Destaque, Notícias

A Sea Shepherd Concluiu a Épica Campanha no Oceano Antártico, Operação Icefish

Tradução: Igor Ramos

A tripulação do Sam Simon foi capaz de recolher 72 Km de redes de pesca ilegais. Foto: Sea Shepherd / Giacomo Giorgi

Hoje, o navio da Sea Shepherd – MY Bob Barker – ancorou em Tema, Gana, concluindo, assim, a Operação Icefish.

A campanha atraiu a atenção mundial ao problema da pesca predatória de Marlongas na Antártica e região da Patagônia e abriu caminho para um nível sem precedentes de cooperação internacional na luta contra a pesca ilegal nos oceanos do mundo.

No início de 2014, dois dos navios da Sea Shepherd, o Bob Barker do Capitão Peter Hammarstedt e o Sam Simon do Capitão Sid Chakravarty zarparam da Austrália e Nova Zelândia respectivamente para patrulhar o Santuário Antártico. Os navios estavam a procura dos seis últimos navios pescadores de marlonga, os quais a Sea Shepherd chama de “Os 6 Bandidos”, conhecidos por pescarem ilegalmente nas aguas da Antártica.

No dia 17 de Dezembro de 2014, o Bob Barker interceptou o mais notório dos navios pesqueiros, o procurado pela Interpol: Thunder, no banco Bazare, Antártica. Nos quatro meses e meio seguintes a Sea Shepherd bateu o recorde mundial de maior perseguição a navios pesqueiros, tal perseguição ocorreu por 11533 milhas náuticas, saindo do Oceano Antártico, passando pelo Oceano Índico e finalmente chegando ao Oceano Atlântico.

Dia 25 de Dezembro de 2014,  o navio Sam Simon iniciou uma operação para retirar 72 quilômetros de redes de pesca ilegais abandonadas pelo navio Thunder enquanto esse fugia da Sea Shepherd. Todos os materiais recolhidos pela Sea Shepherd foram entregues para as autoridades nas ilhas Mauricius, dando inicio à primeira investigação oficial ao navio com alerta roxo na interpol, Thunder.

Dia 2 de Fevereiro, o navio Sam Simon interceptou dois outros navios da frota, os navios Kunlun e Yongding, em águas territoriais Australianas.

Em Março, o Kunlun e outro navio da frota, o Viking, foram detidos pelas autoridades no Sudeste da Ásia. As investigações continuam em sigilo.

No final do mês de Março, de forma inesperada, o navio Thunder afundou após 110 dias de perseguição. A Sea Shepherd acredita que o acontecimento foi um ato de sabotagem pelo capitão do navio e seus oficiais para tentar encobrir as evidências de pesca ilegal.

A Sea Shepherd entregou os tripulantes do Thunder à guarda costeira de São Tomé e Príncipe. Foto: Sea Shepherd / Jeff Wirth

A Sea Shepherd foi capaz de resgatar toda a tripulação de 40 tripulantes, incluindo o capitão, os oficiais e a tripulação de convés. Todos haviam abandonado o navio e se encontravam em botes salva vidas.

Todos os tripulantes do Thunder foram entregues para as equipes da guarda costeira de São Tomé e Príncipe mais tarde no mesmo dia. Toda a tripulação foi detida até o fim das investigações sobre o naufrágio.

O capitão do Bob Barker, Peter Hammarstedt, disse: “Como sempre, medimos o nosso sucesso com o número de vidas salvas. Ao longo da Operação Icefish, a Sea Shepherd não apenas salvou vidas de inúmeras marlongas, como também pode proteger muitas outras espécies de animais que acabariam entrelaçadas nas redes ilegais. Nós custamos aos pesqueiros milhões de dólares e equipamentos, mandamos, também, uma mensagem muito clara para aqueles que ficaram: a pesca não será tolerada nas águas da Antártica.”

O capitão Peter Hammarstedt irá continuar negociando com a Interpol por entregar evidencias do navio Thunder.

O capitão do Sam Simon, Sid Chakravarty, disse: “A cooperação com a Interpol durante a Operação Icefish mostrou uma nova forma de fiscalizar a pesca ilegal. O apoio entre a Sea Shepherd e a Unidade Especializada de Crimes Ambientais da Interpol inspirou governos do mundo todo a entrarem em ação. Foi uma experiência realmente inspiradora e uma grande honra liderar essa equipe dedicada de voluntários.”

O Capitão Sid Chakravarty irá continuar cooperando com as autoridades de São Tomé e Príncipe nas investigações sobre o naufrágio. A Sea Shepherd também ficará a disposição para auxiliar o Yongding a chegar ao porto em algumas semanas.

A Operação Icefish foi a primeira campanha da Sea Shepherd a ter como alvo os ilegais, não regulamentados e não oficializados (IUU) pescadores de marlongas nas águas da Antártica. A operação, foi também, a mais longa e mais contínua operação embarcada da Sea Shepherd até hoje.

Bob Barker e Sam Simon perseguindo o Thunder. Foto: Sea Shepherd / Simon Ager

O mais notório navio da frota pesqueira, Thunder, afundando sob circunstâncias suspeitas.. Foto: Sea Shepherd / Simon Ager

Back to list