Editorial

A festa está ficando batida no Panamá

Comentário pelo Capitão Paul Watson

Eu tenho uma desculpa para não participar da atual reunião da Comissão Internacional da Baleia. A Alemanha não está me permitindo deixar seu maravilhoso país porque a Costa Rica quer eu seja extraditado pelo meu “crime” horrendo de salvar os tubarões uma década atrás.

Creio que não perderei muito, a não ser a satisfação de aterrorizar os representantes do Japão que tendem a ficar assustadoramente pálidos quando me vêem no meio deste conflito anual entre os defensores e os assassinos de baleias.

Já me cansei desta charada anual, agora realizada no Panamá. Mais uma vez as impotentes, gananciosas e implacáveis forças do antropocentrismo e do imperialismo antrocultural se reúnem para o julgamento das mentes maravilhosas em nossos oceanos.

Mais uma vez as baleias são agredidas e insultadas por esses desprezíveis primatas em seus ternos idiotas, que se esforçam para, arrogantemente, deixar os restos para os mares.

A Comissão Internacional da Baleia é uma farsa completa e absoluta, uma piada e uma vergonha para a humanidade.

A reunião foi aberta com visuais deslumbrantes de baleias jubartes, enquanto todos sorriam e aplaudiam, exceto os japoneses que pareciam não enxergar a beleza nas baleias, a não ser se tivessem sido abatidas e servidas em um prato de arroz com uma garrafa de saquê.

O Japão e seus fantoches “comprou-pagou-levou” são tão hostis às populações de baleias do mundo que eles impediram a criação do Santuário de Baleias do Atlântico Sul em uma área onde ninguém mata baleias.

Por quê?

Porque o Japão, a mesma nação que vomita lixos radioativos e detritos tóxicos nos mares, não irá ceder uma polegada para os conservacionistas. Isto é uma guerra, sob o olhar desta nação saqueadora do oceano, e eles verão os mares destruídos antes de renderem seu poder sobre os recursos do fundo do mar.

O Japão se vê alegremente arpoando baleias no Oceano Antártico no futuro, assim como eles encaram a possibilidade de irrestritas operações baleeiras no norte do Pacífico e Antártico.

E as viciosas nações vikings da Noruega, Islândia e Dinamarca, transgressoras da lei, continuam cuspindo na face dos regulamentos da Comissão Internacional da Baleia, sabendo muito bem que a Comissão Internacional da Baleia é um órgão desdentado, inútil e estúpido, compostos por indecisos, burocratas mesquinhos e políticos com interesses próprios.

E quando se trata da chamada caça às baleias aborígenes, os representantes se prostam ao chão e lambem os pés de qualquer um que afirma superioridade cultural sobre as baleias.

Isto ainda inclui até mesmo as ridículas demandas pseudo-aborígenes por St. Vincent e Grenadines para matar baleias jubarte que ainda amamentam e suas crias. Esta farsa aborígene retrocede ao ano de 1875, quando um grupo de não nativos decidiu entrar no negócio de caça às baleias. Estes não são índios caribenhos (sim, os verdadeiros aborígenes estão extintos). Estes caçadores de baleias estão de volta, e justificam sua crueldade debaixo da bandeira da escravidão antiquada, sendo que nenhum deles sofreu alguma coisa.

A Groelândia precisa alimentar mais turistas com carne de baleia em seu programa, para fazer cada visitante um legítimo Inuíta, dando assim a absolvição aos europeus e americanos que querem saborear a carne proibida. Os japoneses chamam isso de cultura alimentar. Eu chamo de culinária pornográfica.

Há apenas uma maneira de salvar as baleias do desejo incansável do Japão para perseguir e matar esses gigantes gentis.

Precisamos ir para onde eles vão com os nossos navios, e nós precisamos bloqueá-los, e precisamos continuar a bloqueá-los.

A Sea Shepherd conseguiu diminuir seus assassinatos em 26% nesta temporada. Na temporada passada, conseguimos diminuir 17%. Isto pode ser feito. E isto pode ser feito sem causar danos para os baleeiros, e pode ser feito dentro dos limites da lei internacional.

