Sea Shepherd Brasil na Raia Sul Guarderia Praia Grande – SP

No dia 29 de abril de 2017, a Raia Sul Guarderia tornou-se uma embaixada Sea Shepherd Brasil para servir de apoio às atividades em Praia Grande, na Baixada Santista. O encontro marcou o dia com palestra, limpeza de micro lixo na praia e arte.

Painel Erick Wilson na Guarderia Raia Sul

Na foto acima, a arte em painel pintado pelo Artista Plástico e Embaixador do Mar Erick Wilson, em homenagem a vida marinha e à Raia Sul.

Erick Wilson comenta:
“Mais uma semana incrível… pintando a nova embaixada da Sea Shepherd na guarderia Raia Sul em Praia Grande onde fiz uma grande amizade com Eduardo e sua esposa Lis, logo depois participei de um mutirão de limpeza na praia junto com meu filho de 3 anos que já sabe desde cedo a manter a praia limpa. Já participei de vários mutirões como esse, mas junto com meu filho foi a primeira vez e sem dúvida o mais especial. Estamos fazendo nossa parte”

Na foto Erick e família, todos participando da limpeza da praia.

As atividades da nova embaixada visam a conscientização ambiental em defesa da vida marinha, palestras sobre a ONG, além de servir como um espaço para encontro de voluntários e simpatizantes para novas filiações.

O encontro reuniu voluntários, simpatizantes e amigos em defesa da vida marinha

Apoiadores presentearam o evento com uma mesa de frutas para recepcionar os convidados.

Os proprietários Eduardo Dias e Lizz Dias iniciaram o projeto Raia Sul Guarderia com um dos principais objetivos que é trazer para a população e amantes da natureza “atividades aquáticas, que são tão saudáveis ao corpo e mente”.

Apoiadores presentearam o evento com uma mesa de frutas para recepcionar os convidados

No início da manhã as atividades iniciaram-se com uma apresentação sobre a Sea Shepherd, “Um Movimento Global”, do movimento em defesa da vida marinha no mundo e no Brasil, expondo fotos e vídeos de algumas das principais campanhas mundiais ao exemplo contra a matança e captura de golfinhos em Taiji no Japão, caça de baleias piloto nas Ilhas Faroé na Dinamarca, caça às baleias na Antártica, detritos marinho nas praias e Campanha Icefish que retirou redes ilegais no mar.

Na foto os proprietários da Raia Sul, Lizz e Eduardo Dias e Mara Lott Sea Shepherd Brasil (ao centro).

 

Apresentação Sea Shepherd com a voluntária Mara Lott

No dia não ouve a remada ecológica “Clean Up” porque o mar não apresentou condições de segurança, sendo assim, todo o grupo fez a limpeza do micro lixo na areia da praia a procura de tampinhas de garrafas, canudos, pontas de cigarro e embalagens de alimentos.

 

Tampinhas de garrafa, canudos, brinquedos retirados da orla da praia

 

Acima voluntários e membros da Sea Shepherd na ação de limpeza da praia.

Num curto espaço de tempo numa faixa de areia de 1,5 quilômetros foi retirado cerca de 200 quilos de micro lixo, além de conscientização ambiental às pessoas sobre o ato.

Em poucos minutos 200 quilos de lixo foram retirados e separados na orla da praia.

Para o Sea Shepherd Brasil ações como esta também visam conscientizar o problema do lixo que produzimos todos os dias e acredita que as pessoas podem ajudar na mudança de comportamento em defesa da vida marinha.

Junte-se a nós em defesa da vida marinha

Saiba mais em www.seashepherd.org.br e filie-se em www.seashop.org.br

Gigantes do Mar, 80 murais pelo mundo por Erick Wilson

O Projeto Gigantes do Mar e o Projeto Megafauna Marinha do Brasil entregaram no dia 19 de janeiro de 2017, na Vila Tupy, Praia Grande em São Paulo, os murais de números 10 e 11, feitos pelo artista plástico e Embaixador do Mar da Sea Shepherd Brasil Erick Wilson.

 

Banner convite do evento

O artista Erick Wilson busca conscientizar as pessoas sobre a importância da vida dos animais marinhos, os oceanos, a natureza e o meio ambiente por meio de suas pinturas. Ele é conhecido pela arte de pintar grandes murais e fazer desenhos muito realistas que retratam, com riqueza de detalhes, a beleza dos oceanos.

