Notícias

ILHABELA – FINAL DE SEMANA INSTITUTO SEA SHEPHERD BRASIL (ISSB)

Por: Sofia Graça Aranha, Embaixadora do Mar (ISSB)
Fotos: ISSB

A Colonial Diver a Embaixada da Sea Shepherd em Ilhabela (SP), sediou um evento com os Embaixadores do Mar, o cinegrafista e mergulhador Lawrence Wahba e a bióloga e mergulhadora Sofia Graça Aranha. Foi um fim de semana de muito sol e mergulhos nas Ilhas de Búzios e Ilhas das Cabras, finalizado com um bate-papo descontraído com os mergulhadores que participaram do evento.

Lawrence Wahba e Sofia Graça Aranha durante palestra

“Voltar à Ilhabela é sempre um prazer, ainda mais em um evento que reúne tantos amigos e ajuda a divulgar a importância de se preservar os nossos mares” diz Lawrence.

“Fizemos mergulhos contrastantes; no 1º dia voltei à Ilha de Búzios depois de mais de 20 anos. A fauna é rica e a visibilidade boa… entre os diversos mergulhadores, em apenas um dia vimos tartarugas, raias, moréias e muitos e muitos peixes… porém me surpreendi com a quantidade de lixo e de petrechos de pesca perdidos no fundo do mar… eram linhas, anzóis e grandes pedaços de rede. Num determinado momento eu, Sofia e Fernando Martins, da PADI, encontramos uma rede enrolada e abandonada no fundo do mar, se esticada passaria fácil dos 7 metros de comprimento. O cenário era tétrico, naquele bolo estavam presos moluscos, equinodermos e crustáceos. Passamos cerca de 25 minutos desenrolando a rede e retirando cuidadosamente os animais, pelo menos 4 caranguejos foram soltos com vida” vibra Lawrence.

Mergulhadores atentos

É sempre gratificante estar em contato direto com o mar e com pessoas queridas, mas mais gratificante ainda é poder dar um pouquinho de volta a ele que nos proporciona momentos tão inspiradores.Esses tiveram sorte, mas todos os anos milhares de animais são vítimas dessas redes fantasmas que são abandonadas causando enorme prejuízo à vida marinha. É importante as pessoas verem o que estamos causando aos nossos oceanos e que isso, infelizmente, ocorre frequentemente no “quintal” da nossa casa. Esses eventos de conscientização são importantes ferramentas para reunir aliados da conservação marinha. Fiquei triste em ver o impacto que a pesca e as atividades antrópicas vêm causando. Fora os petrechos abandonados, a ilha de Búzios estava tomada por coral-sol (Tubastrea sp.) que é um coral exótico invasor que se tornou uma espécie de “praga” no nosso litoral pois, além de possuir eficientes estratégias reprodutivas, possui alta taxa de crescimento e é agressivo com as espécies nativas. Fora essas adversidades que não são exclusivas da Ilhabela, a Colonial está de parabéns pela operação e pelo evento, foi uma ótima iniciativa.

Mara Lott, coordenadora da Embaixada de Ilhabela (ISSB)

Back to list