Notícias

Operação Fúria Azul 2011 começa: a Sea Shepherd vai a águas hostis na Líbia para salvar o atum

O Brigitte Bardot corta as ondas. Foto: Michelle McCarron

O Brigitte Bardot corta as ondas. Foto: Michelle McCarron

A Operação Fúria Azul, campanha da Sea Shepherd Conservation Society em defesa do atum, teve início hoje, com a partida de dois de seus barcos do porto de Toulon, França. O Steve Irwin, de bandeira holandesa, e o Brigitte Bardot, de bandeira australiana, partiram do porto de Toulon, na França, hoje, em direção às águas revoltas pela guerra da Líbia. A missão da Sea Shepherd é encontrar e interceptar operações de pesca ilegal de atum-azul que estejam se aproveitando da guerra para pegar ilegalmente este peixe altamente ameaçado.

Os dois barcos partiram de Toulon antes do horário de partida agendado para as 15:00 horas, de modo a evitar um ataque de pescadores franceses enraivecidos, que poderiam tentar evitar a partida dos barcos da Sea Shepherd.

O Steve Irwin antes da partida. Foto: Michelle McCarron

O Steve Irwin antes da partida. Foto: Michelle McCarron

Quarenta e seis membros voluntários formam a tripulação da Sea Shepherd, incluindo 18 mulheres e 28 homens, todos preparados para agir a despeito dos riscos de confrontar pescadores ilegais nas águas hostis da Líbia. A tripulação representa 17 nacionalidades, incluindo 10 nações participantes da União Europeia. As nações representadas à bordo são: Austrália, Bélgica, Canadá, Equador, França, Alemanha, Grécia, Índia, Irlanda, Itália, Nova Zelândia, Países Baixos, África do Sul, Espanha, Suécia, o Reino Unido e os Estados Unidos da América.

O foco da Operação Fúria Azul 2011 é a intervenção contra quaisquer operações de pesca que ocorram na área ao largo da costa da Líbia, região fechada à exploração de atum-azul pela Comissão Internacional de Conservação do Atum Atlântico (ICCAT) e pela comissão de pesca da União Europeia.

Bandeira da campanha Operação Blue Rage 2011. Foto: Michelle McCarron

Bandeira da campanha Operação Fúria Azul 2011. Foto: Michelle McCarron

A campanha e as duas embarcações Sea Shepherd estão sob o comando do capitão Locky MacLean, à bordo do Steve Irwin. O capitão Siddharth Chakravarty da Índia está no comando do Brigitte Bardot. O capitão Paul Watson tomará o comando direto da campanha ao retornar ao Steve Irwin em 8 de junho.

“Nossa missão é simples”, diz o capitão Watson. “Qualquer embarcação de pesca de atum que encontrarmos na costa da Líbia estará operando ilegalmente. Cortaremos suas redes, libertaremos os peixes e faremos documentação e relatórios de suas operações à ICCAT e à União Europeia”.
“Perguntam, constantemente, se esta operação é perigosa”, comentou o capitão Watson. “É claro que é uma missão perigosa, é por isso que somos o único grupo que entrará na zona de guerra. Iremos onde ninguém mais ousa ir e faremos o que ninguém mais tem coragem – fazer prevalecer a lei de conservação internacional”.

Durante a inauguração da campanha Operação Fúria Azul, em junho de 2010, o Steve Irwin interceptou a operação de pesca ilegal de atum ao largo da costa da Líbia. A Sea Shepherd cortou redes e libertou mais de 800 atuns-azul.

O Steve Irwin deixando Toulou, França. Foto: Michelle McCarron

O Steve Irwin deixando Toulou, França. Foto: Michelle McCarron

“Suspeitamos que a tarefa será muito mais fácil este ano”, disse o capitão MacLean. “Cada barco de pesca nesta área será alvo de intervenção e não teremos que nos preocupar com aviões ou navios líbios. Manteremos as forças da OTAN cientes de nossas atividades e faremos relatórios de nossas operações aos oficiais de direito da União Europeia. Não podemos permitir que pescadores ilegais lucrem com a guerra ao pegar esses peixes maravilhosos e ameaçados.

A presidente da Sea Shepherd Fraça, Lamya Essemlali, está coordenando as operações de inteligência para a Operação Fúria Azul 2011. “Possuímos evidências consideráveis de que haverá muitas tentativas de exploração das águas não patrulhadas nesta temporada e suspeitamos que encontraremos pescadores ilegais tentando tirar proveito da guerra na Líbia”, disse Essemlali. “Um único atum-azul pode chegar a 70.000 dólares no mercado de peixes do Japão. Isso constitui em forte motivação para violar a lei”.

Traduzido por Carlinhos Puig, voluntário do ISSB.

Back to list

Related Posts