Apoiador do Sea Shepherd, Erick contou com a presença dos voluntários no evento de entrega de suas obras de arte em comemoração aos 50 anos de Praia Grande/SP, cidade onde passou sua infância. O Projeto Gigantes do Mar tem como objetivo entregar 80 murais pelo mundo que retratem a vida marinha.

Equipes em interação antes do início dos trabalhos, mural e tenda ao fundo – foto Mega Fauna Marinha

Mural de entrega #10 Erick Wilson e Carlos Pedrosa

 

Os voluntários da Sea Shepherd Brasil montaram uma tenda na arena do evento e fizeram um grande trabalho de conscientização com as pessoas que passavam por lá, abordando assuntos relacionados à preservação dos oceanos, lixo plástico e o micro lixo deixado nas praias pelos banhistas.

 

Voluntários e população interessada em saber sobre a atuação da Sea Shepherd e a campanha de conscientização sobre o lixo plástico e micro lixo.

Representação de uma rede com lixo encontrados nos mangues de Praia Grande por voluntários do Ecofaxina.

 

A Sea Shepherd mais uma vez se fez presente num evento de conscientização ambiental na praia. Na ocasião instruiu as pessoas que passavam pelo local sobre os impactos dos lixos deixados no meio ambiente e participou da ação de limpeza na praia com demais entidades.

O trabalho de coletar o micro lixo na praia fez com que vários voluntários se mobilizem para o desafio de limpeza do dia

Na tenda da Sea Shepherd os voluntários puderam trabalhar a conscientização ambiental com os visitantes.

 

Esclareceu, portanto, que não apenas alerta a respeito de limpeza e conservação do meio ambiente, mas também FAZ acontecer com SUAS atitudes.Na ação promovida pela Sea Shepherd foi divulgada a atividade do dia sobre o micro lixo no Desafio dos 10 Metros, que tem o intuito de promover a mobilização das pessoas para que limpem a praia ao seu redor.
A campanha ensina que cada pessoa que estiver na praia deve recolher todo lixo e micro lixo encontrado na areia e na água a sua volta.
Assim, com essa pequena atitude, ela irá gerar um impacto positivo na natureza e na vida marinha, uma vez que os lixos podem ser ingeridos pelos animais que os confundem com comida.

Banner da campanha sobre o Micro Lixo e Desafio dos 10 metros

A participação da Sea Shepherd no evento abriu com chave de ouro os trabalhos de ações diretas do ano de 2017 e contamos com voluntários, simpatizantes e defensores dos oceanos para fazer ainda mais pelos ecossistemas marinhos.

O mural com a raia manta é a imagem real do animal fotografado na natureza pelo Projeto Megafauna Marinha do Brasil.

Campanha Dirty Sea e Atividade Educativa em Ilhabela

04 a 09 de Junho 2016 – Ilhabela/SP.

Na Semana do Meio Ambiente 2016 o Instituto Sea Shepherd Brasil e a Embaixada Mar e Vida Ecotrip realizaram atividades educativas na praia e no Colégio São João Ilhabela. A praia do Curral foi escolhida para a Campanha Dirty Sea Project, limpeza do micro lixo na praia e retirada de lixo no mar. No mar os mergulhadores retiraram petrechos de pesca e lixos diversos do fundo marinho na Laje de Santa Cruz. Os dias seguiram com muitas atividades e ocorrência de avistamento de baleias Jubarte no canal de São Sebastião.  Trazidos pelo mar, também houve registro do recolhimento de animais marinhos raros na região.

Ainda houve palestras, oficina e participação dos alunos do ensino fundamental e médio do Colégio São João Ilhabela, escola da iniciativa privada de Ilhabela que tem a filosofia essencialmente humanista, dedicando-se ao trabalho em constante avaliação e reflexão. Acredita que a educação “deve cumprir sua intenção de ser responsável pela socialização dos conhecimentos, apropriação da cultura e formação de cidadão consciente”.

Esta semana do meio ambiente serviu como reflexão dos nossos atos em relação à vida nos Oceanos. O quanto consumimos das riquezas tão escassas e qual o nosso papel na reservação das espécies. O que estamos fazendo com nossos Oceanos? Nossos mares estão sofrendo com o lixo e plástico, com a pesca predatória, matança indiscriminada e tantos outros crimes cometidos pela espécie humana.

Mesmo assim, um grupo de voluntários disponibilizaram tempo e atitude para conscientizar as pessoas da importância da preservação da vida marinha.

índice

Praia do Curral – Ilhabela. Apoio montado para a ação de limpeza do mar e praia.

