Editorial

O hobby sinistro

Atualização de 2012 sobre a Campanha Global 3 Camadas (Global 3-Tier Campaign), para banir o tráfico de vida marinha para aquários: primeira de duas partes

Comentário e fotos de Robert Wintner (exceto quando indicado)

Tang amarelo

Camada 1: O lado da oferta.

O Havaí continua a ser um centro de comércio de aquário, tanto como centro de extração da vida selvagem quanto ponto de troca de outros recifes do Pacífico, numa contínua atrocidade livre-para-todos, devastando e enfraquecendo os recifes.

Um caçador de aquário jogou centenas de tangs amarelos em uma caçamba de lixo, em Honokohau Harbor, Kona - não duvide: havia muito mais de onde eles vieram. Foto: Teri Leicher

Desde que se tornou governador em 2012, o índice de aprovação de Neil Abercrombie tem afundado – marcada por equívocos, indiferença, palhaçada, e dívida pública. Quando ele tornou William Aila Diretor de Recursos Naturais, o santuário interno jurou, “Neil não sabia que Aila era um caçador de aquário licenciado”. Com fortes laços com o comércio do aquário, Aila se empenhou para consolidar o comércio de recifes do Havaí, assim como ele liderou a oposição à regulamentação legislativa ao longo dos anos. Abercrombie provavelmente será desafiado, mas eu não sou candidato. Se for indicado eu não concorro. Se for eleito…

O comércio do aquário continua a devastar espécies emblemáticas de tangs amarelos, peixes borboleta, bodião limpador havaiano, e muitos mais. Tangs amarelos são herbívoros, controlando as algas com pastejo constante, e sua ausência deixa recifes vulneráveis ​​ao crescimento excessivo de algas. O bodião limpador havaiano é endêmico para o Havaí, e morre em 30 dias de cativeiro, mas é vendido online. A sua ausência permite o acúmulo de parasitas em muitos recifes.

Bodião limpador havaiano

A lista é longa. Os Flames Angelfish praticamente desapareceram no Havaí, com alguns indivíduos vivendo anonimamente no Programa de Proteção Flames Angelfish.

Flame Angelfish: um peixe mais emocional

Quando uma mulher bem nutrida gritou: “Eu quero aquele!” para os goombas convertendo uma máquina de pinball em um aquário no reality show Tanked, ela trouxe a tona outro flame –  um “inventário” de flame angelfish agora vem principalmente da Ilha Christmas, mais uma vez, sem limite ou controle em outro genocídio de espécies.

Agora na parada de sucessos do aquário: Hippocampus hilonis, um dos dois cavalos-marinhos havaianos endêmicos

Humanos indigentes pegam cavalos marinhos endêmicos havaianos em áreas rasas de berçário e os vendem mais barato para os negociantes, que vendem para os revendedores no continente.

Todas as três espécies de cavalos marinhos encontrados no Havaí estão listadas no Apêndice 2 da CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção) como “vulneráveis ​​à extinção”, como a foca-monge do Havaí e a tartaruga verde. O Estado do Havaí reconhece proteção federal para focas e tartarugas marinhas, mas não a cavalos marinhos, porque o Estado não fez nenhuma avaliação. Então, cavalos marinhos são outra “pesca gerenciada”. O Departamento da Terra e dos Recursos Naturais do Havaí começou em 1956 a gerir a pesca, incluindo a “pesca” de aquário. Demorou 23 anos para acabar com o comércio de uma espécie de coral, depois que recifes inteiros foram transformados em escombros. Somente nos anos 90 o Departamento da Terra e dos Recursos Naturais do Havaí proibiu todo o comércio coral e rocha viva. Agora os recifes no Havaí estão 100% protegidos, enquanto animais selvagens “vulneráveis ​​à extinção” dos recifes ainda são utilizados legalmente pelo comércio do aquário.

A Quality Marine é um traficante de fauna importante para o comércio de animais, com tanques de retenção em todo o Pacífico Ocidental e um perfil sujo. Um observador do depósito (tanques de retenção) do Quality Marine em Tonga viu centenas de Lemonpeel Angelfish e muito mais espécies de bodião. Cada Lemonpeel Angelfish estava em um cano de PVC de 5 cm de comprimento, à espera de mais Lemonpeels para preencher o pedido. Mas mais Lemonpeels não vieram. Aqueles em espera morreram de fome. Suas barbatanas podres deixaram a água suja. Então a Quality Marine teve de liberá-los – para as milhas de baía obscuras em suas casas de recife na água azul. Custos com combustível, mão-de-obra, e economia de recursos tornam a Quality Marine mais rentável. O depósito da Quality Marine em Fiji é próximo do aeroporto internacional, mas longe dos recifes, onde a extração maciça leva a uma série de tortuosos passeios irregulares. Outro observador em um hotel de 5 estrelas nas proximidades não viu nenhum peixe nos recifes anteriormente abundantes. Enquanto o desenvolvimento de escoamento é o culpado, a dizimação de recifes em Viti Levu tem impulsionado coletores distantes, deixando um rastro de recifes dizimados, exceto nas reservas, assim como em Kona. Colecionadores de aquário em Fiji e Kona concordam: “É bom! Abundância de peixe!”. Evidência anedótica não é dado. É emocional.

