leben als Ganzes, jedes Jahr tötet etwa 100 Millionen Haie weltweit, nur
zu extrahieren Sie einfach die Flossen für dienen einen Teller Suppe, die
aphrodisierende Kräfte zuschreiben.
Dies kann nicht eure Realität in Deutschland sein , sondern ist in viele
Länder wie Costa Rica und Brasilien, die der Ozeane jeden Tag geplünder
haben durch diese Mafia-Welt, die auf dem Markt der globalen Fischerei
angesiedelt ist. Zu Ihrer Information,hier in Brasilien zogen wir viele
juristische Klagen gegen diese Mafia, einschließlich mit der Unterstützung
der Bundespolizei und der brasilianischenBundesanwaltschaft, der letzte
der es zirca einen Monat, dem sie etwa 8 Tonnen von Haifischflossen, die
in Ländern in Asien geschmuggelt würden, beschlagnahmt wurden.
Heute wenn es jemand in der Welt gibt, die von großem Wert bei der
Bekämpfung dieser Verbrecher sein kann, ist dies Paul Watson.
Nicht halten als Gefangener der wenigen Menschen auf der Welt,dass, diese
Massenvernichtung die in den Ozeanen auf der ganzen Welt wurde
auftretendenbekämpfen wissen.
Nun, für Gerechtigkeit, wird das Recht auf Leben immer größer als
jedesRecht auf Privateigentum sein. Deshalb tun Gerechtigkeit, freigeben
Sie diejenigen, die das Leben zu verteidigen, egalwelcher Art, nur das
Leben eines jeden Geschöpfes überhaupt.
Vielen Dank, um Ihre Aufmerksamkeit in diesen Brief zu lesen. Wissen Sie,
ich fühle michstark, dass der Ministerin eines Landes so zivilisiert und
entwickelt würde nicht die Ungerechtigkeit begehen zu verhaften und
auszuliefern, ein führender Verfechterdes Lebens auf dem Planeten.

Mit freundlichen Grüßen,

Wendell Estol

Comunicado URGENTE a todos os seguidores da Sea Shepherd!

Ajudem a evitar a extradição do Capitão Paul Watson para a Costa Rica. Segundo as últimas notícias, as autoridades alemãs decidiram proceder a extradição do Capitão Paul Watson para a Costa Rica. Nossa última esperança de salvar o Capitão Paul Watson de sua extradição é convencer as autoridades do Ministério de Justiça alemão para que dêem um passo à frente e anulem sua decisão. Mostre seu apoio ao Capitão Watson entrando em contato com Sabine Leutheusser-Schnarrenberger, a Ministra Federal de Justiça em Berlim, Alemanha. Ela precisa saber que a ordem de prisão para deter o Capitão Paul Watson tem motivações políticas e, portanto, deve ser ignorada pelo Governo Alemão. Com o apoio internacional podemos conseguir a liberdade para o Capitão Paul Watson e deixá-lo longe da possibilidade de enfrentar um julgamento injusto na Costa Rica.

Por favor , entrem em contato com: (por favor, seja respeitoso em sua comunicação)

Sabine Leutheusser-Schnarrenberger
Ministra Federal de Justiça
Deutscher Bundestag
Platz der Republik
11011 Berlin
Telefone 030 – 227 751 62
Fax 030 – 227 764 02

E-Mail: sabine.leutheusser-schnarrenberger@bundestag.de
Facebook: https://www.facebook.com/BMJustiz/info

Ministério Federal de Justiça
Mohrenstrasse 37
10117 Berlin, Germany
Telefone: +49 (030) 18 580-0
Telefax: +49 (030) 18 580-9525

Envie este simples texto abaixo:

Dear Ms Leutheusser-Schnarrenberger,

I was very concerned to hear that Germany has detained Sea Shepherd’s Captain Paul Watson for possible extradition to Costa Rica. I understand that the warrant for Captain Watson’s arrest is politically motivated and possibly due to an incident in which Sea Shepherd uncovered an illegal shark finning operation.

I support Sea Shepherd’s efforts to monitor and publicise illegal fishing and whaling around the world and recognize that some illegal fishing operations try to use international law to shut down the Sea Shepherd operations.

I urge you to consider the valuable work Captain Watson and Sea Shepherd are undertaking globally to highlight the dangers to our oceans in considering this extradition request.

Sincerely,

Seu nome

Traduzido por Aline Louali, Diretora de Vídeos e Tradutora Voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil