Notícias

Eureka! A frota baleeira foi encontrada e paralisada

O Bob Barker localiza o navio-fábrica Nisshin Maru da frota baleeira japonesa. Foto: Carolina A. Castro

O Bob Barker localiza o navio-fábrica Nisshin Maru da frota baleeira japonesa. Foto: Carolina A. Castro

O Capitão Paul Watson recebeu um telefonema do Capitão Peter Hammarstedt, no Bob Barker, às 22h00 (horário da Austrália), em 05 de março.

“Eureka, Paul, temos o Nisshin Maru nas nossas vistas!”

O Nisshin Maru e seus três barcos arpoadores mortais foram encontrados a 64 graus 59 minutos ao sul e 130 graus 51 minutos a leste da Baía de Commonwealth, a sessenta milhas ao largo da costa da Antártida, dentro da Zona Econômica Exclusiva australiana.

O Yushin Maru Nº3 tinha acabado de chegar da perseguição ao Steve Irwin. Apesar dos três navios arpoadores mobilizados para interceptar o Bob Barker, o capitão Hammarstedt deslizou através de sua tela e ganhou uma identificação visual do alvo principal.

Dois dos navios arpoadores estavam em busca de baleias. Toda a atividade baleeira parou quando o Nisshin Maru começou a fugir, mas o Bob Barker é mais rápido, e está alcançando o odiado navio-fábrica japonês.

“Nós o temos em nossa visão, e ele não será capaz de superar-nos”, disse o terceiro imediato do Bob Barker, Vincent Burke, de Melbourne.

“Nós os mantivemos correndo por dois meses, onde têm interrompido suas operações consideravelmente, mas agora, com o Bob Barker na popa de sua rampa de lançamento, a caça está efetivamente interrompida para 2012″, disse o capitão Hammarstedt (27), da Suécia.

O navio de segurança japonês, Shonan Maru Nº2, ainda está seguindo o Steve Irwin um dia a partir do Estreito de Bass, e agora está a 1.600 milhas náuticas de distância da frota baleeira. O Steve Irwin conduziu com sucesso o Shonan Maru Nº2 e o Yushin Maru Nº3 para longe do Bob Barker, para permitir que o Bob Barker despistasse o navio que o estava perseguindo. A chave para encontrar o Nisshin Maru estava despistando o navio, e funcionou.

“Esta foi uma campanha longa e difícil, com o pior tempo e as condições de gelo que temos experimentado em todas as oito temporadas que se aventuraram no Santuário Antártico das Baleias,” disse o Capitão Paul Watson. “Mas, apesar da perda temporária do nosso navio de escolta, o Brigitte Bardot, e nossa busca constante e obstinada do Nisshin Maru, os mantivemos em fuga, tirando dois de seus três navios arpoadores das atividades de caça durante dois meses, severamente afetando a sua capacidade de matança, e agora mais uma vez, os interrompemos em 100%. A Operação Vento Divino tem sido um enorme sucesso”.

Traduzido por Raquel Soldera, voluntária do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list