Lemonpeel Angelfish

A Quality Marine oferece agora um cavalo marinho endêmico havaiano, porém não em uma lista de estoque semanal, que poderia provocar indignação pública. A Quality Marine oferece, discretamente, como um contrabandista. Consumidores prováveis ​​incluem o Scripps Institute, Long Beach Aquarium, Arizona Aquarium, Georgia Aquarium e o New England Aquarium, todos culpados hipócritas, suportando um tráfico sujo de um fornecedor sujo para vender mais ingressos. Estes cavalos marinhos são extremamente frágeis, até 10 de comprimento com chances longas de sobrevivência.  A Fazenda de Cavalos Marinhos Ocean Rider, em Kona, estima um máximo de sobrevivência de um mês na casa de hobbyistas ou um pouco mais com os peritos em aquário público – ou morte durante o transporte.

Também nas notícias, o Departamento de Terra e Recursos Naturais do Havaí multou um mergulhador por “assédio ao pescador” por fotografar um colecionador de aquário na costa de Kohala (Norte de Kona, Havaí) com corrente, âncora, e rede em um coral. O Departamento de Terra e Recursos Naturais mandou o fotógrafo remover as fotos de sua página no Facebook, mas o caso foi arquivado em tribunal porque a acusação era falsa. O Departamento de Terra e Recursos Naturais não multou o colecionador de aquário dizendo que “não podemos fazer acusações sem prova de dano ao coral”.

Logo depois, o Presidente do Colecionadores de Aquário de Kona disse em uma audiência pública, “Snorkel Bob é um eco-terrorista”, mas ainda tem de mostrar provas além de emails incendiários. Esse mesmo caçador de aquário foi pego saqueando um recife fechado na Miloli’i, a última aldeia de pesca no Havaí. Willie Kaupiko foi flagrado choramingando que foi um erro honesto. No mês seguinte, Kaimi Kaupiko o flagrou de novo – e de novo.

Estes crimes solidificam um consenso no Havaí construído a partir da aversão a não gostar da irritação ao proibir o comércio do aquário. Também notável nos últimos meses:

1) O Conselho do Condado de Maui aprovou duas portarias que regulam o negócio de comércio do aquário. A primeira proíbe a crueldade contra os animais, fazendo com que o tráfico de fauna marinha seja impraticável. A segunda requer licenças e zoneamento comercial – colecionadores e comerciantes de Maui em garagens com cilindros de oxigênio enormes (HAZMAT) estavam prontos para invadir a vizinhança. Agora é ilegal. A Jurisdição do Condado pára na linha d’água, mas estas duas novas leis municipais forçaram o maior coletor e o maior revendedor (sua esposa) para ir para a Ilha Grande, o centro do comércio do aquário, no Havaí, e onde:

2) Uma pesquisa pública de Ward Research Inc. concluiu que 2/3 dos moradores do Havaí querem que a coleta comercial de aquário seja proibida em todo o Estado.

3) O Conselho do Condado do Havaí aprovou uma resolução para que o Legislativo e o Governador proíbam o comércio do aquário no Estado e

4) O mesmo fez o Conselho do Condado de Kauai.

Finalmente, o Bangai cardinalfish, uma espécie espetacular e abundante enfrenta a extinção por colecionadores de aquário. Assim, alguns comerciantes de aquário pegaram 1000 cardinals ameaçados como “reprodutores”, para reprodução em cativeiro, para resgatar o “hobby”. Todos morreram, porque eles estavam supostamente “doentes” quando capturados. Então, a culpa foi de Netuno. Um aquário fajuto chamou esta calamidade de “Resgate de Banggai” em mais uma tentativa de alterar a verdade orwelliana. Quando o Dr. Alejandro Vagelli culpou o comércio do aquário por atacar o Banggai cardinalfish, o mesmo aquário fajuto disse, “o trabalho do Dr. Vagelli tem sido questionado”. Os comerciantes de aquário vão difamar qualquer crítica sobre o tráfico de animais selvagens. Melhor colocar em perigo uma espécie ou de duas em vez de bilhões de dólares em receita.

Camada 2: os revendedores e varejistas.

Logo após a Petco abrir em Maui, foi acusado de crueldade com animais em Oahu. Dois tutores de cachorro alegaram unhas mutiladas e hemorragia nas patas. O tutor de um terceiro cachorro alegou que a orelha de seu cão foi cortada e “colada novamente.” Quando a Petco trouxe a fauna marinha para sua loja de Maui, fotos dos clientes de tangs mortos e moribundos tocou um nervo de Maui.

Morte em um aquário Petco. Foto: John O'Leary

Manifestações receberam a atenção da mídia, por isso dois vice presidentes da Petco vieram de Los Angeles para ver se a gente pode entendê-los melhor. Talvez nunca. O vice presidente de assuntos veterinários da Petco, Tom Edling, disse: “Você ama seu gato. Você ama seu cão. Porque você não pode aceitar que algumas pessoas amam o seu peixe?”

