Notícias

Sea Shepherd Brasil lança campanha em defesa dos tubarões

O braço brasileiro da ONG internacional de defesa dos mares, a Sea Shepherd, lança nesta quarta-feira, dia 1º de abril, uma campanha que visa a proteção dos tubarões no país. Denominada ‘Campanha em Defesa dos Tubarões’, tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância e fragilidade desses animais, além de punir empresas que têm causado danos irreversíveis a populações de tubarões no Brasil. Anualmente, mais de 100 milhões de tubarões são mortos, o que já dizimou 90% da população mundial desses peixes. No Brasil, cerca de 43% das espécies de tubarão estão ameaçadas de extinção. No ritmo atual, muitas espécies estarão extintas em menos de dez anos.

A campanha é uma extensão dos esforços internacionais da Sea Shepherd de proteger tubarões e combate a prática do finning. “O finning está dizimando tubarões por todo mundo. Nela, o animal é capturado e suas barbatanas são cortadas. O tubarão é jogado de volta ao mar, sangrando e incapacitado de nadar, e tem uma morte agonizante”, explica Daniel Vairo, diretor geral voluntário da ONG. O Brasil tem sido um grande fornecedor de barbatanas de tubarão para o crescente mercado asiático, que tem o costume de preparar uma sopa como prova de status social.

O engajamento da sociedade civil é uma grande parte da campanha que também busca que restaurantes e outros estabelecimentos do varejo não vendam produtos derivados de tubarão. A Sea Shepherd solicita que o público promova o selo da campanha em estabelecimentos que conheçam, e que se oponham contra aqueles que continuem servindo e vendendo seus produtos derivados.

Aderindo a causa, já estão o fotógrafo de moda, o gaúcho Jacques Dequeker e os atletas de kitesurfe Pedro “Boca” Bueno e Victor Adamo “Pimpolho”, além de Guilly Brandão, bi-campeão mundial na modalidade. Jacques, que trabalhou com Gisele Bündchen e Shirley Mallmann, em seu tempo vago procura pelos tubarões. “Mergulho e fotografo tubarões fazem dois anos, são animais incríveis. Temos que nos dar conta que são animais importantes para o equilíbrio do ecossistema, e merecem nossa proteção e esforço para desfazer a imagem de assassinos,” comenta o fotógrafo, que tem dois tubarões tatuados em seu braço, como símbolo de seu respeito por esses animais.

“Nós, do kite de IlhaBela, estamos apoiando a campanha para mostrar que, mesmo como atletas que passamos uma grande parte de nosso tempo no mar, não sentimos medo desses animais, que são falsamente mostrados como vilões. Matar um tubarão não é fazer um bem, como nos fazem acreditar, pelo contrário. Matar aos milhares, então, é fazer um estrago na natureza”, diz Boca.

Back to list