Notícias

Tripulantes da Sea Shepherd permanecem em guarda atrás do Nisshin Maru‏

Apesar das repetidas e crescentemente violentas agressões dos frustrados baleeiros japoneses, o navio da Sea Shepherd, o Steve Irwin, continua de guarda atrás do matadouro (abatedouro) flutuante japonês, chamado de Nisshin Maru.

Os três navios arpoadores japoneses não estão mais na área, desde o último incidente que aconteceu as 18h00min do dia 6 de fevereiro. mas a tripulação da Sea Shepherd está preparada para obstruí-los caso eles retornem.

Os japoneses têm acusado a Sea Shepherd de tentar danificar as hélices de seus navios com cordas, porém eles têm tentado fazer a mesma coisa ao nosso navio. Eles acusam a tripulação da Sea Shepherd de lançar manteiga podre (a qual os japoneses se referem como “ácido”) no seu navio, contudo os baleeiros estão lançando bolas de golfe e pedaços de metal na tripulação do Steve Irwin. Além disso, os japoneses estão bombardeando a tripulação da Sea Shepherd com canhões de água e armas Acústicas de Longo Alcance (LRAD) – uma arma militar sônica que causa desorientação, náusea e surdez.

“Eu acho interessante que os chamados “peritos” e “políticos” condenam rapidamente as táticas da Sea Shepherd para aplicar as leis de conservação, contudo não dizem uma palavra sobre a violência física dirigida a nós pelos baleeiros que estão quebrando a lei,” disse Capitão Paul Watson. “A posição deles parece ser: “Se não estivessem aqui, não sofreriam tal violência.” O mesmo poderia ser dito à um policial? A Sea Shepherd não está aqui para protestar contra à caca as baleias, estamos aqui para obstruir a caça ilegal, assim definida pela lei de conservação internacional. Nós estamos aqui para fazer cumprir a lei, não quebrá-la”.

Existe um precedente legal para a intervenção da Sea Shepherd que se chama a Carta Mundial da Natureza das Nações Unidas que permite organizações não-governamentais fazerem cumprir as leis internacionais de conservação, especificamente em áreas além de jurisdições nacionais, Seção 21(e).

Os caçadores japoneses ilegais de baleia têm a vantagem de navios superiores, mais rápidos, mais poderosos, eles têm armas e eles têm o apoio do seu governo que defenderá qualquer de suas ações, inclusive a morte de nossa tripulação se isso ocorrer.

No dia 6 de fevereiro, aconteceram dois incidentes aonde o Steve Irwin colidiu com os navios arpoeiros quando eles quebraram o bloqueio do Steve Irwin para tentar dar continuidade as suas atividades ilegais. Estas colisões não foram intencionais por parte da Sea Shepherd.

“Os cinegrafistas do canal Animal Planet em um helicóptero. filmaram uma baleia sendo morta ilegalmente, ato que durou mais de vinte e cinco minutos, enquanto a baleia suportava uma morte agonizante e se debatia em seu próprio sangue,” disse o Capitão Watson. “Nós vemos a morte daquela baleia como um assassinato a sangue frio e estamos comprometidos e fazendo tudo que podemos, de forma não violenta, para proteger estes indefesos gigantes gentis, seres inteligentes e socialmente complexos”.

A Sea Shepherd Conservation Society deixou claro ao governo da Austrália que nossas intervenções estão ficando cada vez mais perigosas por causa da agressão japonesa e que podem ser evitadas por Peter Garrett e Kevin Rudd se eles simplesmente cumprirem suas promessas pré-eleitorais de entrar com uma ação legal contra as operações baleeiras japonesas.

“Porque Garrett e Rudd ignoraram suas promessas feitas a nós e a população da Austrália, somos forçados a defender as baleias simplesmente como cidadãos australianos nestas águas hostis e distantes,” disse Andrew Perry de Hobart, Tasmânia e tripulante da Sea Shepherd.

Veja o Blog da Campanha para mais noticias e imagens: http://blog.seashepherd.org.br/

Back to list