Notícias

Polícia japonesa está ficando desesperada em Taiji

Erwin Vermeulen: o primeiro Guardião da Enseada preso

Erwin Vermeulen

Erwin Vermeulen

O Guardião da Enseada da Sea Shepherd, Erwin Vermeulen, um cidadão da Holanda, foi preso hoje em Taiji, ao tentar tirar fotos de golfinhos-de-risso sendo transferidos entre redes no mar e o Hotel Dolphin Resort.

Um funcionário do Hotel Dolphin Resort apenas acusou ​​Erwin de empurrá-lo, e esta alegação foi imediatamente atendida. A polícia algemou o Erwin e o levou para a delegacia de polícia de Shingu, onde ele está preso. Tem sido negado um advogado, que lhe é de direito, e visitação, até mesmo da Embaixada da Holanda.

Sob a lei japonesa, Erwin pode ser mantido preso por 28 dias antes de ser autorizado a falar com um advogado.

A prisão parecia pré-planejada. Nenhuma testemunha viu Erwin empurrar o funcionário, e Erwin não foi sequer questionado. A polícia simplesmente se aproximou dele e levou-o embora. Por compaixão para com os golfinhos em Taiji, Erwin Vermeulen viajou para o Japão com seus próprios recursos, para dedicar seu tempo e energia para a missão dos Guardiões da Enseada.

Os Guardiões estão agora na metade do caminho de seu 2º ano em Taiji. A Operação Paciência Infinita está claramente desgastando os nervos dos pescadores, dos políticos locais e da polícia japonesa.

Agir dentro do Japão requer uma abordagem completamente diferente, e paciência é a chave para o sucesso. A missão dos Guardiões da Enseada é estar sempre presente, registrando cada atividade e em constante vigília frente aos assassinos de golfinhos, dia após dia, enquanto os golfinhos estão sendo mortos. Todos os Guardiões são advertidos de que cada movimento deve ser sem violência e dentro dos limites da lei japonesa.

Os Guardiões Bob Timmons, Erwin Vermeulen, e Nicole McLachlanl

Os Guardiões Bob Timmons, Erwin Vermeulen, e Nicole McLachlanl

No ano passado, os Guardiões estiveram presentes na enseada da morte durante seis meses, reduzindo o número de golfinhos mortos pela metade, e este ano eles estão em vigília desde 01 de setembro. Muitos golfinhos foram salvos.

A chave para o sucesso desta missão é não dar às autoridades qualquer motivo para expulsar os Guardiões da Enseada. Por essa razão, todas as precauções são tomadas para evitar a quebra de qualquer lei. Erwin Vermeulen não transgrediu nenhuma lei. Ele foi convenientemente acusado de fazer isso. Qual lei, nós não sabemos, porque a polícia japonesa se recusa a divulgar essa informação.

Tudo o que sabemos é que Erwin estava tentando tirar fotos dos golfinhos quando foi abordado pela polícia, algemado, e levado para a delegacia da Prefeitura de Wakayama, onde ele não foi visto ou ouvido desde então.

No início deste ano, quando a Guardiã Rosie Kunneke foi agredida por um pescador em Taiji, seu agressor foi interrogado e liberado imediatamente. Isto indica claramente um duplo padrão de trabalho, com a lei sendo aplicada discriminadamente e de maneira injusta contra os defensores dos golfinhos.

Tensões estão sendo construídas, e parece que a polícia está fazendo um teste. Eles querem ver qual será a reação do público internacional antes de fazer sua próxima jogada.

A polícia tem um dilema. Como eles se livrarão de forma não violenta dos defensores dos golfinhos que não têm quebrado nenhuma lei, mas estão claramente perturbando a terrível e cruel prática de abate dos pescadores de Taiji?

Prender Erwin pode ser o primeiro passo em uma nova estratégia para deter os Guardiões da Enseada, acusando-os de falsos crimes.

Os Guardiões não serão dissuadidos.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list