Editorial

Vergonha incrível

Como o Japão está usando os fundos do tsunami e do terremoto para subsidiar a caça ilegal de baleias

Comentário pelo Capitão Paul Watson

Depois da tragédia horrível de 11 de março, centenas de milhares de japoneses tiveram suas vidas alteradas permanentemente pelo golpe triplo causado pelo terremoto, pelo tsunami, e pelo horror nuclear de Fukushima.

Pessoas de todo o mundo responderam com generosidade e doaram milhões de dólares para o Japão, para ajudar as muitas famílias que perderam seus filhos, pais, casas e posses mundanas.

O mundo reagiu e demonstrou que eles se preocupavam; sete meses depois, milhares de famílias japonesas continuam sem moradia e uma infra-estrutura devastada continua a ser lentamente reconstruída.

Quando as pessoas de todo o mundo enviaram suas doações para o Japão, foi com a crença inocente de que suas contribuições seriam usadas ​​pelo governo japonês com a finalidade de realmente ajudar as vítimas japonesas dos desastres.

O que eles não preveram ou imaginaram é que alguns desses fundos seriam usados ​​para subsidiar a matança ilegal de baleias no Santuário de Baleias do Oceano Antártico. E isso é o que a Agência de Pesca japonesa tem feito com uma grande quantidade de fundos de ajuda. É uma vergonha completa, e o governo japonês está exibindo desprezo flagrante em resposta a generosidade do mundo com esse comportamento vergonhoso.

Em 21 de outubro de 2011, o gabinete japonês concordou em reservar 2,28 bilhões de yen (mais de 29 milhões de dólares) em receitas fiscais para ajudar aqueles em regiões mais afectadas. Desde então, foi descoberto que a Agência de Pesca japonesa apresentou um pedido intitulado “medidas para estabilizar o programa de pesquisa científica baleeira”, e que realmente recebeu esse valor total para a segurança na defesa da chamada frota baleeira japonesa “científica” no Oceano Antártico.

A justificativa é que alguns dos baleeiros que trabalham em navios da frota baleeira na Antártica eram de comunidades atingidas pelo terremoto e tsunami.

Este pedido vem num momento em que o programa de caça às baleias no Japão está sofrendo com dívidas de mais de 60 milhões de dólares. O que isso realmente significa é que as doações de todo o mundo enviadas por pessoas generosas e bem intencionadas, para ajudar as vítimas do terremoto, será agora usado para tentar deter a Sea Shepherd Conservation Society na defesa das baleias no Oceano Antártico.

O Japão tem atualmente alocado cerca de 30 milhões de dólares especificamente para se opor aos esforços da Sea Shepherd na defesa das baleias do Santuário de Baleias da Antártica.

É ridículo que esta superpotência econômica esteja tratando a Sea Shepherd como uma rica nação real que eles estão em guerra. O primeiro-ministro japonês declarou que o Japão realmente não vai se render à Sea Shepherd.

Parece que esta será uma campanha muito diferente e mais desafiadora nesta temporada.

Apesar desta caixa de guerra incrível de fundos de ajuda recanalizada, a tripulação internacional de voluntários em nossos três navios da Sea Shepherd continuará a defender as baleias contra todas as adversidades.

O Japão tem o poder político, dezenas de milhões de dólares, navios mais rápidos e maiores, e quatro baleeiros para cada defensor das baleias, mas temos algo que eles não têm – uma equipe apaixonada e corajosa de voluntários internacionais, dispostos a arriscar nossas vidas para defender o Santuário de Baleias do Oceano Antártico.

Operação Vento Divino, nossa oitava campanha para defender as baleias no Santuário de Baleias do Oceano Antártico, começará no início de dezembro.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil.

Back to list