Orientações antes do mergulho subaquático de limpeza

Orientações antes do mergulho subaquático de limpeza

Saída de mergulho no bote para limpeza sub na Laje Santa Cruz

Saída de mergulho no bote para limpeza sub na Laje Santa Cruz

Nos dias 04 e 05, sábado e domingo, partindo da base operacional da Embaixada Mar e Vida começou a limpeza do fundo mar, na Laje de Santa Cruz, entre a Praia do Curral e Veloso. Em terra, foi feita a limpeza do micro lixo ao longo da Praia do Curral.

A Campanha Dirty Project da Sea Shepherd Brasil em Ilhabela participou das atividades no município para a conscientização na semana em que se fala muito em preservação do meio ambiente. Muito dos nossos detritos (88% da superfície dos oceanos contém plástico) são os micros lixos despejados todos os dias em nossos oceanos. Neles contém tampinha de garrafa, embalagens plásticas de alimentos, sacos plásticos de supermercado, canudos, micro bolinhas de isopor, pedacinhos de fios coloridos, pedacinhos de plástico rígido, lata de alumínio, garrafa pet, cordas e muito mais.

Fitas plásticas retiradas de uma Tartaruga Cabeçuda, viva e salva, no dia 04/06/16 Praia do Curral.

Fitas plásticas retiradas de uma Tartaruga Cabeçuda, viva e salva, no dia 04/06/16 Praia do Curral.

Micro Lixo na Praia do Curral

Micro Lixo na Praia do Curral

Micro Lixo na Praia do Curral

Micro Lixo na Praia do Curral

Zoom do micro lixo na Praia do Curral – destaque bolinhas brancas de isopor por toda a orla da praia.

Zoom do micro lixo na Praia do Curral – destaque bolinhas brancas de isopor por toda a orla da praia.

Muito deste lixo são consumidos por animais que os confundem com alimento. Não é difícil encontrar o micro lixo alojado em estômagos de aves e mamíferos marinhos.

Vários outros fatores são atribuídos à mortandade precoce dos animais. Como foi o caso desta Toninha da espécie Ehpontoporia blainvillei e Albatroz (sem identificação) que foram encontrados mortos na praia que após coletas de informações foram recolhidos pelos monitores do Instituto Argonauta de Ubatuba.

Toninha abortada (Ehpontoporia blainvillei) ainda com o cordão umbilical

Toninha abortada (Ehpontoporia blainvillei) ainda com o cordão umbilical

Coleta de informação pelos Monitores Ambientais residentes.

Coleta de informação pelos Monitores Ambientais residentes.

Albatroz jovem sem identificação da cabeça

Albatroz jovem sem identificação da cabeça

Monitores de Praia para Resgate e Registro dos animais

Monitores de Praia para Resgate e Registro dos animais

Foto 12: Agentes Ambientais trabalhando na identificação e recolhimento do animal.

Agentes Ambientais trabalhando na identificação e recolhimento do animal.

Diante de tantos eventos ainda foi possível presenciar e registrar a pesca ilegal praticada na Praia do Curral. Pela manhã nos deparamos com uma rede espera de pesca muito próxima a arrebentação. No momento da foto, os pescadores estavam recolhendo a rede que ficou em espera na noite anterior, da qual foi retirado uma espécie de tubarão ou cação que não foi possível identificar em foto. O animal foi retirado rapidamente pelos pescadores da embarcação e recolhido ainda mais rápido para o interior da propriedade do pescador ali mesmo na praia.

Pescador local da Praia do Curral puxando a rede deixada na noite anterior. O local encontra-se muito próximo à arrebentação.

Pescador local da Praia do Curral puxando a rede deixada na noite anterior. O local encontra-se muito próximo à arrebentação.

 

Nestes dias atípicos de animais encalhados e mortos nas praias de Ilhabela (devido às tempestades em alto mar ou morte através da pesca incidental) muito outros animais tiveram outra história para contar. Estes foram salvos do lixo despejado por nós, no leito marinho. Foram salvos: esponjas do mar, pepino do mar, estrela, ofiúros, caranguejos, cracas, ouriço do mar, poliquetas entre outros.

Corda de seda com caranguejo preso entre as cerdas

Corda de seda com caranguejo preso entre as cerdas

foto 15: Caranguejo salvo das cerdas da corda.

Caranguejo salvo das cerdas da corda.

pedaço de madeira com cracas e ouriço do mar devolvidos ao mar

pedaço de madeira com cracas e ouriço do mar devolvidos ao mar

Separação dos animais do lixo na peneira

Separação dos animais do lixo na peneira

Animais separados nos recipientes de água salgada

Animais separados nos recipientes de água salgada

Voluntários da atividade de limpeza de mar e praia.

Voluntários da atividade de limpeza de mar e praia.

Nos dias 07 e 09, terça e quinta-feira, em conjunto com o Colégio São João Ilhabela, Embaixada Mar e Vida e Instituto Pró Marinho, desenvolveram atividades para alunos do ensino fundamental e médio.

Santuário Marinho Municipal- imagem da internet Ilha das Cabras, Praia das Pedras Miúdas ao Portinho

Santuário Marinho Municipal- imagem da internet
Ilha das Cabras, Praia das Pedras Miúdas ao Portinho

O Instituto Sea Shepherd Brasil apresentou-se na sala de projeções falando da importância da preservação dos oceanos, enquanto simultaneamente ocorria palestra na sala de informática tendo como principal tema, o Santuário Marinho de Ilhabela, e em outro espaço aberto à dinâmica “A Teia da Vida”. O objetivo das atividades foi transmitir aos alunos a missão da Organização, a importância do trabalho voluntário e o dever de todos na proteção do Santuário Marinho de Ilhabela.

Sala de projeção Sea Shepherd Brasil – Em defesa dos oceanos

Sala de projeção Sea Shepherd Brasil – Em defesa dos oceanos

As atividades surtiram entusiasmo nos estudantes, os quais participaram com perguntas, interação e conscientização.

Dinâmica “A Teia da Vida”

Dinâmica “A Teia da Vida”

Palestra Projeto Parque Municipal Tartarugas de Ilhabela

Palestra Projeto Parque Municipal Tartarugas de Ilhabela

Dinâmica “A Teia da Vida”

Dinâmica “A Teia da Vida”

Foram abordados os impactos que os seres humanos causam nos oceanos, o consumo de animais ameaçados de extinção como também o lixo que produzimos.

Voluntárias na divisão das atividades com os grupos de alunos na Quadra Poliesportiva do Colégio

Voluntárias na divisão das atividades com os grupos de alunos na Quadra Poliesportiva do Colégio

Voluntários na base de praia do Curral - Embaixada Mar e Vida Ecotrip

Voluntários na base de praia do Curral – Embaixada Mar e Vida Ecotrip

“A diversidade nos nossos oceanos estão diminuindo mais e mais a cada dia e quando a diversidade colapsar, a interdependência entre as espécies também entrará em colapso e o resultado será um oceano morto.

E um oceano morto significa a morte para todas as criaturas, grandes e pequenas, porque se o oceano morrer, todos nós morreremos. O oceano é o coração do planeta e sustenta toda a vida, na terra e no mar.

Estamos impiedosamente pescando acima dos limites e muito do que está sendo feito, é de forma ilegal. Praticamente todas as operações comerciais de pesca no mundo estão em estado de colapso. Estamos poluindo os oceanos com plástico, petroquímicos, escoamento agrícola e esgoto. Estamos forçando a acidificação, a poluição sonora e a destruição dos habitats costeiros por causa do desenvolvimento.” Capitão Paul Watson – Fundador Sea Shepherd Conservation Society.

Sea Shepherd Brasil – Núcleo SP faz apresentação em defesa dos tubarões na Faculdade FMU – Faculdade Metropolitanas Unidas

FMU Unidade Ponte Estaiada- imagem internet

FMU Unidade Ponte Estaiada- imagem internet

Em apresentação no último dia 11/04 na Faculdade FMU em São Paulo na Unidade Estaiada, o Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo SP teve a oportunidade de apresentar aos alunos de medicina veterinária a missão da Sea Shepherd, com toda a sua história, legado, trajetória até os dias atuais como também as campanhas no Brasil e no mundo.

A palestra apresentou vídeos com o Capitão Paul Watson que contou a fundação da ONG e seu objetivo. Destacou-se os trabalhos realizados no Brasil, os trabalhos realizados no mundo e finalmente a conservação e preservação dos tubarões da Campanha Mar de Sangue. Entre outras ações apresentadas aos alunos, a Campanha Mar de Sangue criou um abaixo assinado que pede a moratória – paralisação total – da pesca de tubarões pelo período de 20 (vinte) anos em toda a costa brasileira. O pedido foi baseado na ineficiência dos órgãos públicos de fiscalização em conter a prática do “finning”.

