Notícias

Resumo da Operação Kimberley Miinimbi e lançamento da campanha do filme

Woodside, a maior operadora de produção de petróleo e gás na Austrália, se refere ao que eles dizem ser “o estudo de baleia jubarte mais significativo já realizado na Austrália Ocidental”. Este “estudo” afirma que, “fora de James Price Point, a maior parte da migração ocorre em águas a cerca de 30 km do continente, com menos de cinco por cento de baleias jubarte viajando a oito quilômetros da costa”.

A Operação Kimberley Miinimbi verificou que esta afirmação é completamente falsa.

Quando o Steve Irwin zarpou de Broome para James Price Point durante a Operação Kimberley Miinimbi, mais de 108 baleias foram contadas a cada dia na área de Walmadan, fora de James Price Point, bem dentro dos oito quilômetros da costa (veja o relatório de avistamento de baleias em inglês, em PDF). Uma média de 15 por cento dos avistamentos foram de pares de mãe e filhote. Em várias ocasiões (como visto no documentário Kimberley Miinimbi), a Sea Shepherd testemunhou mães amamentando e cuidando de seus filhotes a menos de um quilômetro do local proposto para a estação de gás. Note que a tripulação do Steve Irwin estava apenas fazendo observações durante sete horas por dia na área Walmadan, portanto seria muito mais ao longo de um período de 24 horas.

A Sea Shepherd tem visto com nossos próprios olhos que, sem dúvida, este é de fato o maior berçário de baleia do mundo, e os números apresentados pela Woodside estão incorretos. Isto é ainda mais realçado pelo Projeto de Pesquisa de Baleia da Comunidade Kimberley, onde os voluntários, coordenados pela bióloga marinha Maddie Goddard, contaram 1.423 baleias dentro de oito quilômetros do litoral do penhasco vermelho em 132 horas de observação, entre 01 de julho e 7 de agosto. A contagem incluiu 1.233 baleias e 95 pares de parto.

Em inúmeras ocasiões, a Sea Shepherd foi capaz de alcançar os holofotes da mídia nacional e internacional sobre o fato de que a área onde Woodside planeja colocar sua porta de fábrica de gás está bem no meio do maior viveiro de baleias jubarte do mundo. Este fato foi realçado para as milhares de pessoas que visitaram o Steve Irwin em Sydney, e assistiram o vídeo da nova campanha Operação Kimberley Miinimbi. Nós todos entendemos o que será perdido se a estação de gás de Woodside prosseguir.

Este é apenas o começo…

Em muitos níveis esta campanha já foi um sucesso. No entanto, este é apenas o início da Operação Kimberley Miinimbi, e a Sea Shepherd está empenhada em garantir que o maior berçário de baleia do mundo continue a ser um viveiro e não alguma estação de gás ambientalmente destrutiva. Apesar de o Steve Irwin ter deixado Kimberley para se juntar à frota da Sea Shepherd para ser preparado para a nona campanha em defesa das baleias da Antártida, para proteger as baleias no Santuário de Baleias do Oceano Antártico, estamos empenhados em continuar a luta para proteger a casa das baleias, a sua creche. Pois sem a proteção de seu viveiro da estação de gás de Woodside, nossas majestosas e maravilhosas primas de sangue quente, as jubartes, não têm a menor chance.

Esperamos que vocês gostem do novo documentário (em inglês), feito em conjunto pela Fair Projects, que reuniu tudo pro bono:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=h624NX-jBFk&list=UURYjOhn_GeNtZjz4TY1OJEg&index=1&feature=plcp[/youtube]

Tim Watters – fundador da Fair Project – equipe de documentário pro bono:
“Estar envolvido com a Operação Kimberley foi uma experiência incrível. Através da produção do vídeo e das fotos que queríamos mostrar ao resto do mundo o olhar de Kimberley, na esperança de que nós pudéssemos fornecer aos apoiadores da Sea Shepherd uma melhor compreensão do que todos nós podemos perder se isto continuar. Esperamos que o curta faça justiça ao ambiente limpo e aos animais selvagens da região de Kimberley, que não é apenas um dos lugares mais bonito e intocado da Terra, mas um dos o mais importante para as baleias jubarte, que nós compartilhamos o planeta.”

A Sea Shepherd agradece a todos que ajudaram nesta campanha

A Sea Shepherd gostaria de agradecer às muitas pessoas que fizeram esta campanha até agora possível: a tripulação do Steve Irwin de voluntariado internacional, sob o comando do capitão Malcolm Holanda, nosso voluntário piloto de helicóptero, Roger Danner, nossa equipe, os voluntários em terra, e especialmente os nossos colaboradores de todo o mundo.

Para o povo de Broome, incluindo o Goolarabooloo e as pessoas Nyul Nyul / Jabirr Jabirr que fizeram com que a Sea Shepherd sinta-se bem-vinda, obrigado.

Nas palavras do Capitão Paul Watson “Obrigado pelo convite que aceitamos no espírito de amizade eterna, com a promessa de ficar na unidade com o Goolarabooloo para defender a beleza e a sacralidade deste ambiente maravilhoso.”

Nós também gostaríamos de homenagear a todos que  participaram da campanha incansável feita por Martin Pritchard e Kimberley Environs, Mark Jones e Save The Kimberley, a Wilderness Society, o incrível apoio que recebemos dos Verdes australianos e uma menção honrosa ao membro do Trabalho Federal de Fremantle e Melissa Parke MP, por emprestar sua voz para a campanha.

Por último, mas não menos importante, esta campanha não teria sido possível sem o apoio, dedicação, paixão incansável e desenvoltura do ex-líder dos Verdes australianos, Bob Brown, da Brown Bob Foundation. A Sea Shepherd está honrada por ter Bob Brown como líder da campanha para a Operação Kimberley Miinimbi.

“Vendo as baleias fora de James Price Point, as mães, os bebês, as baleias macho, vendo a contagem subindo para os milhares destas baleias, a garantia de que elas ficarão bem com um mega porto, mega-navios e uma enorme fábrica em terra, é agora claramente provado que está errado.” – Bob Brown

Foto: Tim Watters

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list