Nós temos demonstrado que isso pode ser feito.

E ainda assim, os navios do Greenpeace se mantém afastados das frotas beleeiras e promovem a tolice de fazer origamis de baleias, assinaturas de petições, pendurando faixas, fazendo carinhas de beijinhos para os baleeiros japoneses enquanto a matança continua, como tem sido por décadas sem nenhum resultado, com exceção das vidas que nós salvamos através das campanhas de ação direta.

A administração de Obama faz com que a administração de George Bush se pareça com um monte de defensores de baleias. “W” pode ter feito muitas coisas que muitas pessoas não gostaram (como ter começado algumas guerras) mas ele nunca vendeu as baleias, e ele criou o maior santuário marinho do mundo. Barack nada deu às baleias, a não ser promessas.

Em um esforço para garantir que os Inuítas Americanos continuem a assassinar as baleias da Groelândia, a administração de Obama está pronta para comprometer-se com as nações baleeiras a deixá-los matar mais baleias. Nenhum presidente desde Ronald Reagan traiu as baleias mais do que este.

O governo trabalhista australiano recuou suas promessas eleitorais para aguardar uma decisão do Tribunal Mundial em sua reclamação sobre a caça às baleias pelos japones.Podemos ter certeza de que, independentemente do julgamento, não fará diferença, o Japão irá simplesmente ignorar e fazer o que desejar fazer, o que geralmente envolve matar algo que a maioria das pessoas no mundo preferem ver mantida viva.

Os japoneses irão mais uma vez gastar o tempo de todos com sua segurança e divagações marítimas, e provavelmente ganhará outro voto de condenação da Sea Shepherd Conservation Society por ter permitido que um dos nossos barcos fosse cortados ao meio, e por ter nos exposto a suas granadas, LRADs (dispositivo acústico de longo alcance), lanças, projéteis e balas.

Não que isso importe, todos ignoram as decisões e as proclamações da Comissão Internacional da Baleia, especialmente os japoneses e seus camaradas vikings.

O que nós precisamos é de um real corpo internacional para representar os interesses das baleias e golfinhos, representar as nações de cetáceos e parar as matanças consecutivas e o tráfico de animais escravos.

Estes são altamente inteligentes, socialmente complexos, auto-conscientes,sensíveis, seres sencientes e a continuação dos assassinatos e captura de reféns de cetáceos e sua subjugação em objetos forçados de entretenimento para os seres humanos é uma acusação vergonhosa para a humanidade.

Assim como a cúpula do Rio há algumas semanas atrás, esta reunião da Comissão Internacional da Baleia não vai conseguir nada. Mais uma vez, é simplesmente um desperdício de tempo.

Para aqueles que estão realmente interessados em defender as baleias eu os estimulo a apoiar os nossos navios e nossa tripulação corajosa de voluntários apaixonados. Ajude-nos a bloquear os assassinos que matam, nas águas remotas do Santuário de Baleias do Oceano Antártico, nas praias das ilhas Faroé, no Atlântico Norte e todos os outros lugares onde o sangue quente das baleias e os golfinhos flui livremente para o mar por causa da natureza assassina de nossos semelhantes.

Mais uma vez nossos navios retornarão ao Oceano Antártico em dezembro, e mais uma vez vamos falar a única língua que os baleeiros entendem – o dinheiro.

Mais uma vez vamos negar os seus lucros de sangue enquanto os direcionamos cada vez mais em débito.

Temos a intenção de afundar economicamente os baleeiros japoneses e temos a intenção de salvar as vidas de tantas baleias como pudermos.

Voluntários da Sea Shepherd não fazem reuniões muito bem. Nós tendemos a ficar na cara dos baleeiros com ação e não com palavras.

Operação Tolerância Zero, em breve a um Santuário de Baleias não perto de você. “Salve as Baleias” não é um slogan para nós, é uma promessa e um compromisso.

Traduzido por Dani Vasques, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list