Notícias

RECIFE (PE) – ISSB NO VII ENCONTRO DA SOCIEDADE BRASILEIRA PARA ESTUDO DOS ELASMOBRÂNQUIOS E NO V WORKSHOP INTERNACIONAL SOBRE INCIDENTES COM TUBARÕES

Por: Wendell Estol, diretor geral do ISSB
Fotos: ISSB 

O ISSB esteve presente na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), onde ocorreram o VII Encontro da Sociedade Brasileira para Estudo dos Elasmobrânquios e o V Workshop Internacional Sobre Incidentes com Tubarões em Recife. A participação do ISSB ocorreu através de uma palestra, ministrada pelo seu diretor geral, Wendell Estol, onde abordou as ações da organização desde 2011, data da última participação em um encontro da SBEEL, até 2014. Dentre as ações apresentadas a mais polêmica, como de costume, foi a questão do pedido de moratória da pesca de tubarões na costa brasileira, assunto que dominou o debate da mesa redonda e que deixou perguntas pendentes, pois o tempo de discussão foi excedido.

Wendell Estol durante palestra

Foi de suma importância esta apresentação e discussão, mesmo que com pouco tempo, sobre o pedido de moratória, pois se deu em um âmbito acadêmico, onde estão as pesquisas que embasam cientificamente nosso pedido. Acredito que, de agora em diante, com o apoio da SBEEL possamos avançar ainda mais na questão da proteção dos tubarões e raias do Brasil. Já no outro evento, o V Workshop Internacional Sobre Incidentes com Tubarões em Recife, foram discutidos diversos aspectos das interações entre humanos e tubarões através de palestras sobre assuntos como: responsabilidade legal nos países com incidentes com tubarões, aspectos da medicina legal para determinação da causa mortis, afogamento ou interação com tubarão, as medidas que diferentes países vêm adotando para diminuir estas interações negativas, bem como a questão da fidelidade ambiental e o uso do habitat dos tubarões em Recife.

Durante o Workshop o ISSB questionou alguns pontos, como a questão dos atendimentos médicos de emergência nos casos de interação negativa, sendo a principal causa da alta mortalidade humana durante os contatos com os animais, a alta mortalidade de tubarões por conta de um “revanchismo” após situações de incidentes negativos e a moratória mundial como alternativa para a conservação de tubarões e raias. O que se viu durante o Workshop é que há um conflito entre humanos e tubarões, em Recife, e que a resolução de tal conflito não está próxima, pois as alternativas que não resultam em mortes de tubarões são consideradas muito caras para serem adotadas, o que nos traz preocupação, pois mais uma vez sobrará para quem não tem voz, os Tubarões. Por isso o ISSB entende que se deva fazer o que for necessário para evitar mais mortes, tanto dos animais quando de humanos, e nos parece que adotar os princípios da precaução e prevenção seja o melhor caminho, fechando as praias com maior número de incidente e suspendendo já qualquer tipo de captura de tubarões na costa de Pernambuco. Juntamente deve-se realizar a recuperação das áreas degradadas, como as do Porto de Suape e impedir a pesca de arrasto defronte a orla para evitar o descarte de pescado próximo as praias.

“A Sociedade Brasileira para o Estudo de Elasmobrânquios (SBEEL) como sociedade científica, embora um dos seus objetivos seja a conservação de tubarões, raias e quimeras, não possui um caráter de ativismo e realização de eventos que mostrem a importância destes animais tanto para os ecossistemas aquáticos, quanto para o próprio ser humano. Por esta razão, o convite para a participação do Sea Shepherd Brasil no VIII Encontro da SBEEL foi importantíssimo para demonstrar que podemos ter outras ferramentas além dos dados científicos para fazer o nosso pleito de preservação dos elasmobrânquios ser escutado e levado em conta pelos responsáveis por políticas ambientais e pela sociedade civil, que necessita com urgência conhecer mais para entender o que realmente esta acontecendo com os tubarões e as raias, principalmente aqui em Recife, onde grupos tentam realizar caças indiscriminadas de tubarões, além de outros absurdos. O Sea Shepherd Brasil esta sendo fundamental quanto a tomada de medidas pelo governo contra as ações destes grupos de vândalos, como também no VIII Encontro da SBEEL, mostrando aos estudantes e demais sócios desta sociedade, como podemos fazer um ativismo sério e eficiente em relação a conservação da vida marinha. Vida longa ao Sea Shepherd Brasil”, destaca Francisco Marcante Santana da Silva, Presidente da Comissão Organizadora do VIII Encontro da SBEEL e Conselheiro da SBEEL.

Durante o VIII Encontro da SBEEL foram apresentados e discutidos diversos assuntos relativos aos tubarões e raias, dentre eles o plano nacional para a conservação de elasmobrânquios, bem como o papel das ONGs na conservação dos tubarões e raias. Um ponto ressaltado foi o distanciamento entre os pesquisadores, governo e ONGs e as implicações disto na conservação. Ficou claro que ações conjuntas entre os diversos atores é fundamental para a conservação em virtude da necessidade de um embasamento técnico-científico, articulações políticas bem consolidadas e ações de conservação. Neste contexto é fundamental o papel de ONGs como a Sea Shepherd Brasil na conservação dos tubarões e raias, disse Jones Santander Neto, Doutorando em Biologia Animal pela UFPE.

Back to list