Notícias

O ataque noturno dos Yushins

Um membro da tripulação do Bob Barker assiste a um dos Yushins tentando atingir o navio da Sea Shepherd. Foto: Carolina A. Castro

Um membro da tripulação do Bob Barker assiste a um dos Yushins tentando atingir o navio da Sea Shepherd. Foto: Carolina A. Castro

Como o Bob Barker estava chegando perto na fuga do Nisshin Maru, o abatedouro flutuante japonês que ilegalmente caça baleias no Santuário de Baleias do Oceano Antártico, dois navios arpoadores, Yushin Maru Nº 2 e Yushin Maru Nº3, viraram-se e foram direto para o navio da Sea Shepherd, Bob Barker, que está sob o comando do capitão sueco Peter Hammarstedt.

Escurecia rapidamente e neve a começava a cair, quando em um movimento desesperado para jogar o Bob Barker ao largo das costas do Nisshin Maru, os dois navios arpoadores começaram a passar perigosamente entre o arco do Bob Barker, arrastando 300 metros de cabos para entupir o suporte do Bob Barker.

Os navios arpoadores lançaram seus holofotes sobre a ponte do Bob Barker, em um esforço para cegar a tripulação, mas recuaram quando a tripulação do Bob Barker retaliou o ataque com lasers. Chamas foram acesas e mensagens de rádio raivosas trocadas em japonês e inglês.

Os navios arpoadores Yushin ilegalmente desligaram suas luzes durante os incidentes, o que contribuiu para o perigo de suas manobras imprudentes.

O Yushin atravessa o arco do Bob Barker com um cabo de 300 metros, à direita, na tentativa de atingir o Bob Barker. Foto: Carolina A. Castro

O Yushin atravessa o arco do Bob Barker com um cabo de 300 metros, à direita, na tentativa de atingir o Bob Barker. Foto: Carolina A. Castro

Os Yushins, muito mais rápidos e mais manobráveis que o Bob Barker, atormentaram a tripulação da Sea Shepherd de perto por horas, em seu esforço para impedir que o Bob Barker perseguisse o Nisshin Maru.

O capitão Peter Hammarstedt (27), um veterano de numerosas campanhas da Sea Shepherd, habilmente evitou os cabos incrustantes, mantendo a pressão sobre o Nisshin Maru.

Não houve feridos em nenhum dos navios envolvidos, e o Bob Barker continua perseguindo o Nisshin Maru, depois de interromper totalmente suas atividades baleeiras ilegais.

Com apenas algumas semanas para terminar a estação baleeira, os japoneses estão determinados a matar baleias tanto quanto possível, e a tripulação da Sea Shepherd está igualmente determinada a detê-los.

“O Bob Barker está a 1.600 quilômetros ao sul da Tasmânia”, disse o capitão Paul Watson, a bordo do Steve Irwin, atualmente se aproximando do Estreito de Bass e, deve chegar em Melbourne dentro de vinte e quatro horas. “O capitão Hammarstedt e sua tripulação estão corajosamente perseguindo a frota baleeira e os mantendo em fuga. Não há dúvidas de que este é um conflito extremamente perigoso, mas também não há dúvidas de que ele está sendo altamente eficaz. A cota de matança da frota baleeira japonesa será muito reduzida nesta temporada, e estamos prontos para voltar mais uma vez na próxima temporada, caso decidam continuar sua matança ilegal de baleias no Território Antártico Australiano e na Zona Econômica Exclusiva australiana”.

O Steve Irwin foi forçado a regressar devido à falta de combustível. O Bob Barker conseguiu reabastecer em Wellington, na Nova Zelândia, e pode permanecer em busca da frota japonesa até abril, se for necessário. A temporada de caça vai acabar em semanas, devido às condições extremas do inverno da Antártida.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=SV666iEgvKE&feature=player_embedded[/youtube]

Vídeo: o Bob Barker sofre um ataque noturno perigoso pela frota baleeira japonesa

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list