campanha, Notícias

Dois barcos de pesca de arrasto ilegais são surpreendidos por ataque noturno em Benin


Os barcos de pesca ‘Tianyu 9’ e ‘Tianyu 10’, sendo escoltados pelo ‘Bob Barker’ para o porto após apreensão. Foto: Tara Lambourne/Sea Shepherd.

Ação conjunta da Sea Shepherd com a Marina de Benin apreendeu as embarcações ilegais após dias observando suas movimentações.

No início da manhã de 12 de dezembro, agentes armados da Marinha de Benin — a bordo de dois barcos infláveis de casco rígido pertencentes ao navio Bob Barker da Sea Shepherd — capturaram dois barcos industriais de pesca de arrasto enquanto estes cruzavam os mares de Benin, no oeste da África, com suas redes de pesca ainda na água.

Os marinheiros de Benin surpreenderam as duas embarcações, Tianyu 9 e Tianyu 10, quando subiram a bordo, tomando controle da ponte e confiscando ambos os barcos por pescarem sem licença em águas Beninenses.

Nas noites anteriores, a Marinha de Benin trabalhou com a tripulação da Sea Shepherd na ponte do Bob Barker, acompanhando o radar enquanto os dois barcos de pesca atuavam cada vez mais próximos à fronteira entre Benin e o vizinho Togo.

As redes de pesca do ‘Tianyu 9’ são inpecionadas. Foto: Tara Lambourne/Sea Shepherd.

“O elemento surpresa foi essencial para o sucesso da missão. Ao observar as duas embarcações por diversos dias, pudemos entender seu modus operandi e sabíamos que seria uma questão de tempo até eles tentarem a sorte e atuarem ilegalmente em nossos mares. Foi aí que disparamos nossa armadilha”, disse o capitão da marinha Maxime Ahoyo, o Comissário Marítimo de Benin que dirige as patrulhas conjuntas.

Uma vez a bordo, a equipe descobriu que ambas as embarcações possuíam numerações pintadas nos cascos que não batiam com os documentos levantados pelos investigadores. Os barcos utilizavam números ligados a registros antigos de Benin.

Os barcos de pesca ‘Tianyu 9’ e ‘Tianyu 10’, sendo escoltados por um dos botes do ‘Bob Barker’ para o porto após apreensão. Foto: Tara Lambourne/Sea Shepherd.

“Estes barcos de pesca de arrasto atuaram em águas beninenses no passado. Eles conheciam bem a área, portanto estavam cientes da fronteira. O que eles não esperavam era a Marinha de Benin e a tripulação do Bob Barker, discretamente monitorando cada movimento”, disse o Capitão Julian McGale do Bob Barker.

Seis semanas atrás, a Marinha de Benin apreendeu um barco de pesca de arrasto industrial no Porto de Cotonou depois de flagrá-lo pescando ilegalmente em área proibida, uma zona de exclusão de cinco milhas náuticas reservada para pescadores artesanais.

O Fada 18 foi pego pescando próximo à reserva ecológica Bouche du Roy. A reserva é composta de manguezais e lagoas essenciais aos viveiros de peixes e é parte da Reserva de Biosfera de Mono, listada na Unesco. É lar de quase duas milhões de pessoas em Benin e Togo e é especialmente rica em biodiversidade, pois é localizada em um corredor de vida selvagem frequentado por atuns e baleias-jubarte em migração.

“A parceria entre a Sea Shepherd, o Eco-Benin e o governo de Benin é uma oportunidade única de salvar nossa biodiversidade marinha, em especial a vida marinha presente na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN); de conservar a Reserva de Biosfera Mono; e de melhorar nossos destaques de ecoturismo de Benin”, disse Gautier Amoussou, Coordenador Nacional da Eco-Benin, uma ONG local de Benin.

Em 2019, o governo de Benin se juntou à Sea Shepherd para a Operação Guegou (“Grande Atum” em Wxla, a língua local) para lutar contra ações criminosas no Golfo de Guiné, com a tripulação da Sea Shepherd e membros da Eco-Benin apoiando os agentes oficiais a bordo do Bob Barker no combate à pesca ilegal, não-reportada e não-regulada.

A parceria da Sea Shepherd com Benin marcou a quarta participação de um governo do Golfo de Guiné em um esforço crescente para parar a pesca ilegal na região através de patrulhas conjuntas.

Desde 2016, a Sea Shepherd também tem trabalhado em parceria com os governos de Gabon, Liberia, São Tomé e Príncipe, Tanzânia, Namíbia e Gâmbia para combater pesca ilegal, fornecendo embarcações de patrulha civis para a costa africana e ilhas, afim de que as autoridades possam aplicar regulações e leis de conservação em suas águas soberanas. Até agora, estas parcerias resultaram na apreensão de 62 embarcações por pesca ilegal e outros crimes ambientais.

Saiba mais sobre as campanhas da Sea Shepherd contra a pesca ilegal: http://bit.ly/StopIUUFishingCampaign

Doe para ajudar nas limpezas, resgate de fauna e comunidades que necessitam de assistência.

Back to list