“Porque os cães e gatos são raças domésticas, Tom. Eles não sobreviveriam na natureza, mas a vida selvagem nasce para o mundo selvagem, e não para ficar em confinamento, com alta mortalidade e conseqüências negativas para o equilíbrio natural.”

Ele disse: “Oh, sim. Isso”.

A vice presidente de Cuidados e Educação Animal da Petco, Marci Whichard, disse que o apoio de Petco ao Rising Tide prova um “compromisso com a conservação.” Rising Tide é uma lavagem-verde do apetite brutal do SeaWorld para a fauna marinha, que inclui peixes, orcas e golfinhos, como visto no The Cove. Rising Tide “promove o uso de espécies criadas em cativeiro marinhos para o comércio do aquário”, mas não vai exigir que as espécies sejam criadas em cativeiro. Uma mulher do SeaWorld foi chamada para ver se podemos “trabalhar juntos sobre isso”. Ela não gostou de ouvir que não podíamos trabalhar juntos antes que Hadassah pudesse cooperar para angariar fundos com a Liga Ariana.

Durante semanas de discussões a Petco sondou por uma brecha. Ele veio com a reprodução em cativeiro. O diretor da Aliança de Resgate de Recife, Rene Umberger, queria um compromisso, segundo o qual as vendas das lojas da Petco e internet iriam oferecer apenas as espécies criadas em cativeiro marinhos. Mas temos visto a criação em cativeiro da lavagem-verde. Aquaristas se gabam de tanques que são 50% ou 80% criados em cativeiro. Com 700.000 tanques em casa nos EUA e 1,5 ou 2,5 milhão de tanques em todo o mundo, a demanda aumenta para a vida selvagem por hobbystas que não veem uma raça pura reproduzida em cativeiro , que justificam um prazer proibido, como um bodião limpador havaiano ou uma moréia dragão, ou quaisquer espécies exóticas que perecerão em um tanque de vidro. Mas o acordo foi firmado com a esperança de progresso. Uma semana mais tarde, Marcie Whichard ligou com uma “notícia maravilhosa! A Petco vai prometer vender apenas para as espécies criadas em cativeiro marinhos!”

“Quando?”

“Quando o quê?”

“Quando as vendas dos somente criados em cativeiro começam?”

“Eu não posso dizer quando. Nós temos que vender o nosso primeiro estoque. Obviamente!”

“Quando vezes vocês vão terminar este estoque?”

“Isso pode demorar 90 dias! Ou 120!”

“Então, você pode iniciar as vendas de criação em cativeiro somente em três a seis meses?”

“Eu não disse isso!”

“Você pode dizer alguma coisa? Podemos ter alguma flexibilidade aqui, mas pelo menos, necessitamos de uma data como base. Você pode dizer o início e o fim disso?”

“Olhe. Nós não vamos apresentar um cronograma. Pois e se dissermos cinco anos e não pudermos fazer isso? Ou dez anos?”

Muito para o progresso na Petco, mas o progresso acontece. Um consultor financeiro copiado em uma explosão de e-mail ou posts no Facebook fez contato. Ele chamou a si mesmo um republicano conservador, demonstrando que os direitos dos animais pode ser a questão mais bipartidária no mundo de hoje. Os amantes de animais raramente são motivados por razão ou lógica, eles se exaltam por um amor puro e louco. Eu não o pressionei sobre o cachorro de Mitt Romney, tínhamos um tofu maior para fritar. O assessor informou que duas empresas de capital privado (como Bain Capital) compraram a Petco em 2006, em um mercado forte, planejando agilizar a folha de pagamento, mostrar potencial (novas lojas), e em seguida, tornar a Petco pública com uma oferta inicial de ações públicas, com o objetivo de 2 bilhões de dólares. Ele aconselhou que as empresas de capital privado não interfiram na “gestão interna de bens” a menos que a oferta inicial de ações públicas seja ruim devido à más notícias na imprensa. Assim começou a campanha para incentivar o Texas Pacific Group e o Leonard Green & Partners para parar o tráfico de fauna marinha. As ofertas iniciais de ações públicas foram propostas. Grandes fundos institucionais compram uma oferta inicial de ação pública, a menos que ela esteja contaminada. A Petco está contaminada.

A PETA aderiu à campanha Petco com um alerta global para milhões de pessoas. A Sea Shepherd Conservation Society está a bordo. A vice presidente da Petco, Marci Whichard, reclamou que a Petco é pequena no grande esquema, que cada criatura marinha disponível criada em cativeiro não iria atender a demanda Petco, que a Petco deixando de vender a vida selvagem seria realmente “ferir a nossa causa”. O representante da PETA lembrou a senhora Whichard. “Ela chorou porque poderia perder seu emprego por isso?” Bem, sim, ela fez – como ela tinha feito sobre a venda de grandes aves selvagens na Petco. Continua…

A segunda parte deste artigo, Camada 3: o lado da demanda, os aquaristas domésticos, será publicada dia 8 de setembro de 2012.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list