 

Turma de medicina veterinária FMU

Turma de medicina veterinária FMU

Foto 3

Voluntária Dayuri Priolean em apresentação da Ong

Assine a petição online em www.seashepherd.org.br

O Finning é uma prática cruel, que está dizimando os tubarões por todo o mundo. Nela, o animal é capturado e suas nadadeiras/barbatanas são cortadas. O tubarão é jogado de volta ao mar, sangrando e incapacitado de nadar, tendo uma morte agonizante. O apoio à moratória é necessário para toda a pesca de tubarões, seja industrial ou artesanal.

Cerca de 100 milhões de tubarões são mortos a cada ano para abastecer o comércio mundial de nadadeiras/barbatanas pela prática do “finning”, segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO). Assine a petição online!

Voluntário Raphael Camargo em apresentação

Voluntário Raphael Camargo em apresentação

 

foto 7

Apresentação em áudio visual da Organização

 Turma de Medicina veterinária FMU

Turma de Medicina veterinária FMU

Ao final, todos os presentes entenderam a importância da Organização e da Campanha Mar de Sangue em defesa dos tubarões. Contribuíram de forma significativa, fazendo perguntas na apresentação, em assinar a petição online, como também encorajaram-se em se tornarem voluntários em defesa da vida marinha.

Assine a petição online em www. seashepherd.org.br

A vida marinha agradece!

Tubarões em Risco de Extinção – Campanha pela moratória da pesca de tubarões na costa brasileira

No último dia 26 de março, o Instituto Sea Shepherd Brasil – Núcleo SP fez atividade em defesa dos tubarões em Ilhabela/SP. A atividade chamou a atenção para a ameaça de extinção dos tubarões e divulga a Campanha Mar de Sangue.

No topo da cadeia alimentar os tubarões são animais da época dos dinossauros sendo responsáveis pelo equilíbrio dos oceanos.  Estes seres altamente evoluídos em seu habitat natural estão na terra há mais de 400 milhões de anos, mas hoje se encontram ameaçados de extinção. Mais de 100 milhões de tubarões são mortos todos os anos para abastecer o mercado mundial e são caçados principalmente pela a prática do “finning”.

 O “finning” é uma pesca cruel que consiste na retirada das nadadeiras dos tubarões que depois são jogados de volta ao mar, mutilados e ainda vivos, para uma morte vagarosa no fundo do oceano.

Nadadeiras de tubarões da prática do “finning”

A pesca para retirada das nadadeiras de tubarão é uma ação predatória e insustentável, que ameaça seriamente as populações de tubarões. Esta crueldade já dizimou um número inacreditável de animais:  mais de 90% da população de grandes tubarões do mundo foi exterminada. Esta brutalidade é mais rápida que a sua capacidade de reprodução pois sua maturidade lenta não admite a caça.  Em nosso litoral, 67% das espécies de tubarões já se encontram com alguma ameaça de extinção. Segundo as pesquisas, nos últimos 20 anos, as populações de tubarões declinaram em até 90% e dezenas de outras espécies estarão extintas nas próximas décadas.

Representação da morte dos tubarões em um caixão com nadadeiras.

Representação da morte dos tubarões em um caixão com nadadeiras.

PRECISAMOS DE SUA AJUDA PARA SALVAR OS TUBARÕES E PROTEGER O ECOSSISTEMA MARINHO. Extinção é para sempre!

Mosaico de fotos. Voluntários em atividade em Ilhabela/SP na Campanha Mar de Sangue em defesa dos tubarões

Mosaico de fotos. Voluntários em atividade em Ilhabela/SP na Campanha Mar de Sangue em defesa dos tubarões

O INSTITUTO SEA SHEPHERD BRASIL  lançou um pedido de moratória – paralisação total – da pesca de tubarões pelo período de 20 (vinte) anos em toda a costa brasileira.

O pedido foi realizado no Senado Federal em uma audiência pública (https://www.youtube.com/watch?v=kgWGJlodtXw)  baseado em que: tendo em vista a ineficiência dos órgãos públicos fiscalizadores em conter este crime ambiental e o crescente número de nadadeiras apreendidas a cada ano no País, se faz necessária a moratória de toda a pesca de tubarões, na costa brasileira,  pelo prazo de 20 (vinte) anos, seja ela industrial ou artesanal.

 

ASSINE A PETIÇÃO PÚBLICA ONLINE PELA MORATÓRIA DA PESCA DE TUBARÕES NA COSTA BRASILEIRA EM WWW.SEASHEPHERD.ORG.BR

Campanha Mar de Sangue – em defesa dos tubarões – Núcleo SP

Campanha Mar de Sangue – em defesa dos tubarões – Núcleo SP

A vida marinha agradece.