Notícias

Vitória para a Sea Shepherd no tribunal britânico

Sea Shepherd inspecionando redes no Mediterrâneo durante a Operação Fúria Azul. Foto: Barbara Veiga

A Sea Shepherd, a Sea Shepherd Reino Unido e Capitão Paul Watson ganharam a ação movida pela Fish and Fish, apresentada em resposta à liberação de 800 atuns azuis capturados ilegalmente em junho de 2010, ao largo da costa da Líbia.

O juiz Hamblin do Tribunal Marítimo anunciou sua decisão na manhã do dia 25 de junho, no tribunal de Londres. Sua decisão foi que o tribunal do Reino Unido não era o lugar adequado para arquivar o processo contra a Sea Shepherd e ordenou que o caso contra a Sea Shepherd Conservation Society, a Sea Shepherd do Reino Unido e o Capitão Paul Watson fosse recusado. A Fish and Fish entrou com recurso. O juiz recusou o recurso. A Fish and Fish ainda pode recorrer da decisão para um tribunal superior.

Na pendência de um eventual recurso, a Sea Shepherd terá a fiança de 520.000 libras (cerca de 780.000 dólares acrescido de juros) reembolsada. O juiz determinou que a Fish and Fish deve pagar um percentual de honorários advocatícios da Sea Shepherd no caso, que poderá chegar a mais de 200.000 libras adicionais.

Este caso resultou na detenção do Steve Irwin na Escócia, em julho de 2011, que foi liberado somente após a fiança ser paga. Os fundos para o pagamento da fiança foi conseguido em apenas 10 dias, através dos apoiadores da Sea Shepherd em todo o mundo.

“O que fizemos em 2010 não temos desculpas para pedir”, disse o Capitão Paul Watson. “Nós libertamos 800 atuns azuis em grande perigo, capturados ilegalmente por caçadores furtivos ao largo da costa da Líbia. Nós cortamos as redes e, quando a empresa maltesa, que reivindicou a posse destes peixes liberados, nos processou, nós lutamos na justiça e vencemos, os atuns venceram, e os caçadores perderam. Nossos advogados britânicos fizeram um excelente trabalho. Estou confiante de que quando o recurso for concedido, vamos ver o tribunal recursal sustentando esta mesma posição. E o mais importante, os peixes foram liberados e a empresa não conseguiu recuperar suas perdas com as capturas ilegais”.

A Sea Shepherd Conservation Society continuará a se opor agressivamente contra a exploração ilegal de atum azul no Mediterrâneo. A Sea Shepherd está buscando uma embarcação dedicada à proteção e conservação da biodiversidade no Mar Mediterrâneo.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list