Notícias

Instituto Sea Shepherd Brasil contesta laudo apresentado pela Transpetro

Grande quantidade de óleo na orla de Tramandaí (RS)

O Instituto Sea Shepherd Brasil discorda integralmente do laudo apresentado pela empresa Transpetro, responsável pelo maior acidente ambiental do Litoral Norte gaúcho. As dimensões apresentadas pela empresa são ridículas. Não condizem com as provas apresentadas pelo Instituto Sea Shepherd Brasil, como diversas fotos e depoimentos, no Ministério Público Federal.

Segundo Wendell Estol, Diretor Geral do Instituto Sea Shepherd Brasil, “diversas fontes, oficiais e não oficiais, afirmam que o petróleo atingiu 3,5 quilômetros de praia, formando uma faixa de cerca de 10 metros de largura entre os municípios de Tramandaí e Imbé. Tendo como área total de praia com petróleo depositado cerca 35 mil metros quadrados, se dividirmos os 1,2 mil litros de petróleo pela área de praia afetada, teremos apenas 34 mililitros de petróleo por metro quadrado, o que representaria uma xícara pequena de café. É importante ressaltar que neste cálculo não está sendo levado em consideração o petróleo que não chegou à praia”, destaca.

Equipe do ISSB no local do desastre

Os apontamentos feitos pela Sea Shepherd serão utilizados para embasar a atuação do Ministério Público Federal no caso, que pretende entrar com uma ação civil pública contra a Petrobrás pedindo uma indenização pelos danos causados ao meio ambiente com o vazamento.

Equipe do ISSB no local do desastre

Além do laudo da ONG, um estudo técnico próprio e outro do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) deverão complementar a ação. O Ibama, inclusive, já multou a Petrobrás em uma quantia que chega a R$ 1,7 milhão. Um inquérito criminal também está em andamento.

Óleo na orla

Back to list