Notícias

Toronto não deve permitir a captura de tubarões selvagens ameaçados para o aquário de Ripley

Por Bob Timmons, Coordenador da Sea Shepherd Toronto

Foto: Bob Timmons

Iniciaram as obras em Toronto para a construção de um aquário de 2,8 milhões de litros, conhecido como Ripley’s Aquarium of Canada. Esse aquário será o lar artificial de mais de 13.000 peixes de água doce e salgada, incluindo 10 tubarões.

Os tubarões selvagens que serão exibidos são tubarões cinza, ou cação mangona, raros, relacionados como espécies ameaçadas na lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). Eles são protegidos nos Estados Unidos, na Austrália e na Nova Guiné.

Essas espécies de tubarões migram pela ilhota Murrells, Carolina do Sul, a caminho do seu local de reprodução. O cação mangona só produz dois alevinos por ninhada, e tem sido vítima de pesca comercial, caça submarina e de redes de proteção de praias. A remoção adicional deste animal pela equipe Ripley fará, definitivamente, uma marca no crescimento populacional dessa espécie protegida.

A equipe Ripley tem capturado, e continuará capturando, o cação mangona ao largo da ilhota Murrells, Carolina do Sul. A equipe diz que recebeu autorização especial do governo ao afirmarem que os tubarões são para propósitos educacionais.

“O benefício educacional que se ganha ao estudar [animais] em cativeiro é tanto quanto aquele que se teria estudando a humanidade somente observando prisioneiros em solitária.” Jacques Cousteau

A jornada do tubarão no ambiente selvagem e livre para uma jaula é algo assim:

1) Utiliza-se uma linha de pesca similar a um palangre (linha longa). Os palangres matam mais de 70 milhões de tubarões por ano. Outros animais que foram capturados nessas linhas são raias, tubarões galha preta, tubarões martelo e o cação mangona mencionado aqui. Isso mostra, claramente, a característica destrutiva e invasiva da caçada inicial.

2) A cauda do tubarão é amarrada e sua mandíbula presa por um gancho à borda do navio, arrastado de modo não natural até ser colocado numa tipoia e, mais tarde, numa área pequena até a remoção e colocação num tanque no interior do barco.

3) Levado à praia, o tubarão é removido mais uma vez para outro tanque e despachado para o Ripley’s Aquarium da Carolina do Sul.

4) Esses tubarões sofrem ainda mais estresse durante a longa e árdua jornada da Carolina do Sul para Nova Iorque e, então, para Toronto.

Do início ao fim, esse animal ficará num espaço confinado e não natural, o que traz muito estresse e sofrimento, antes de ser aprisionado numa jaula aquática no destino final, quando será explorado para fins lucrativos, não educacionais.

Toronto tem uma proibição de caça de barbatana de tubarão, e eles devem manter a proteção de tubarões ao não permitir que esses animais raros e ameaçados sejam levados do seu ambiente selvagem para Toronto.

Você pode ajudar se envolvendo de uma das seguintes maneiras:

• Assine esta petição: http://www.thepetitionsite.com/525/111/437/stop-delivery-of-sand-sharks-to-torontos-ripley-aquarium-2013/
Queremos mostrar apoio online aos canadenses e americanos que não querem que os tubarões sejam removidos do seu habitat e relocados para um tanque artificial em Toronto, Canadá.

• Escreva no Twitter: #Toronto @TOMayorFord should not permit the import of #sharks from the wild for Ripley’s Aquarium @SSCSToronto Petition 

• Cidadãos locais de Toronto devem entrar em contato com os seus Councilors e comunicar a eles que eles não devem permitir a importação de tubarões selvagens para o Ripley’s Aquarium do Canadá.

• Entre em contato com o responsável na Ripley
TIM O’BRIEN – VP Communications
Escritório: +1 (615) 646-7465
Obrien@ripleys.com

Traduzido por Carlinhos Puig, voluntário do Instituto Sea Shepherd Brasil

Back to list