Editorial

Os leões marinhos não são o problema da barragem do Rio Columbia

Comentário por Sandy McElhaney

Leões Marinhos em Astoria, Oregon. Foto: Kimber Hamilton

Em abril de 2012, Oregon e Washington começaram um abate anual dos leões marinhos da Califórnia no rio Columbia. Funcionários públicos marcam os animais marinhos com ferro quente, atiram com balas de borracha e os matam com injeção letal – tudo isso pelo crime de comer salmão “em extinção”. Por mais horríveis que sejam estes atos, eles são autorizados e apoiados pelo Serviço Nacional de Pesca Marinha. Desde de que a matança começou, em 2008, pelo menos 39 leões marinhos foram mortos e 11 estão em cativeiro.

A pesca de salmão é um grande negócio no rio Columbia. Leões marinhos são torturados e mortos por comerem pouco mais de 1% do estoque de salmão. Reciprocamente, pescadores comerciais, artesanais e amadores são encorajados a capturar 17% do peixe ameaçado. Pescadores reclamam há muito tempo que os leões marinhos competem com eles pelo salmão. A solução deles é se livrar dos leões marinhos. Eles têm total apoio dos políticos locais e do governo federal.

O esgotamento do estoque de salmão no rio Columbia pode estar relacionado à construção do gigantesco bloqueio e barragem de Bonneville. Desde 1938, a barragem tem proporcionado energia elétrica e destruído o caminho migratório natural do salmão. Adicione a isso a sobrepesca e a introdução de espécies exóticas predadoras de salmão, e fica muito simples ver que o homem é o real predador no rio Columbia – NÃO os leões marinhos.

Leões Marinhos em Astoria, Oregon. Foto: Kimber Hamilton

Reconhecendo que o real problema no rio Columbia não tem nada a ver com leões marinhos, a Sea Shepherd Conservation Society iniciou seu programa, Guardiões da Barragem, em abril. Guardiões voluntários têm estado nos bancos de Columbia, próximos à barragem de Bonneville, e também no porto de Astoria. Nós testemunhamos atos de crueldade que seriam considerados infrações criminosas em qualquer parte dos Estados Unidos, menos aqui. Temos observado animais sendo chutados e cutucados com varas. Nós temos visto repetidas vezes fumaça soprando das gaiolas, conforme o ferro quente é pressionado em sua pele, antes imaculada. Estes leões marinhos são posteriormente violados com dispositivos de rastreamento e etiquetas presas às suas nadadeiras. Tragicamente, nós temos visto leões marinhos presos em gaiolas e arrastados para um armazém de embarcações, onde a morte os aguarda.

Recentemente, Scott West, líder da campanha Guardiões da Barragem da Sea Shepherd, acompanhou a professora de São Francisco, Angela Casey, ao escritório do governador do Oregon, John Kitzhaber, para entregar centenas de notas e desenhos de crianças de escolas primárias clamando por um fim a matança. O governador não estava disponível para atendê-los. Ele concedeu clemência a um assassino condenado, mas ignora os apelos de crianças preocupadas e adultos que simplesmente querem salvar animais marinhos de uma morte sem sentido.

A Sociedade Protetora dos Animais dos Estados Unidos está no tribunal lutando para por um fim à este ridículo abate de leões marinhos. Até lá, os Guardiões do Mar estarão na costa da Columbia. O problema é a maldita barragem, e aqueles que pensam que humanos deveriam ter direitos exclusivos na pesca do salmão.

Por favor, entre em contato com os governadores de Washington e Oregon para pedir o fim da matança dos leões marinhos.

Governador de Oregon, John Kitzhaber:
Telefone: (503) 378-4582
Email: http://governor.oregon.gov/Gov/contact.shtml
Facebook: https://www.facebook.com/johnkitzhaber
Twitter: @govkitz

Governadora de Washington, Chris Gregoire:
Telefone: (360) 902-4111
Email: http://www.governor.wa.gov/contact/
Facebook: https://www.facebook.com/govgregoire
Twitter: @govgregoire

Traduzido por Flávia Milão, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list